Conjunção Sol Júpiter na 8ª Casa signo Escorpião

Conjunção Sol Júpiter na 8ª Casa signo Escorpião capa

Para saber os efeitos do Sol na 8ª casa leia o artigo aqui.

Quando Júpiter está colocado na 8ª casa expande os assuntos e significados desta casa o que significa que pode multiplicar fontes de riqueza ocultas (tesouros escondidos), conhecimento acerca do oculto e dos seus processos, pode indicar cirurgias, muitos processos de transformação da identidade, expansão da riqueza conjunta adquirida com o cônjuge, etc..Pode também ter ajuda de vários membros da família do cônjuge.

Na 8ª casa Júpiter está bem colocado, ajudando todos os processos de renascimento e transformação individual. As experiências da 8ª casa, mesmo podendo ser traumáticas, oferecem uma oportunidade escondida de desenvolvimento pessoal. Ao longo da vida o indivíduo pode desempenhar muitos papeis e, desse modo, multiplicar as facetas da  sua identidade.

Numa natividade em que o cônjuge é masculino (simbolizado por Júpiter) este pode ser alguém muito conhecido num ambiente rodeado de segredo ou confidencialidade. Pode também ser um herdeiro com bens significativos, ou ter profundo segredo oculto ou ainda muitos bens escondidos. Fontes não muito claras de riqueza são frequentes e o nativo beneficia das mesmas. O comportamento do cônjuge em relação aos bens de riqueza é evasivo e algo misterioso,  ele pode ter mais bens do que os que declara (inclusive ao cônjuge). Por sua vez, os nativos adotam um comportamento tácito de compreensão da importância do segredo em relação a essas matérias e não fazem perguntas aceitando a situação da qual beneficiam claramente. As mulheres com esta posição de Júpiter também ganham com alianças ou acordos (financeiros ou de negócios) secretos ou escondidos podendo aumentar bastante o seu rendimento. Para ambos os sexos há em geral uma boa parte de riqueza conjunta que se mantém escondida e esta tanto se refere a bens materiais como conhecimento e ambos sentem o conforto, ao longo da vida, de poderem contar com riqueza sempre que esta é necessária. Nas natividades masculinas, a posição de Júpiter na 8ª casa conduz a relacionamentos sexuais que se multiplicam fora do casamento e os nativos conseguem esconder tudo isso, mantendo a sua boa imagem social pois Júpiter protege a reputação da pessoa, quando aqui colocado.  A colocação de Saturno nesta casa ou o seu aspeto para esta casa pode reduzir os efeitos materiais da colocação de Júpiter embora possa aumentar a longevidade do nativo.

Os parceiros destes nativos são em geral amigáveis e otimistas, compassivos e generosos e são inclinados para a espiritualidade ou a religião. Tendem  também a engordar. A riqueza e bens de fortuna disponíveis aumentam com o casamento e a família do cônjuge contribui para a felicidade do casamento. Esta pode ,no entanto, ser algo perturbada pela tendência que o cônjuge tem de se dedicar a causas humanitárias ou à religião, podendo negligenciar as necessidades do nativo.

Júpiter é o planeta karaka dos filhos e, nesta área, a colocação na 8ª casa não é muito favorável embora não impeça  totalmente a possibilidade de ter filhos.

Segundo os clássicos, a colocação de Júpiter na 8ª casa indica caráter contraditório do nativo: ao mesmo tempo que mantém uma imagem de respeitabilidade, o comportamento sexual é promíscuo e o indivíduo mantém uma vida secreta de relacionamentos sexuais escondida dos olhares públicos. Adota um tom moralista em público mas a sua vida familiar não é muito feliz.. A sua vida será longa ainda que nem sempre saudável.

Segundo as mesmas fontes, num mapa feminino, esta posição de Júpiter indica falta de virtude e de vergonha (apesar do  discurso ser diferente, sendo complacente para com os homens, o comportamento é semelhante e refere-se aos desejos sexuais que multiplicam relacionamentos extraconjugais); dizem ainda que será glutona, terá mãos gordas  e poucos filhos.  (provavelmente os homens terão os mesmo efeitos mas estes não são referidos pelos antigos, evidentemente orientados para favorecer os homens , acreditando que na sua natureza superior»).

Ainda segundo os clássicos, a posição de Júpiter na 8ª casa favorece a aquisição de conhecimento profundo dos textos de sabedoria clássicos  e os valores mais elevados da vida. Estes nativos podem também ser adeptos da prática de penitências como forma de purificação espiritual. Ao mesmo tempo, a natureza fortemente sexual inclina para os relacionamentos e o casamento, muitas vezes com viúvos(as) ou pessoas com inclinação religiosa. Os nativos morrem de morte natural e de forma pacífica. Podem sentir-se sempre adoentados. Têm longevidade mas pouca saúde. Ficam pouco tempo na casa paterna e podem mudar bastante a aparência física e a residência. O nativo é instável e pode sentir-se preso (pelas circunstâncias) ou ser preso fisicamente. Fará peregrinação a lugres santos.

