Glossário Astrológico- Aplicação

glossário astrológico- aplicação capa

Este conceito refere-se ao movimento de um planeta mais rápido quando se aproxima de outro planeta, casa ou ponto sensível do horóscopo e começa a formar uma conjunção com este ponto.  Este movimento tem uma importância acrescida na interpretação do impacto dos trânsitos, das conjunções e dos efeitos gerais dos planetas no horóscopo. Um planeta que está a aplicar-se a um certo ponto sensível do horóscopo, por exemplo no momento do nascimento, apenas fará sentir os seus efeitos de forma completa algum tempo depois, dependendo da velocidade normal do planeta e da sua natureza, na vida da pessoa; por outro lado, quando o movimento do planeta é de separação (estes são movimentos opostos mas devem entender-se de forma complementar em relação um ao outro), significa que os seus máximos efeitos já foram produzidos e, na verdade, o planeta está já a afastar-se do ponto de  conjunção e os seus efeitos serão menos intensos na vida da pessoa , para o bem e para o mal ou poderão mesmo, em certos casos, não se fazer sentir, pelo menos de forma significativa.

Na interpretação das conjunções, na série de artigos que temos vindo a publicar, a compreensão do significado do conceito de «aplicação» é fundamental pois ela  contribui para a correta compreensão da força de um dado planeta na relação que então se forma entre dois planetas conjuntos. Em geral, o planeta que está antes do outro- colocado portanto num grau inferior – é dominante na relação pois é ele que está a formar o aspeto em causa. Esta força não é, no entanto, absoluta e depende também grandemente da análise de outros fatores como a própria natureza dos planetas e da sua dignidade mas é um primeiro ponto de análise imprescindível para julgar a força e os efeitos de uma determinada conjunção.

O movimento de aplicação dos planetas é igualmente essencial para avaliar os efeitos dos planetas por ex., em termos de tempo em que os efeitos se irão produzir, havendo várias formas de interpretar esse tempo dos eventos na vida real. É claro que o movimento de aplicação da Lua  ou de Mercúrio levará menos tempo para se produzir na vida real do que o movimento de aplicação de um planeta mais lento como Marte ou Júpiter, por ex., cujos efeitos poderão apenas fazer-se sentir na vida real na idade madura. As cartas «progredidas», muito populares na Astrologia Ocidental, mas também na Astrologia Jyotish e relativas ao retorno solar, por ex.,  podem ser um instrumento muito útil para analisar  o «tempo» em que os efeitos de uma dada conjunção se farão sentir com plenos efeitos na vida da pessoa; na Astrologia Jyotish, , são principalmente os períodos dasa/antardasa que definem o «tempo» no qual se concretizarão os efeitos significados por um determinado aspeto, casa ou planeta. E a força de um ou mais planetas envolvidos no aspeto de aplicação determina quais serão mais dominantes no destino pessoal durante esse período.

Adicionalmente ao conceito de «aplicação», pelo qual um planeta se aproxima de uma conjunção exata com um ponto, casa ou planeta no horóscopo, fala-se do «aspeto de aplicação como a aproximação, num dado momento, de  um certo ponto do horóscopo. Quando se dá a conjunção  com esse ponto, o aspeto é considerado «exato». Quando o planeta ultrapassa o grau exato da conjunção, diz-se que o aspeto é separativo ou de separação.

Falaremos posteriormente, neste glossário, do conceito de «separação», complementar deste.

Leave a Reply