Conjunção Sol Saturno

conjunção  Sol Saturno capa

O Sol e Saturno são grandes inimigos. A conjunção das suas energias tem por isso sempre alguma coisa de traumático. A relação «pai filho» é um tema presente nesta conjunção e, simbolicamente, a tensão entre o indivíduo e os seus interesses, a criatividade, a personalidade e as instituições, a autoridade, o poder instituído.  A liberdade contra as leis , a criatividade individual contra a estagnação conservadora das normas, são aspetos sempre presentes nesta conjunção.  Quando o sol está nos signos de Saturno, a sua criatividade e individualidade fresca e dinâmica são abafadas e restringidas e não podem expressar-se no mundo cristalizado e fixo de Saturno. Deste modo, o poder de iluminar do Sol perde-se no mundo das convenções e regras sociais, que hierarquizam e distribuem poder a todos os que respeitam e observam todas essas regras. Não há prémios para os que insistem na rebeldia. Deste modo  o Sol perde a sua identidade quando está nestes signos ou associado a Saturno. Nesta situação os indivíduos conformam-se às regras sociais e procuram obter recompensas e privilégios por essa observância. Mas Saturno também não atua bem no signo do Sol, provocando a necessidade de se esforçar por provar o direito aos privilégios da autoridade, procurando mais as vantagens sociais da sua posição de autoridade do que a expressão natural decorrente da admiração que os outros fazem do seu talento pessoal e das suas qualidades. Os títulos e posições tornam-se, também aqui, mais importantes do que o poder criativo individual.

Quando Saturno está conjunto com o Sol num arco de 15º ou menos, fica combusto pelo Sol. Nessa circunstância, o resultado é uma expressão para o autoritarismo, rigidez de princípios, excesso de austeridade nos hábitos- o indivíduo jejua ou penaliza o corpo sem piedade para se purificar- e, se tem algum cargo de autoridade sobre outros ,exerce a mesma disciplina árida sobre todos exigindo uma rígida e muitas vezes impiedosa conformação com todas as regras estabelecidas. Saturno combusto fica desprovido de toda a humanidade e compaixão, tanto consigo próprio como com os outros, usando os «castigos» de forma abundante e sempre que pode. Mas, ao mesmo tempo, o indivíduo torna-se um autocrata isto é, ele faz as regras para os outros cumprirem, sem que se sinta obrigado ele próprio a cumpri-las. Assim, pode manifestar desrespeito e desconsideração por todas as normas sociais que regulam o comportamento dos membros da sociedade numa clara expressão de que a lei é fundamental-  para os outros.

A fraqueza de Saturno, por combustão, também faz com que os nativos sejam pouco eficientes a gerir o tempo (Saturno significa o tempo) e sejam incapazes de, por exemplo, estar a horas nos compromissos que estabelecem. Podem também revelar pouca consideração pelos mais velhos, pelos trabalhadores, etc..

A análise dos efeitos da conjunção Sol Saturno necessita de ter em conta, para além dos aspetos referidos, o signo e a casa em que calha e qual dos dois está num grau inferior do signo. O Sol está ligado à ideia de autoridade, governo; Saturno refere-se ao dever e responsabilidade. Assim, quando ambos ficam conjuntos, o indivíduo tem um sentido extremamente forte de que é o seu dever agir de uma  certa forma ou atingir certos objetivos. Saturno é também um administrador, um organizador, simboliza a disciplina no exercício do poder. De acordo com a casa e signo em que a conjunção se dá, os nativos desenvolvem um forte sentido de responsabilidade em relação a essa casa e são, em geral, também confrontados com a realidade de terem que assumir deveres em relação aos assuntos dessa casa. Sentem-se interiormente compelidos a fazê-lo. Um grande esforço terá que ser desenvolvido em relação aos assuntos dessa casa..

A conjunção Sol Saturno também dá aos nativos o desejo inato de ocupar posições de liderança e de governo, inclusivamente no plano político. Mas Saturno, em geral, obriga a pessoa a servir, a prestar serviço em relação aos assuntos da casa em que ambos estão colocados. Saturno ultrapassa o poder do Sol neste constrangimento pois o dever que impõe tem natureza kármica.  O Sol só consegue começar a sair deste «abraço» sufocante depois dos 37 ,38 anos. É claro que , quando Saturno tem o grau mais baixo, tem a posição mais forte na matriz de desenvolvimento do «self»: leva a pessoa a ser trabalhadora, esforçada e responsável, abafa o orgulho do Sol e produz uma pesoa humilde e a querer servir o governo e a causa pública, de forma não egoísta.

Quando o Sol tem a posição inferior por grau, o nativo continua a ter sentido de responsabilidade mas deseja alcançar posições de autoridade , embora também tenha sentido de serviço; deseja os títulos e privilégios de um governante e quer brilhar por si mesmo. Serve porque quer ser admirado e reconhecido pelo bem que faz. Aqui o Sol eleva a necessidade de autoestima do indivíduo através da admiração dos outros. Quando estes indivíduos não atingem posições de autoridade, ficam frustrados pois são privados de ocupar um lugar visível e predominante. Mas, quando Sol está debilitado, o reconhecimento torna-se mais difícil pois a debilitação do Sol nega o reconhecimento do ego. Por usa vez, mesmo quando o Sol tem o grau inferior no signo de Balança, Saturno está aqui exaltado e é muito mais forte do que o Sol o que provoca bastante frustração pois torna-se difícil que os outros reconheçam o seu valor.  A não ser que o indivíduo se ocupe dos assuntos da casa oposta à da conjunção Sol Saturno. pois aí o Sol está exaltado e Saturno está debilitado.

 

Relacionado

Deixe um comentário, a sua opinião conta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.