O Brihat Hora Sastra e a Classificação das Casas Maléficas do Horóscopo

bruhat
Antes de  iniciarmos a apresentação da natureza funcional dos planetas de acordo com o estabelecido na obra «Brihat Hora Sastra» , para que os nossos leitores não fiquem baralhados, vamos primeiro analisar a descrição  que é feita nesta obra de algumas casas do horóscopo e vamos comentando e acrescentando as nossas conclusões.
Assim, tendo em conta as regras definidas nesta obra e referidas no artigo anterior  vamos começar por uma breve referência ao que se diz na obra mencionada para classificação  das casas do horóscopo cujos regentes o cap. 34 do livro referido considera que «são sempre maléficos». Usaremos as próprias palavras atribuídas a Parashara:

Características Gerais da 2ª, 3ª, 7ª e 11ª casas do Horóscopo Segundo «Brihat Hora Sastra» *

* Não consideramos aqui a 6ª pois estamos de acordo com a sua caracterização como casa maléfica.
 
2ª casa do horóscopo- Efeitos da 2ª casa: «combinações para riqueza. Se o regente da 2ª casa estiver aí colocado ou numa casa kendra ou trina, promove a riqueza financeira. A pessoa será pobre se o regente da 2ª estiver colocado numa casa maléfica ao mesmo tempo que o regente da 11ª também está mal colocado e a 2ª está ocupada por um planeta maléfico.» Esta descrição dá-nos a  saber que a 2ª casa tem uma importância extraordinária na vida de todos nós e que tem resultados muito positivos na nossa vida pois sem os recursos necessários para nos sustentarmos, a existência torna-se impossível. A conclusão que se tira é que não é lógico considerar que o regente da 2ª casa é sempre maléfico.
Sabendo que Parashara foi um grande mestre  cuja sabedoria é incontestável, temos que admitir que falta acrescentar mais  informação que nos permita concluir porquê e em que condições o regente da 2ª casa se torna mau. E aqui lembramos outro significado desta casa , que é  uma casa maraka , isto é, o seu regente é capaz de causar a morte  do nativo, no seu período dasha ou subperíodos em outros dashas. Mas, como Parashara nos diz a propósito de todos os planetas, é preciso que o regente da 2ª casa esteja fraco/aflito para ter esse poder fora do tempo devido pois a morte, tal como o nascimento, é uma circunstância pela qual todos teremos que passar e é um acontecimento natural, a menos que a vida nos seja roubada por causas não naturais.
Um regente forte e não aflito no horóscopo não produz a morte fora de tempo, como  as investigações empíricas dos astrólogos védicos desde há milhares de anos têm confirmado. E hoje isto é ainda mais verdade porque , se há milhares de anos e ao longo de muitos séculos, a vida humana foi sempre muito  frágil, levando os estudiosos a temer todos os indicadores da sua ocorrência pois a esperança de vida não era comparável à dos dias de hoje, atualmente, com os progressos da ciência e com a proteção  da vida de que dispomos, não faz qualquer sentido encarar a 2ª casa como uma casa maléfica por estas razões. Apenas se torna maléfica quando o seu regente é fraco pois aí torna-se incapaz de proteger os seus significados positivos.
 
