Signo Balança na 7ª Casa do Horóscopo

Signo Balança na 7ª casa capa

Continuamos a apresentar os efeitos da colocação dos signos na 7ª casa do horóscopo. Esta colocação é especialmente importante pois o signo que ocupa a 7ª casa é oposto do signo Ascendente e, por via disso, é-lhe complementar. Na 7ª casa exprimem-se as qualidades que, sendo relativas aos outros, são no entanto fundamentais para que a nossa identidade se complete. Tudo o que é expresso pela 7ª casa precisa, desse modo, de ser integrado na identidade de forma dinâmica e é algo com o qual cada personalidade tem que lidar ao longo da vida.

Poderá ler um pequeno resumo dos significados da 7ª casa aqui.

Para uma abordagem mais aprofundada sobre a 7ª casa leia o artigo aqui.

Quando o Signo Balança ocupa a 7ª casa do horóscopo – o que acontece para o Ascendente Carneiro– os nativos sentem-se atraídos por parceiros- de vida e de negócios-  que são amáveis, sofisticados, refinados, apreciadores dos prazeres da vida,  gostam de acumular riqueza e têm um estilo de vida condizente com o amor pelo luxo, pelo sucesso material, amor pela beleza e por todos os objetos belos; são cuidadosos com a imagem, apresentando-se sempre impecavelmente vestidos  e penteados pois identificam-se com  uma imagem de refinamento e de beleza em todas as circunstâncias e isto tanto é válido para os parceiros como para os nativos de Carneiro.  Sendo um signo extremamente competitivo e orgulhoso, Carneiro aspira por encontrar parceiros à sua altura e «iguais a si» mas não nos  iludamos,  a razão pela qual deseja isso é porque precisa de sentir o prazer da luta e da conquista porque, no final, o que pretende é que  os (as) parceiros (as) se submetam e lhe dediquem toda a devoção de que são capazes. Sem essa luta inicial Carneiro não consegue respeitar qualquer parceiro. Precisa de o dominar e, para isso, este tem que ter «estirpe», força, bravura pois só assim estes nativos alimentam o seu desejo de auto afirmação e a vaidade de serem «os melhores».

Sendo muito conduzidos pelo impulso da paixão, os nativos com Ascendente Carneiro são igualmente ciumentos, possessivos e impulsivos, as suas respostas perante os parceiros românticos são muito físicas e aderem prontamente à sensualidade dos parceiros representados por Vénus. Consideram o parceiro como coisa sua. E facilmente passam do gesto ternurento para a intempestividade e, em alguns casos, a agressão. A cada momento os nativos de Carneiro precisam de sentir que o parceiro de vida é «igual» a ele, isto é, possui as mesmas qualidades que ele  mas aceitou submeter-se ao seu poder  e à sua vontade por amor , o que é outra forma de alimentar o seu orgulho e vaidade pessoal. Assim, pode continuar a sentir-se orgulhoso do parceiro e, ao mesmo tempo, como  «líder» incontestado na relação.  Gosta de sentir orgulho pela beleza, educação e demais qualidades do parceiro, que exibe como um bem altamente valioso e conquistado por si. Tudo isto é acompanhado por um estilo de vida glamoroso, refinado e procurando experimentar todos os prazeres sensuais da vida.

Assim, os nativos de Carneiro gostam de se relacionar com parceiros com  uma personalidade justa, amável, refinada e também profundamente apaixonada e sensual e gostam de exibir os parceiros e de se sentir orgulhosos pelo facto de terem alguém tão belo, rico, desejável, cheio de boas qualidades e que, apesar de poder ter tudo ao seu alcance, escolheu dedicar-se inteiramente a si. Aqui reside o segredo de um relacionamento bem -sucedido para estes nativos: se não puderem sentir esta vaidade e orgulho em relação ao  (à) parceiro (a)  o seu interesse desaparece completamente. Esta a razão pela qual não é de esperar que estes nativos se interessem em manter relacionamentos próximo com pessoas vulgares ou que não se distingam em nada da maioria. No trabalho e no amor, querem pessoas «únicas» distintas por esta ou aquela qualidade e, por isso, escolhidas para cooperar, trabalhar ou viver em comum. (sob a sua liderança, claro).

