Planetas Retrógrados

mov

Os planetas retrógrados têm sido alvo de diferentes opiniões ao longo da história da Astrologia, tanto na ocidental como na Astrologia Jyotish . Nesta última não existem muitas referências nos textos antigos e as opiniões dividem-se ao ponto de muitos astrólogos preferirem ignorar a questão, e tratar os planetas retrógrados como quaisquer outros, sem atribuir importância a este pormenor no seu movimento, que se deve ao modo como são observados da Terra.

O movimento retrógrado dos planetas é aparente, na verdade nenhum planeta se move para trás mas, devido ao movimento da  Terra ao percorrer a sua órbita, quando a Terra fica posicionada entre um dado planeta e o Sol, parece que o dito planeta se move para trás.  Este movimento retrógrado aparente acontece durante uma parte significativa do ano: Saturno fica retrógrado durante 140 dias e estacionário 5 dias antes e depois; Júpiter fica retrógrado por 120 dias e estacionário durante 3 ou 4 dias; Vénus fica retrógrado durante 42 dias e estacionário durante 2 dias; Mercúrio fica  retrógrado durante 24 dias e fica estacionário por um dia antes e depois.

Devido à constância da órbita  terrestre é fácil antecipar o movimento retrógrado dos planetas: Mercúrio fica retrógrado quando está a uma distância de 164 º – 196º para além do Sol; Vénus fica retrógrado quando está a uma distância de 163º -197º além do Sol; Mercúrio fica retrógrado quando se localiza entre 144º – 216º para além do Sol; Júpiter fica retrógrado quando está a uma distância entre 130º-230º para além do Sol; e Saturno fica retrógrado quando está a uma distância  de entre   115º- 145º para além do Sol.

No sistema da Jyotish, vários sábios consideram que, quando um planeta está colocado no seu signo de debilitação e está retrógrado , produz efeitos semelhantes à posição no signo de exaltação e, inversamente, quando está colocado no  signo da sua exaltação mas está retrógrado, comporta-se como se  estivesse debilitado. Assim, Uttara Kalamrita considera que o estado retrógrado é semelhante ao da exaltação do planeta quando este está simultaneamente debilitado e retrógrado, acontecendo o inverso quando um planeta está exaltado e retrógrado. Afirma ainda que qualquer planeta associado a um outro planeta retrógrado vê reduzida a sua força para metade.

Alguns  autores afirmam também que um planeta  benéfico quando está retrógrado reduz o impacto da sua colocação e, por ex., não produz os efeitos benéficos esperados na casa onde está colocado, o mesmo acontecendo com as casas e com os planetas para os quais lança algum aspeto. Pelo contrário, um planeta maléfico retrógrado, vê a sua energia reduzida, ainda segundo a opinião de alguns, de forma que se torna neutro, e o seu impacto negativo na casa que ocupa e nas casas com as quais mantém aspetos ou nos planetas aos  quais está associado é menor. Esta conceção leva a considerar que um planeta benéfico quando está retrógrado perde em grande parte a sua capacidade de produzir bem enquanto um planeta maléfico quando está retrógrado reduz a capacidade de fazer mal e torna-se «menos mau».

Deste modo, em geral, um planeta exaltado que está retrógrado perde boa parte da sua capacidade para produzir efeitos benéficos e, segundo alguns textos antigos, um tal planeta causa mesmo resultados negativos. O oposto sucede com os planetas debilitados quando estão retrógrados: perdem uma boa parte da sua capacidade de fazer mal e, por essa via, podem até ser capazes de produzir algum bem (embora relativo). Assim, alguns defendem que um planeta debilitado e retrógrado no horóscopo de nascimento quando está  exaltado na Navamsa terá um papel muito importante para ajudar a  pessoa. Qualquer planeta retrógrado afeta o nativo pelas suas qualidades e, segundo defendem alguns, se houver mais do que um planeta retrógrado (além dos nodos) o que tiver longitude superior é o que afeta  mais a pessoa.  Esta ideia é partilhada pela Astrologia Ocidental, que defende que os planetas retrógrados têm funções kármicas específicas e indicam certas lições que o nativo terá que experienciar nesta vida, revelando uma ação exercida sobre a pessoa, mais do que sobre o plano material da existência. A nossa experiência tem comprovado esta abordagem, nos vários casos que estudámos e que  conhecemos bem.

