Como Avaliar a Força dos Yogas

avaliar a força dos yogas

Chegámos ao fim da descrição dos yogas. Muitos mais poderiam ser aqui descritos pois existem muitas centenas referenciados ao longo dos muitos séculos de prática da Astrologia Jyotish. Porém, alguns são hoje considerados menos importantes pelos astrólogos modernos, sobretudo desde que o Dr. B. V. Raman fez um trabalho de investigação que permitiu uma abordagem mais rigorosa da Astrologia Jyotish,  em que selecionou os que, do ponto de vista objetivo, são mais importantes. Seguimos, por isso, a sua seleção, tal como apresentada na obra 300 Important Combinations , obra que é uma referência importante para todos os que  estudam  a  Astrologia Jyotish.

Entretanto, lembramos algumas ideias a ter em conta na avaliação dos yogas:

Na formação dos yogas há que ter em conta, não apenas a combinação em si, entre planetas e casas do horóscopo mas também a força dos planetas que compõem essas combinações.

Para atestar a força dos planetas num yoga o facto de serem maléficos ou benéficos naturais é insuficiente: por ex., um planeta maléfico natural como Saturno pode ter efeitos benéficos quando é um planeta funcional benéfico como acontece por ex., para o Ascendente Balança.   Em sentido inverso, um planeta benéfico natural como .Vénus pode ter estatuto de funcional maléfico, como acontece com o Ascendente Peixes e, neste caso, quando entra num determinado yoga, por positivo que este seja, pode dar resultados mistos reduzindo os efeitos positivos do yoga. Deste modo, para avaliar as potencialidades de um yoga poderoso, como um Dhana ou Raja yoga convém ter presente a distinção entre planetas naturais benéficos e naturais maléficos  e planetas funcionais benéficos ou maléficos. Os planetas darão melhores resultados quando são benéficos naturais e também funcionais benéficos.

Os antigos sábios da Jyotish não deixaram regras claras sobre como avaliar a força de um yoga.  Na opinião do Dr. Raman, a força shadbala dos planetas que compõem o yoga  e a saptavargabala, ou força Vimsopack  no conjunto de sete cartas : a D-1 ou mapa de nascimento e as divisionais navamsa ou D-9, Hora ou D-2, Drekkana ou D-3, saptashamsa ou D-7, Dvadashamsa ou D-12, Trimshamsa ou D-30.  Segundo o Dr. Raman, a posição dos planetas nestas cartas, pela dignidade que obtêm, permite avaliar o seu potencial para fazer florescer os significados dessas casas.

O Dr. B. V. Raman propõe uma avaliação quantitativa da força dos planetas de acordo com os seguintes parâmetros: um planeta yogakaraka obtém a seguinte força quantitativa: 1 ponto quando é um benéfico natural ou funcional; 1 ponto se está associado com um planeta benéfico; 1 ponto quando ocupa o próprio signo ou signo de exaltação; 1 ponto se recebe um aspeto de um planeta benéfico. quanto maior for a soma obtida, mais a força do planeta para produzir resultados.  Do mesmo modo, um planeta yogakaraka  perde força quando é um maléfico natural ou funcional, quando está associado com um planeta maléfico, quando está colocado no signo de debilitação ou em signo inimigo, quando recebe o aspeto de um planeta maléfico, perdendo um ponto por cada um destas condições.

É preciso ter também em conta  se o nativo experienciará o período dasa do planeta yogakaraka ou dos planetas que formam o yoga. Caso o período dasa do(s) planeta (s) não sejam experienciados, apenas nos subperíodos ou antardasa dos planetas se poderá esperar que o yoga frutifique mas a partir do planeta que, no yoga,  tem a força shadbala mais elevada e maior percentagem de força da Vimsopack. Esta percentagem pode ver-se no relatório que qualquer software de Astrologia Jyotish apresenta no menu «forças» (incluindo o gratuito Jaganatha Hora). Ou seja, o Dr. Raman fornece, deste modo, uma forma quantitativa e mais objetiva de avaliar a potencialidade de um planeta yogakaraka ou planetas que formam um yoga, produzirem resultados , segundo as forças de colocação no horóscopo  como a shadbala  ou «força inerente do planeta» e a sua força residencial ou dignidade na carta de nascimento e  cartas divisionais .  Os resultados dos yogas são sentidos, em primeiro lugar e de forma principal, nos períodos e subperíodos dos planetas que compõem os yogas e, em menor grau, nos trânsitos favoráveis desses planetas.

Leave a Reply