Porém, isto são as necessidades dos nativos de Carneiro. Agora, é preciso pensar também no que sentem os parceiros que são assim tratados por estes nativos. Por um lado, os parceiros , tendo uma natureza fortemente sensual e materialista pois gostam de coisas caras, luxo, etc., sentem-se muito bem com os nativos de Carneiro pois estes são fortemente sexualizados e «terrestres» como os parceiros. Mas, a pouco e pouco,  a  rude abordagem de Marte , impaciente, impulsivo e lutando continuamente pela «primazia» na relação, fere a sensibilidade dos parceiros, amáveis por natureza, delicados e afetuosos e o lado bruto de Carneiro nem sempre é fácil de encaixar. Carneiro tem uma forte necessidade de se completar no outro e aspira ao amor do parceiro mas não tem paciência para lidar com os compromissos que um relacionamento muitas vezes implica e o resultado pode ser o desentendimento após um longo desgaste pois estes nativos não gostam de discussões conjugais, podendo mascarar o que «vai mal» durante um bom período de tempo. Mas preferem divorciar-se dos parceiros a desenvolver um espírito de compromisso. Mas em geral o divórcio é  evitado sempre que  possível.

Quando o signo Balança está colocado na 7ª casa, os parceiros pessoais são  amantes do consenso e da igualdade. Podem ter uma profissão ligada aos aspetos jurídicos, podendo ser conselheiros, juízes advogados ou estar ligados ao mundo da beleza e da moda. Podem igualmente ser muito atraentes. Os parceiros podem ser indecisos e adaptar-se ao temperamento destes nativos, deixando-os tomar todas as decisões; ou , pelo contrário podem ser argumentativos e racionais e formar  um relacionamento de constante luta conjugal. Por vezes, os nativos de Carneiro casam com um parceiro apenas porque «querem ter alguém»  mas, em certos casos, podem adiar o casamento por não saberem exatamente com quem deverão casar. Podem ser adeptos de contratos antenupciais. Mas são também românticos e esperam encontrar «o parceiro ideal» que é sempre «belo e bom» justo e amável.

Mas a 7ª casa representa mais do que o parceiro conjugal. E, quando Balança  ocupa esta casa, os nativos de Carneiro tendem a encontrar parceiros de negócios inteligentes, justos, com consciência social dos direitos e deveres, têm sensibilidade estética, são refinados e instruídos, amantes do luxo, dos prazeres da vida, da moda, etc., e podem ter uma vida social intensa. Gostam de fazer negócios «à mesa» tendo um estilo glamoroso  que nunca é «cinzento» mas é sempre digno de se ver e causa impacto sobre os outros.

.No caso presente da complementaridade Carneiro /Balança, o nativo de Carneiro tem que aprender a firmar a sua personalidade sem negar ao outro o mesmo direito de afirmação. No passado talvez lhe tenha faltado coragem ou tenha sido demasiado subserviente em relação aos outros e agora precisa de se testar, de se assumir como líder e provar a sua capacidade de criar , inventar, lutar. Mas, apesar de cultivar esta individualidade «feroz», o nativo de Carneiro sente uma necessidade imperiosa de estar com o outro, de se completar através dele  e o seu grande desafio é aprender a viver em «cooperação» sem domínio de um sobre o outro e sem conquistar o outro para se sobrepor a ele. A necessidade afetiva do outro é o melhor caminho para descobrir que o outro tem o direto à sua dignidade e ele tem o dever de a reconhecer e respeitar. Tem igualmente de aprender que o valor de si próprio e  a sua própria dignidade não dependem de todas as conquistas que continuamente faz e quer fazer para se afirmar. O seu valor pessoal advém-lhe da própria natureza como ser humano singular e ele precisa apenas de a reconhecer e aceitar.