O Uso das Cartas Divisionais

micros

A Astrologia Jyotish dispõe de uma ferramenta única para aprofundar a análise do horóscopo- as cartas divisionais – e esta ferramenta permite uma análise de pormenor, funcionando como uma espécie de «zoom» que aplicamos a cada área de vida do horóscopo de modo a observá-la melhor. No entanto, para ser útil, esta análise depende absolutamente da exatidão da hora de nascimento pois a diferença de um minuto é suficiente para obtermos resultados falsos. Quem não dispõe do conhecimento exato da hora a que  nasceu deverá prescindir da aplicação desta forma de análise. É claro que existem vários métodos de «correção da hora de nascimento» que muitos astrólogos pretendem ser capazes de fazer sem erro. Mas, na nossa opinião, se não dispomos da hora exata do nascimento, deveremos optar por outras ferramentas de análise diferentes destas.

As cartas divisionais baseiam-se na divisão dos signos em partes, sendo que  a mais conhecida é a divisão em nove partes que origina a  Navamsa. Na Astrologia Ocidental também se faz a divisão dos signos em 3 partes, pela qual cada signo é dividido em 3 partes de 10º cada, chamadas «decanatos». Mas a Astrologia Jyotish efetua um número de divisões muito mais alargado (até 60) embora  a mais comum seja a de 16 divisões, sendo as restante pouco usadas. Cada parte ou divisão é atribuída a um signo diferente construindo-se assim uma espécie de «mapa»  no qual «caem» os planetas , que mudam de  muitas vezes de signo em cada uma das divisões.

Os textos clássicos da Jyotish não são muito claros acerca dos princípios de interpretação das cartas divisionais e, por isso, é possível encontrar  diferentes abordagens  destas cartas. Porém, há alguns pressupostos que não devem ser esquecidos: o primeiro é que estas cartas são instrumentos auxiliares de análise do horóscopo de nascimento. Não são independentes e não devem ser vistas como tal: a referência é sempre o horóscopo de nascimento e a melhor imagem para explicar a função destas cartas é pensar que o horóscopo apresenta todas as áreas de vida de uma forma global, numa perspetiva «macro»; as divisionais apresentam uma determinada área de vida  ao pormenor , permitindo uma visão mais fina dos aspetos que podem passar despercebidos quando analisamos a globalidade do horóscopo;  isto é, elas ajudam a ver o que já está pressuposto no horóscopo de nascimento mas está menos explícito. Nesta medida, as divisionais não podem prometer nada que não esteja já contemplado no horóscopo. Cada carta divisional corresponde a um setor de vida e é estudada para se analisar esse setor de vida complementarmente ao estudo da casa correspondente no horóscopo de nascimento.

O facto de as cartas divisionais exigirem  o conhecimento da hora exata de nascimento  implica que seja mais sensato, mesmo para quem tem o registo oficial da sua hora de nascimento ,  considerar 12 divisões,  embora se possa dar  alguma atenção  geral às outras vargas da 13 ª até à 16ª. É que convém contar com uma margem de erro possível em relação à hora a que se  registou o nascimento: na maior parte das vezes, este está dependente dos relógios do pessoal que assiste ao mesmo e quem pode garantir que estes marcam o tempo rigorosamente certo da sua ocorrência? Por experiência própria sabemos que este pode não ser fiável.

Agora, em termos gerais, qual a importância das cartas divisionais? Elas permitem ver a força real de um planeta (força vimsopack) pela sua colocação nas várias divisionais. Por exemplo, se um planeta está exaltado na carta de nascimento mas está debilitado na maioria das divisionais, isso mostra que ele é menos forte do que  parece à primeira vista e, por isso, os seus resultados serão bem mais modestos do que se esperaria de um planeta no signo de exaltação. Mas, perguntamos: e quando um planeta está debilitado na carta natal mas está exaltado em outras vargas? Embora seja sempre preferível estar em bons signos do que debilitado, a verdade é que o estado de debilitação na carta natal limita os benefícios da boa colocação nas outras vargas divisionais.

 Conjunto das 12 Cartas Divisionais (Dwadasa Varga)

D-1  Rasi Existência e o plano físico (horóscopo de nascimento).

D-2   Hora Riqueza e dinheiro

D-3  Drekkana Todos os assuntos relacionados com irmãos e irmãs.

D-4 Chaturthamsa Residência, as casas de que se é proprietário, propriedades e fortuna.

D-5   Panchamsa Fama, autoridade e poder

D-6   Shasthamsa Problemas de saúde e tipos de doenças.