Alguns autores consideram também que um planeta retrógrado dá  efeitos tanto  da casa onde está colocado como da casa anterior, isto é, se tenho Mercúrio retrógrado na 2ª casa do horóscopo, ele dará efeitos também relacionados com a 1ª casa. Do mesmo modo, a influência deste planeta será medida tanto a partir dos efeitos da 8ª casa como da 7ª, considerando-se que lança aspeto para ambas.

Segundo alguns autores, um planeta retrógrado diminui grandemente resultados associados com  os significados das casas que rege, especialmente daquela que é ocupada pelo seu signo Mooltrikona, negando ou dificultando o desenvolvimento dos significados positivos dessa casa.  É sabido que os planetas benéficos dão resultados menos positivos quando regem casas kendra. Alguns autores afirmam que, quando um planeta benéfico como Vénus, Mercúrio ou Júpiter regem a 4ª, a 7ª ou a 10ª casas e estão retrógrados, os seus efeitos  são muito adversos e afetam tanto a casa onde se encontram como as que regem e aquelas que recebem os seus aspetos.

Devem também notar-se os efeitos do movimento estacionário direto dos planetas, que ocorrem quando um planeta retrógrado para antes de retomar o movimento direto; esses efeitos fazem-se sentir sobre as casas afetando os seus significados bem como sobre os significados do planeta em causa. Trata-se de uma situação em que uma quantidade de energia poderosa é libertada sobre o planeta e sobre a casa que  ele rege ou afeta e em que os resultados são muito visíveis. Um dos casos mais sintomáticos desta circunstância acontece com Rahu e Ketu que, habitualmente, se movem de forma retrógrada. Mas, de vez em quando, ficam em movimento estacionário direto, antes de iniciar um movimento direto, o que ocorre de vez em quando. Dois dias antes de pararem e de ficarem estacionários e dois dias depois, todo o planeta nestas circunstâncias  se  torna muito poderoso.

Sintetizando, segundo vários estudiosos da Jyotish, quando Saturno ou Marte estão retrógrados  os seus efeitos maléficos nas casas são menores; quando Vénus, Júpiter e Mercúrio ( a Lua e o Sol nunca ficam retrógrados) estão retrógrados, os seus efeitos positivos nas casas é diminuído e qualquer casa que tenha a regência de um planeta retrógrado, seja este maléfico ou benéfico fica enfraquecida em grande parte, embora continue a produzir bons e maus efeitos de acordo com a sua natureza.

Agastaya defende que o movimento retrógrado intensifica os efeitos benéficos ou maléficos dos planetas para fazer bem ou mal de acordo com a natureza funcional que esses planetas têm e a sua disposição no momento do nascimento e considera que um planeta maléfico exaltado , associado a alguns yogas pode dar efeitos de Raja Yoga no seu dasha ou no dasha de um planeta que ocupe o seu Nakshatra. Mas, para além dos bons efeitos, pode também , neste segundo caso, retirar a força deste planeta (que ocupa o seu Nakshatra) e produzir efeitos muito adversos.

Como se constata pelas opiniões, nem sempre coincidentes, dos vários autores da Jyotish sobre os planetas retrógrados, não existe unanimidade (mas esta também é rara em muitas outras matérias da Jyotish) acerca dos efeitos dos planetas retrógrados. Mas, estando os vários planetas retrógrados durante uma percentagem significativa do seu trânsito anual, devemos testar todas estas posições e verificar, através da experiência de cada um, a validade delas. Pela nossa experiência, consideramos que as posições apresentadas, na sua generalidade, parecem corresponder aos casos que já estudámos. É claro que será necessário um trabalho exaustivo de muitas centenas de casos estudados «a posteriori» por ex., ver quantas pessoas nasceram com um planeta benéfico exaltado e retrógrado e que sentiram, na sua vida, a ação desse planeta como se estivesse debilitado , bem como as restantes hipóteses, para se poder garantir que se trata de uma tendência geral objetiva e  desmentir aqueles que afirmam que o melhor é não dar importância ao facto de um planeta se encontrar retrógrado. Na nossa opinião, esta atitude é pouco defensável e ignora efeitos reais sentidos por muitos nativos que nasceram com um ou com mais planetas retrógrados.

