Signo Leão na 3ª casa do Horóscopo

lid

Para ler uma pequena introdução aos significados da 3ª casa, leia aqui.

Quando o signo Leão está colocado na 3ª casa do horóscopo- o que acontece para o Ascendente Gémeos  os nativos têm  uma abordagem entusiasta e muito assertiva da realidade, possuem opiniões firmes acerca de tudo e gostam de ser o centro das atenções quando comunicam com os outros, mostrando a sua inteligência, espírito e superior compreensão da realidade. Anseiam por ser líderes de opinião  seguidos pelos outros. Usam habitualmente as tecnologias mais modernas e de topo para comunicar  e são muito criativos , originais e talentosos na forma como comunicam e pensam.  A relação com os  outros é, no entanto sempre mediada por um sentimento de superioridade, pois estes nativos gostam de ser ouvidos e admirados pelas boas ideias mas detestam ser contrariados ou contestados, reagindo negativamente quando os outros não aceitam o modo como pensam. Na verdade, gostam de liderar qualquer discussão e de ser seguidos pelos outros, nunca se colocando  no «mesmo pé» de igualdade nas discussões.

O signo Leão  é um signo  que predispõe para  liderar e expandir a sua zona de influência.  Pode ser muito persuasivo na conquista dos seus seguidores, podendo usar de grande generosidade  nas recompensas para garantir a lealdade dos que o seguem mas é ciumento do sucesso que  é oferecido aos outros e que acha sempre que devia ser dado apenas a si. Existe um impulso criativo muito forte, bem como um genuíno amor pela arte e pela originalidade criativa mas tudo isso é visto como extensão do poder individual e  é reconhecido apenas como  pertença sua. A natureza «real» do signo produz nativos orgulhosos e altivos, muto conscientes da sua própria importância , de modo que lhes custa muito ver a indiferença ou o antagonismo dos  outros  que, de resto, não compreendem porque, para eles, a sua superioridade é óbvia  e deveria ser naturalmente aceite por todos. Estas pessoas reconhecem-se como lideres que orientam os outros e, por essa razão, sempre que comunicam, esperam ser seguidos e  esperam que seja aceite a sua autoridade. Quando percebem a recetividade dos outros às suas opiniões tornam-se muito extrovertidos e espirituosos, generosos e bem- humorados; porém, amuam de imediato e ficam rancorosos, quando captam resistência e discordância por parte dos outros e podem ser mesmo mesquinhos em relação a essas pessoas. Pretendem ser líderes de opinião  incontestados .

O Sol, regente de Leão , torna a natureza destas pessoas altiva e orgulhosa, muito segura de si e do seu papel de líder e «condutor» de homens, por isso esperam naturalmente ser os chefes, líderes ou gestores e, embora saibam ouvir os outros, defendem continuamente a sua liderança ,não admitindo «rebeliões». E a sua palavra é sempre final. Se reconhecem uma boa ideia na sua equipa, adotam-na de imediato mas assumem a sua autoria. O sol dá uma inteligência e brilho próprio a estes nativos, que são excelentes organizadores e  grandes líderes pois assimilam rapidamente todos os aspetos importantes de um situação e rodeiam-se de pessoas que ajudam as suas ideias a brilhar . Mas é inútil tentar «democratizar» a sua maneira de atuar. Para eles existe apenas um líder- eles próprios-  e todos os outros são auxiliares- que eles recompensam devidamente – mas só existe lugar para uma estrela por isso são capazes de «deixar cair» qualquer colaborador demasiado sedento de fama e de se salientar, sobretudo quando se sentem ameaçados por ele. Porém, apesar destas pequenas falhas, os nativos de Leão são capazes de trabalhar duro para realizar as suas ambições, e para chegar ao topo que almejam e são capazes de ser incrivelmente criativos e originais, destacando-se facilmente da maioria como , de resto, desejam e esperam.

Quanto à relação com os irmãos mais novos, quando estes existem, esta é muitas vezes difícil  pois secretamente, estes nativos sentem alguma inferioridade em relação aos irmãos, temendo que estes sejam mais talentosos e dotados do que eles, Assim, o ciúme e alguma inveja podem  permear as interações com os irmãos, bem como a reivindicação de «não se misturarem» com estes, o que pode produzir afastamento emocional ou «guerras constantes» em que o conflito entre personalidades e individualidades é bem visível. Deverão ter, sempre que possível, um quarto só para si e devem poder ter as suas próprias coisas sem ter que as partilhar com os irmãos para assegurar alguma paz .

Leave a Reply