O signo Capricórnio na 2ª Casa do Horóscopo

efic

Para evitar repetições, aconselhamos os leitores a lembrar os significados da 2ª casa do horóscopo, bem como uma pequena introdução ao tema desta série de artigos, o que poderão fazer aqui.

A colocação do signo de Capricórnio na 2ª casa – o que sucede para os nativos com Ascendente no signo de Sagitário–  leva estes nativos a serem trabalhadores árduos, pois a influência de Saturno nesta casa faz depender dos esforços próprios todos os ganhos a obter. Por outro lado, torna-os muito ambiciosos e capazes de despender muito esforço para alcançar um estilo de vida confortável. Estes nativos gostam de viver bem, com acesso a todos os tipos de conforto e são capazes de trabalhar acima da média para atingir esse estilo de vida. Assim, aprendem a ser poupados e muito disciplinados no que se refere às questões de trabalho e da acumulação de riqueza. Apesar de serem, habitualmente, «mãos largas», não se poupando ao usufruto dos prazeres da vida, guardam sempre algum dinheiro e ,habitualmente, não gastam sem pensar no futuro, sendo sensatos no uso dos seus recursos, o que os salvaguarda de possíveis problemas inesperados. São também cautelosos nos investimentos, tendo uma abordagem conservadora, de quem prefere ganhar menos mas de forma segura do que correr o risco de perder tudo. Assim, habitualmente acumulam riqueza a pouco e pouco, através das poupanças  e pelos  ganhos do  trabalho.

O signo Capricórnio é um signo que tem regência  de Saturno, e este impele os nativos para procurar posições de influência e de liderança, bem como para acumular o maior número de bens e de riqueza. As pessoas com a influência deste signo são capazes de estabelecer compromissos e de trabalhar duramente para atingir a posição desejada. As áreas dos negócios, da Política, da gestão administrativa , da prática das Leis, são algumas das posições que se adequam a este signo, para além de todas aquelas menos qualificadas que incluem todo o trabalho baseado na força física e algum trabalho «sujo» como o trabalho mineiro, por ex.. Este signo foca-se nos objetivos- acumular o máximo de riqueza e de influência social possíveis- sem ter medo de deitar literalmente as mãos ao trabalho. Em caso de necessidade, mesmo os mais qualificados aceitarão trabalhar em posições servis ou  fisicamente duras, se a sua sobrevivência ou estilo de vida  depender disso. Este signo também inclina os nativos para a avareza e para a concentração egoísta em si mesmos, sempre que se trata de dinheiro e da sua acumulação. Este traço mantém-se mesmo quando o Ascendente é  o liberal signo de Sagitário, pois estas pessoas nunca gastarão mais do que consideram ser seguro gastar ou investir.

Os nativos com o signo Capricórnio na 2ª casa   são  deste modo muito trabalhadores levando muito a sério tudo o que tem a ver com o trabalho e com  a acumulação de riqueza. Saturno  também rege a 3ª casa e, por isso, estas pessoas usam habitualmente os seus dons naturais e capacidade de aprendizagem como recursos que aplicam na sua profissão e na forma como ganham a vida. Boa parte do seu interesse e motivação consiste em acumular bens e riqueza, embora não necessariamente com o objetivo de serem ricos. Trata-se ,antes de mais,  de provarem a sua capacidade de empreendedorismo e de iniciativa, que é uma forma de descobrirem a sua própria identidade. Gostam de se testar e de descobrir que conseguem, através do seu esforço, motivação e trabalho, alcançar tudo o que se propõem. A sua abordagem séria  desta área de vida  e o seu conservadorismo, paciência e persistência, associados a hábitos consistentes de poupança, faz com que sejam capazes de evitar  problemas financeiros, embora os aspetos para a  2ª casa e a posição de Saturno  no horóscopo devam ser considerados  (uma má colocação de Saturno ou a sua fraqueza devido a mais aspetos, poderá fazer com que estes nativos passem por muitas dificuldades financeiras ao longo da vida).  Isto porque, em termos financeiros, estas pessoas  só ganham dinheiro através do trabalho, a «sorte» de dinheiro não ganho é realmente rara: precisam de trabalhar para conquistar tudo o que têm. A boa notícia é que, desde que Saturno esteja bem colocado, estas pessoas usam o dinheiro de forma sensata e vivem habitualmente bastante bem.

Saturno, o regente de Capricórnio,  possui uma energia fria, rígida e conservadora, que pode orientar-se de duas formas bastante antagónicas: orientado para a procura de bens materiais, de modo a satisfazer fins egoístas, ou para o ascetismo e a frugalidade, podendo  satisfazer-se com muito pouco e privilegiar a «renúncia ao mundo» sem se e importar com uma vida que parece à maioria miserável e pobre. De um modo ou de outro, sente sempre o impulso do «self made man», o que significa que, para os nativos influenciados pela sua energia, trata-se sempre de chegar a um ponto diferente e muito mais elevado em relação ao ponto de partida. As ambições podem ser diferentes quanto ao objeto, mas a ambição está sempre lá: o impulso para subir, para alcançar um estatuto que não se tem quando se começa. Um e outro exigem trabalho e esforço: do nativo que procura ascender materialmente a pulso  até uma posição socialmente influente; daquele  que decidiu ganhar a batalha dos desejos humanos e atingir um estado espiritualmente desenvolvido em que controla completamente todos os aspetos materiais da vida para deixar apenas florescer os espirituais; num caso e no outro é preciso trabalhar duramente e incansavelmente. Para o comum dos seres humanos, a presença de Capricórnio na 2ª casa tem sempre a implicação de  ter que trabalhar para ascender à posição desejada, de forma dura e nem sempre bem remunerada. O impulso para liderar é também forte e, dependendo da origem social, estas pessoas  tanto podem tornar-se lideres de um sindicato ou organização de operários ou trabalhadores como ascender a cargos executivos, empregos na indústria, na engenharia, na administração pública, etc.

A educação nos primeiros tempos de vida pode não ser fácil para todos estes nativos, a menos que a 2ª casa receba bons aspetos: podem ter parecido mais lentos a aprender do que a maioria, mostrando indolência para aprender as matérias que não lhes interessavam. Por outro lado, podem ter revelado um interesse vivo por saberes de natureza mais prática ou relacionados com temas do seu interesse, uma vez que, habitualmente, estas pessoas sabem desde cedo o que querem alcançar na vida e focam a sua atenção nos seus objetivo.