6 opiniões sobre “Planetas Retrógrados”

  1. Ótimo post!Uma das coisas que mais procuro saber é sobre planetas retrógrados e nodos lunares, por causa da astrologia cármica e talz…Vocês podiam fazer um novo artigo falando sobre a interpretação de cada um planetas em sua forma retrógrada e tudo o mais, né?
    Estou começando a estudar a Jyotish agora e refazendo o mapa natal com as devidas correções tenho júpter retrógrado na 1° casa, li alguns artigos, incluindo esses:
    http://www.nova-lis.com/index.php?option=com_content&view=article&id=392:jer-retrdo-nas-casas-uma-viscica&catid=58:retrdos&Itemid=112

    http://aldebahran-astrologia.blogspot.com.br/2011/02/avaliacao-jupiter-retrogrado-nas-casas.html

    …de acordo com a astrologia ocidental tenho 4 planetas retrógrados:Júpter,Urano, Netuno na 12° casa e Plutão na 10° casa….
    Algo que o 2° link diz sobre júpter na 12° casa:”Na verdade, é fácil para ele conhecer seu “eu” interior, mas muitas vezes isto pode ser tão fácil que ele tenta usar os outros planetas no mapa, pensando que precisa procurar algum grande mistério além daquilo que pensa ser capaz de compreender. ” e “. Ele às vezes é muito severo consigo mesmo e precisa aprender a se julgar com justiça, através de sua mente superior, se quiser estar confortável com sua Alma. Esta posição torna a vida muito introspectiva, pois muito tempo é gasto na Fase III do Processo Retrógrado.” e ainda ” A maior parte do tempo seu conhecimento está além das palavras que ele encontra para transmitir tudo que sabe. Mas, ele se comunica muito bem a níveis telepáticos.”… enfim…toda a descrição cabe em mim…na mesma página considerando a Jyotish e lendo sobre o planeta na primeira casa, esse trecho, principalmente:” Às vezes ele tende a se expandir demais e pode saltar antes de olhar. Isto o torna um desbravador inato, mas que nem sempre está pisando em terreno seguro. Ele se move rapidamente pela vida e não gosta de desperdiçar energia.”,também cabe em mim, mas nada que não possa ser explicado pela minha lua em sagitário na 10° casa pela astrologia ocidental…enfim…estou querendo dizer 2 coisas:
    1)a Jyotish está me confundindo e me admirando ao mesmo tempo 😉
    2)Independente de que mapa considere, sinto sim meu Júpter retrógrado muito forte em mim e apesar das qualidades que isso sem dúvidas me trouxe sinto de vez em quando que os defeitos como:introspecção, gosto um pouco exagerado por riscos, uma espécie de complexo de mártir, enfim…claro que outros fatores no meu mapa contribuem,mas júpter tem seu papel aí também…
    Ah, uma 3° coisa que não sei se consegui perguntar no e-mail… é possível usar os 2 mapas numa mesma análise, não sei….talvez fazendo uma espécie de associação ou talvez até uma sinastria entre os dois mapas pessoais, é possível?acha que daria algum resultado?

  2. Muito bom o post.
    Em relação aos planetas retrógados nas casas anteriores, eu achei bem válida essa colocação de determinados autores. Pois, eu tenho urano e netuno retrógados na casa 01, porém não me identifico muito bem, quando li sobre o posicionamento desses planetas na casa 12, aí sim, fez todo sentido. O mesmo vale com meu saturno, ficando assim na casa 01, plutão na casa 10 e mercúrio na casa 06!

    1. Tenho jupiter em capricornio (debilidado) retrogado na 4 e saturno em peixes (debilidade) retrogado na 6. Sabe como seria?.. Pareci que eles trocam de posição, porém em casa malefica.

Deixe um comentário