D-7   Saptamsa Tudo o que se relaciona com os filhos  e netos incluindo a felicidade que se recebe  deles

D-8  Ashatamsa Longevidade, problemas súbitos e inesperados, litigações

D-9  Navamsa Casamento e tudo o que tem a ver com o cônjuge, interação com outras pessoas, competências básicas, ser interior, «dharma» (propósito de vida)

D-10  Dasamsa  Carreira, atividades e realizações, status social

D-12    Dwadamsa Tudo o que está relacionado com os pais e parentes de sangue

D-24  Chaturvimsamsa Aprendizagem, conhecimento e educação

Na Astrologia Jyotish quando um planeta ocupa o seu signo numa determinada Varga, dá resultados auspiciosos;  quando ocupa o mesmo signo na Navamsa – Vargottama- isso também é considerado um fator que aumenta a força do planeta.  Porém, é preciso ver se o planeta é forte porque, se estiver fraco na carta natal, não é por estar no mesmo signo na Navamsa que melhora os seus resultados.

Habitualmente a Navamsa é considerada a varga mais importante e se  um planeta está exaltado na carta natal mas está debilitado na Navamsa isso torna-o fraco para todas as suas significações, gerais e particulares. A Navamsa permite, deste modo, aferir a real força de um planeta para produzir resultados.

Quando um planeta está forte na carta de nascimento  e na Navamsa mas  está fraco- por ex., debilitado- numa outra carta divisional isso torna-o fraco para aquela área de vida  que é representada por essa carta divisional e apenas para essa, a menos que também esteja debilitado em outras cartas divisionais. ( e, nesse caso, consideramos que o planeta é  fraco apenas para essas áreas particulares).

Em resumo, para fazer um uso correto das cartas divisionais, analisamos a carta divisional relacionada com a questão que nos interessa- por ex., para analisar a carreira, analisamos a D- 10- e as casas do horóscopo relacionadas bem como os seus regentes e outros planetas que influenciam esta área, tendo em conta ainda os significadores gerais das profissões e procuramos ligações entre eles. Observamos qual a colocação do regente da 10ª casa do horóscopo de nascimento na D-10  bem como a colocação do regente da 10ª casa dessa varga  e a colocação do regente do Ascendente desta e as combinações formadas nesta varga pelos planetas significadores que estamos a analisar , antes de formularmos um juízo.

Voltaremos a este assunto, para explicar os princípios de interpretação das vargas divisionais.

4 opiniões sobre “O Uso das Cartas Divisionais”

  1. Só é muito difícil acreditar que na época que a astrologia teve origem na Índia (ou qualquer parte do mundo…), as pessoas dispunham de relógios ainda mais precisos que os de hoje em dia… E, acima de tudo: nunca atrasava nem adiantava um minuto sequer… É muito interessante essa forma de análise, mas torna-se uma ferramenta muito difícil, quase impraticável, visto que um único minuto de diferença pode alterar uma previsão inteira.

    1. Assim, é, pertinentes os seus comentários. Mas note que, para além das cartas divisionais, a Astrologia Jyotish tem muitas outras ferramentas d eprecisão, igualmente precisas, como as diversas forças, os Nakshatras, etc etc. tem razão numa coisa, os antigos sábios ou Rishis, eram muito especiais e não é port acaso que são venerados ainda hoje por alguns.

  2. Sim os antigos eram muito sábios, porém viveram numa época tão distante da nossa que até hoje não é compreensível o tamanho do conhecimento deles visto da pouca tecnologia que dispunham, melhor nenhuma… Certamente um povo muito elevado espiritualmente, talvez como os antigos egípcios que construíram a Grande Pirâmide, e que até os dias de hoje, muitos acreditam que desapareceram da Terra… Talvez foram para outro planeta, ou para o mundo espiritual definitivamente… No entanto, para quem está iniciando os estudos de astrologia védica como eu é tremenda a dificuldade tendo tantos aspectos, planetas, uns que anulam ou pioram outros (sem falar que cada corrente védica muitas vezes contradiz a anterior)… Um emaranhado de informações que torna difícil entender o próprio mapa e dos familiares diretos, como meu esposo e minha filha, quem dirá se eu for estender meus estudos para meus pais, amigos, etc… :O

    1. Nós consideramos que isso não é um obstáculo mas um incentivo ao desenvolvimento da intuição. Muito do trabalho feito em Astrologia é intuição, que ultrapassa o raciocínio e a coleta dos factos. E esse é o aspeto mais difícil de desenvolver.

Deixe um comentário