Signo Caranguejo na 5ª casa do Horóscopo

Signo Caranguejo na 5ª casa

Continuamos a descrever os efeitos dos signos nas casas do  horóscopo, hoje com a descrição dos efeitos do signo Caranguejo  na 5ª casa do horóscopo. Para uma breve descrição dos significados da 5ª casa, por favor clique aqui.

Quando o signo Caranguejo ocupa a 5ª casa do horóscopo- o que acontece para o Ascendente Peixes–  os nativos têm uma mente muito intuitiva e a sua criatividade  é inseparável dos afetos e das emoções. A inteligência, a imaginação e a emoção andam de mão dadas na compreensão, esta pessoa pensa através do que sente e decide, provavelmente, a partir dessa mistura de pensar/sentir integrada no seu ser.

Estes nativos são muito sensíveis e a sua mente vagueia continuamente pela bruma de velhas memórias, a partir das quais  visualizam novas ideias e projetos. São também muito sensíveis às crianças e podem desenvolver projetos e ideias que lhes são dirigidos ou em que as crianças têm um papel fundamental.  Podem ter filhos cedo na vida e nutrem-nos com grande carinho, daí recebendo também uma profunda retribuição emocional. Ou, na ausência de filhos, podem escolher hobbies ou atividades de lazer dirigidas às crianças, de certa forma retirando de tudo o que lhes dão, a gratificação das memórias ancestrais da sua própria infância feliz, tanto real como imaginada. Para estas pessoas, o contacto com crianças é fonte de equilíbrio e de felicidade, talvez como revivescência de um ideal de felicidade que guardaram  ou criaram na imaginação, podendo por vezes indicar uma espécie de «complexo de Peter Pan» ou o desejo consciente ou inconsciente de nunca abandonar o mundo maravilhoso das fantasias e da imaginação, associado à proteção e segurança da infância.  Por essa ou outra razão, tendem a desempenhar o papel de «mãe» também com os parceiros românticos, gostando de os nutrir e de sonhar com eles uma noção de «amor de conto de fadas», perfeito e feliz para sempre.  Apreciam  estar em casa, usufruindo dos confortos do lar, escolhendo hobbies como tricô ou croché, cozinhar, etc.. Podem também manter segredo de algum dom criativo que só revelam «em família». O excesso emocional nos relacionamentos pode gerar dificuldades, até que aprendam a ser menos idealistas e um pouco mais pragmáticos. Estes nativos precisam de obter reconhecimento imediato da sua criatividade ou inteligência, e também de serem correspondidos com a mesma ênfase em todas as  emoções que exprimem perante os outros e o parceiro romântico.

O Signo Caranguejo é  um signo fortemente intuitivo e imaginativo, protetor, procurando a cada momento assegurar a segurança . A instabilidade do seu regente, a Lua, em conjunto com a necessidade  de aprovação por parte dos outros pode implicar, quando  ocupa a 5ª casa, múltiplos relacionamentos que deixam estas  pessoas insatisfeitas pois não lhes fornecem  o «alimento» de que necessita, nem a mesma profundidade de envolvimento na relação e, por essa razão, algumas destas experiências podem ser bastante dolorosas. Esta é uma posição em que os nativos  precisam de receber do outro  inspiração para criar, seja uma obra ou projeto seja uma relação, que criam primeiro   na sua mente e imaginação, nutrindo-a com mil fantasias e emoções que, depois, não obtêm correspondência no relacionamento real, levando à deceção.    A Lua, o regente de Caranguejo, simboliza a mãe, a proteção mais básica e essencial das matrizes de vida  e estas pessoas precisam de sentir que o parceiro a quem se dedicam é capaz de lhes devolver a atenção, carinho e proteção que eles próprios também lhe dão. Torna-se assim muito difícil corresponder ao que procuram tão intensamente e atingir o mesmo plano de dedicação que  devotam aos outros. Esta é uma lição que precisam de aprender, embora seja difícil, pois tendem a reagir com as emoções, mais do que com a razão.

Os filhos destes nativos são em geral alvo de muitas atenções e devotado amor. Crescem assim num ambiente de amor e segurança. Estas pessoas gostam de ter filhos e procuram tê-los cedo na vida. Porém, o excesso de protecionismo e de cuidado que lhes dedicam pode ter  também o seu lado menos compensador: para os filhos, que veem o progenitor «tomar conta» de todos os aspetos da sua vida e que, a partir de certa altura, veem essa omnipresença como uma invasão do seu direito de  autonomia; e, para o nativo, que tende a idealizar os filhos e pode sobrepor-se à vontade destes, querendo decidir o futuro por eles, sempre pronto a  tomar decisões por eles, baseado na perceção de que é a pessoa que sabe «o que é melhor para eles». Assim, há que não cair na armadilha de pensar que os filhos são «algo que lhe pertence» e cujos sonhos de futuro podem manejar à vontade, caso contrário poderão receber uma reação bastante violenta (e em grande parte injusta) destes , que poderão querer libertar-se de um progenitor ou progenitora «sufocantes».

Na educação, estas pessoas  responderão melhor a um ambiente criativo e simultaneamente emocional. Gostarão de receber dos professores a cada instante o reforço do reconhecimento pelo bom trabalho. Terão bons resultados nas tarefas que exigem criatividade e emoção, talvez não se interessem muito por matérias exclusivamente lógicas ou pragmáticas. A arte e saberes e práticas associados serão provavelmente preferidas.  Aprenderão bem se houver uma relação de empatia com os professores. Se não gostarem dos professores, o mais certo é não se interessarem por aprender. A inteligência destes nativos é fortemente emocional , sendo capazes de aprender melhor através de exemplos reais de vida, por ex., através de estórias e de casos concretos que lhes chamem a atenção ou considerem sugestivos. Conhecimentos meramente teóricos  dificilmente deixarão rasto na sua memória.