3ª casa do horóscopo- Esta casa teve uma importância considerável nos tempos antigos, tempos em que  «o número de braços» disponíveis para contribuir para a economia familiar baseada no trabalho do campo e  no desempenho dos vários ofícios o número de irmãos era muito importante- quando maior o número de irmãos, mais fácil seria a vida do nativo pois o trabalho seria distribuído por mais pessoas, libertando-o um pouco mais para viver a sua vida sem  excesso de trabalho. A 3ª casa é a casa dos irmãos e este é o significado que sobressai na análise do «Brihat Hora Sastra». Mas a 3ª casa é também a casa da coragem e da bravura, das iniciativas e da motivação que nos leva a fazer coisas no mundo. Vejamos o que nos diz o texto: «se o regente da 3ªcasa estiver associado com Marte (significador da casa) ou em aspeto com a 3ª casa, o nativo gozará de bons resultados». «Se o regente da 3ª ou Marte, está numa casa angular ou trina ou no signo de exaltação ou em boas divisões (navamsa, etc) terá irmãos e receberá felicidade deles». Ora, estes são bons resultados, tanto no tempo em que Parashara viveu como nos dias de hoje. Para além disto, a 3ª casa simboliza também todos os processos de comunicação, de escrita, os talentos artísticos, etc. e estes são também bons resultados. É claro que, quando o seu regente é fraco e /ou a casa recebe aspetos de planetas maléficos, torna-se negativa. Mas isso também sucede com todas as outras casas do horóscopo. 
 
7ª casa do horóscopo- As considerações que fizemos na 2ª casa acerca do facto de essa ser uma casa maraka aplicam-se também a esta, pois a 7ª também é considerada uma casa maraka. Pedimos ao leitor  que reveja o que escrevemos a este propósito na descrição  da 2ª casa. 
Mas no «Brihat Hora Sastra» as referências fundamentais que descrevem a 7ª casa são muito positivas: «Se o seu regente está no próprio signo ou no signo de exaltação, o nativo será completamente feliz no casamento e com o cônjuge». «Se o regente da 7ªcasa for forte, se receber  aspeto de um planeta benéfico, o nativo será rico, honrado, feliz e afortunado.» Ora, ao lermos esta descrição, ficamos perplexos quando somos confrontados,  no cap. 34 , com a afirmação de que o regente desta casa deve ser considerado maléfico. Isto só faz sentido quando  pensamos no caráter maraka desta casa mas, a este respeito, voltamos a referir que é preciso que o regente da 7ª casa seja fraco e esteja aflito para adquirir o poder de causar a morte fora de tempo ao nativo. Por isso, dado que os significados positivos desta casa prevalecem , a classificação do seu regente como maléfico é destituída de fundamento. O texto atribuído a Parashara  sobre esta questão não pode ser aceite sem sentido crítico.
 
11ª casa do horóscopo-  E, finalmente, temos a 11ª casa do horóscopo. Esta é a casa dos ganhos e Parashara não se cansa de o mencionar: «quando o seu regente está colocado na própria casa, ou numa casa angular ou trina,  o nativo obtém muitos ganhos. De modo semelhante, se estiver exaltado, mesmo que esteja combusto, trará muitos ganhos». Agora, o que leva muitos astrólogos a acreditarem que o regente da 11ª casa «é o mais maléfico de todos?» Para o compreendermos, temos que nos lembrar de que a Astrologia Jyotish surgiu como parte integrante da Filosofia Védica que tinha por objetivo promover o desenvolvimento espiritual dos seus estudantes. A 11ª casa, ao mostrar os ganhos materiais, pode indicar uma inclinação para a ganância e para o desejo excessivo de obter posses no mundo material. Em termos morais,  portanto, é uma casa «potencialmente má.» Porém, ela também significa a realização dos nossos desejos e muitos destes não têm necessariamente a ver com dinheiro; também significa o prestígio que podemos obter  como resultado da nossa vida em comunidade e do nosso esforço pessoal  no trabalho e na carreira, e os amigos  e o círculo social que conquistamos  nesse percurso. Por isso ela refere-se também  às nossas posses no plano social , que são de caráter valorativo e não material. Ora, quem pode descrever estes significados , que são a própria razão  de ser da vida em sociedade, como maléficos? Parece-nos por isso  não fazer qualquer sentido a caracterização desta casa como maléfica,  respeitando a própria caracterização que Parashara faz dela.
E depois deste esclarecimento, necessário para ultrapassar dúvidas na nossa terminologia e conceções, passaremos no próximo artigo à natureza funcional dos planetas de acordo com as regras já mencionadas do «Brihat Hora Sastra».