Para saber os efeitos da colocação do Sol  no signo Escorpião leia o artigo aqui.

Quando Júpiter está colocado no signo Escorpião os nativos encaram os múltiplos processos de transformação como algo positivo e com esperança de que trarão resultados positivos. São adeptos da auto descoberta e do estudo dos mistérios (sagrados) e dos seus rituais. Com  esta posição de Júpiter são de esperar mudanças e eventos inesperados que servem de catalisador de mudanças na identidade, e estes podem ser mais ou menos fáceis de enfrentar de acordo com a casa  ocupada pelo signo Escorpião. Quando esta coincide com a 8ª, estes processos têm um papel predominante na vida dos nativos que «nascem e morrem diversas vezes ao longo da vida terrena». Renascimento e rejuvenescimento  (pelo abandono de modos de ser sentir, apegos, hábitos etc., do passado) são chave nesta posição.  Estes nativos sentem a cura profunda que advém do conhecimento profundo dos mistérios e «verdades sagradas» e dos processo de transformação por vezes traumáticos por que passam. Confiam de forma inata na proteção oculta divina e são autoconfiantes, mostrando uma fé inabalável  em relação ao que lhes acontece. Alguns podem mesmo tornar-se arrogantes a este respeito.

Júpiter e Marte, o regente de Escorpião são amigos e a relação entre ambas as energias produz indivíduos inteligentes, capazes não só de compreender intelectual e intuitivamente mas também de aplicar na ação o que compreendem e conhecem. A sua mente é capaz de indagar as causas mais profundas e escondidas das coisas, tendo assim um poder muito forte de compreensão da realidade. Têm também uma curiosidade imensa de explorar todos os mistérios  da vida e da morte, tudo o que é  secreto ou está escondido , tudo o que é desconhecido. Estes nativos sentem assim um desejo de ir para além de tudo o que conhecem de explorar fronteiras , medos, inseguranças, etc.. No plano pessoal  isto pode ser extraordinariamente útil pois são capazes de escavar todos  os seus medos e inseguranças e trazê-los a plena luz para os compreender e superar, de forma mais fácil do que para a maioria. Têm também um enorme poder de sedução e de manipulação sendo capazes de se insinuar junto de quem quer que seja e de trazer à luz todos seus segredos, usando isso da forma que melhor lhes convém , o que pode ser simplesmente para, desse modo, obterem maior poder sobre alguém.

Outra característica nem sempre favorável  nestes nativos é a tendência  para recorrer a formas subtis ou escondidas de controlo dos outros e de tentativa para aumentar o seu poder sobre a realidade, podendo usar conhecimento oculto que dominam, magia, e quaisquer outros recursos escondidos de que disponham para alcançar mais poder. Nesse sentido procuram  tornar-se próximos de pessoas poderosas para atingir os seus objetivos de mais poder e riqueza e expandir a sua imagem e reputação. Muito deste resultado depende, no entanto, do desenvolvimento espiritual da pessoa (e da força de Marte e Júpiter no horóscopo): indivíduos mais evoluídos espiritualmente terão preocupações éticas que levam a desvalorizar o poder e escolher em vez dele a generosidade compassiva de ajudar os outros com o seu saber. São em geral místicos natos, embora o lado para o qual se inclinam só possa determinar-se pela escolha que fazem da simbólica «do bem e do mal». Alguns podem manifestar este «conhecimento do que está escondido» de forma mais material, tornando-se exploradores (do mar, do espaço, de regiões inóspitas, arqueólogos da busca de tesouros perdidos, etc.). Podem ainda tornar-se investigadores- forenses, criminais, pessoas que «escavam» os segredos de outros e os expõem a plena luz, usando por ex., a internet, etc., espiões, serviços de «intelligentsia» e de tudo o que em geral se esconde da informação pública geral. Nos negócios, estas pessoas são capazes de encontrar informação privilegiada que lhes pode dar muito poder. No entanto, a natureza benéfica de Júpiter não permitirá um uso eticamente  incorreto dessa informação a menos que Marte, o dispositor de Júpiter, esteja fraco ou mal colocado no horóscopo (debilitado, colocado numa casa dusthana, recebendo o aspeto de maléficos, etc). quando isso acontece, o indivíduo adota  estratégias de manipulação que não conhecem outros limites além do  próprio interesse do nativo.

Quando o Sol e Júpiter estão conjuntos na 8ª casa ou no signo Escorpião

Em primeiro lugar convém ver qual dos planetas controla a conjunção pois os efeitos desta podem variar bastante. Por ex., quando o Sol controla a conjunção (por estar mais forte por signo ou por estar num grau anterior ao de Júpiter no signo) o indivíduo pode concentrar-se totalmente de forma intensa e obsessiva, nos relacionamentos, procurando alcançar satisfação emocional e sexual; procurará brilhar nesses relacionamentos mas, provavelmente, concentrar-se-á nas suas necessidades e aprenderá a manipular, a partir do conhecimento psicológico profundo  dos parceiros, usando o outro para satisfação pessoal sem problemas maiores de consciência.  Estes nativos têm um conhecimento profundo da natureza humana e Júpiter dá-lhes uma apreensão intuitiva muito forte acerca da natureza e do caráter do parceiro, de modo que se torna muito fácil manipulá-lo e levá-lo a comportar-se e a ser exatamente da forma como o nativo quer que este seja. Mas, se é Júpiter que tem a primazia, a sua natureza generosa e verdadeira recusa as estratégias manipulatórias ou o uso do outro de forma egoísta e a pessoa é generosa, usando o seu conhecimento profundo para ajudar os outros como acontece com a polícia de investigação, os militares, sacerdotes, professores, etc..

A conjunção do Sol e de Júpiter na 8ª casa ou signo Escorpião torna o nativo um profundo conhecedor do oculto, um místico e/ou um mago, um psíquico que procura e encontra pessoas perdidas ou escondidas, um investigador apurado de mistérios e segredos de todos os tipos, um perito na decifração de linguagens secretas, etc.. Esta conjunção tem em geral efeitos muito positivos em termos materiais e o nativo pode adquirir muita riqueza através dos parceiros, tanto de negócios como de casamento e também a partir da família do parceiro de vida; mas, no plano pessoal, pode haver pouca felicidade porque a necessidade de envolvimento emocional com  os parceiros pode ser tão forte que a concretização material da relação fica sempre aquém das expetativas.  Com o tempo, estas pessoas precisam de aprender a preencher o vazio emocional que sentem a partir das suas próprias experiências interiores e a não depender tanto dos outros para conseguirem alcançar esse preenchimento emocional. Até isso acontecer (e se acontecer, no espaço de uma vida) multiplicarão relacionamentos atrás de relacionamentos, provavelmente de forma secreta, procurando preencher esse vazio. Alguns podem ter a sorte de encontrar um parceiro tão intensa e fortemente comprometido com o relacionamento que será capaz de lhes devolver  o absoluto emocional que procuram, pelo menos durante algum tempo mas, para a maioria, mantém-se o sabor amargo de desejar muito mais do que se recebe por parte dos outros e a insatisfação por ter consciência de que dão muito mais de si aos outros do que recebem destes. O papel de Júpiter, justamente, quando isso ocorre é ajudar o nativo a deixar ir relacionamentos que não são gratificantes por lhes faltar uma dimensão verdadeira e justa, ajudando o nativo a libertar-se do peso das suas próprias emoções e apegos. Neste caso Júpiter ajuda o nativo a extrair sabedoria do seu próprio sofrimento e  dá-lhe força para seguir em frente, saindo de uma relação que não é satisfatória sem fazer um drama disso. O pai ou uma figura paternal de substituição é ,com frequência, um guia e um apoio destas pessoas e ajuda o seu processo de transformação ao longo da vida.  Os nativos com esta conjunção sentem necessidade de grande devoção por parte dos parceiros e têm dificuldade em aceitar menos do que isso. O excesso de confiança e o grande orgulho que os caracteriza pode ser fonte de distorções em relação às suas reais capacidades e possibilidades. A pessoa sente-se bem , sente-se importante, com poder semelhante a uma figura real e sente vaidade dos seus talentos e capacidades. Quando o Sol é mais forte do que Júpiter isto pode produzir um dogmático sedento de poder e de vontade de controlar tudo e todos, usando o seu conhecimento profundo para esse fim e tornando-se um qualquer tipo de ditador, seja no campo político, moral, religioso, ou numa qualquer organização que esteja sob o seu controlo. A avaliação do estado de Júpiter e do Sol e do seu estatuto funcional é assim essencial para analisar de forma correta esta conjunção. Quando esta se dá no signo Escorpião mas numa casa diferente da 8ª, os efeitos podem ser menos intensos e ficar-se pelo plano mais pessoal dos relacionamentos pessoais nas relações «eu-tu» do nativo. Uma forma positiva de exprimir esta energia é através da sua canalização para uma carreira inovadora na investigação científica, na prática da cirurgia, na carreira militar ou diplomática, no ensino e terapia psicológica, etc., porque estas são carreiras em que o nativo presta serviço aos outros, sacrificando uma parte da sua vida pessoal para esse efeito. Isso acaba por ter efeitos positivos com o passar do tempo.

Deixe um comentário