Signo Capricórnio na 9ª Casa do Horóscopo

signo Capricórnio na 9ª casa do horóscopo capa

A 9ª casa é uma casa trikona   que está relacionada com a sorte e a fortuna, com o pai os valores mais elevados, os estudos superiores, etc. Para ler um breve resumo dos significados da 9ª casa,  veja o artigo aqui.

Para ler um artigo mais desenvolvido sobre os significados da 9ª casa, clique aqui.

Quando o signo Capricórnio está colocado na 9ª casa- o que acontece para o Ascendente Touro – os nativos apreciam filosofias e ideias relacionadas com a tradição, com natureza conservadora e relacionada com os valores defendidos pelos costumes. Não apreciam ideias especulativas e preferem cingir-se aos princípios práticos que deram bons resultados no passado. Adotam também filosofias simples e ligadas ao dever, à responsabilidade e ao papel do trabalho no desenvolvimento da sociedade.

Com o signo Capricórnio na 9ª casa os nativos podem ser bastante rígidos nas ideias que defendem, baseando as suas convicções mais no facto de essas ideias acompanharem o homem e a sociedade desde há muito tempo do que na reflexão crítica acerca das mesmas. De resto, apreciam a ordem social e não gostam de mudanças pelo que desaprovam as teorias e filosofias que desafiam os velhos costumes e procuram substituí-los por outros. Não são adeptos do pensamento metafísico, preferindo as filosofias que se debruçam sobre a organização da vida social e política ou sobre a filosofia do Direito aplicado ao trabalho de modo a garantir condições concretas de oportunidades para todos os que estiverem dispostos a fazer  o esforço de trabalhar arduamente e, desse modo, poderem ascender em posição e privilégios sociais.  Podem simpatizar com as correntes materialistas da filosofia e com as correntes da  Ética prática. Em alternativa, podem preferir as ciências sociais à filosofia, pela maior proximidade com os problemas concretos da sociedade e a tentativa de lhes dar solução, em colaboração com as práticas políticas.

Os nativos com o signo Capricórnio na  9ª casa possuem princípios éticos  de justiça mas tendem a ser demasiado rígidos para aceitar que nem todos os indivíduos têm  a mesma perseverança e capacidade de trabalho duro e árduo para alcançar  sucesso no mundo. Tendem a adotar normas rígidas que aplicam nos seus juízos a toda a gente, sem exceção, sem atender aos contextos de vida que podem ser mais difíceis para outras pessoas, atribuindo à falta de empenho ou excesso de preguiça as suas dificuldades em alcançar sucesso. Os seus pontos de vista são muitas vezes demasiado duros  para com os outros, no que se refere à «medida do sucesso» que cada um alcança. Parecem considerar que o trabalho duro é a porta infalível para o sucesso, não valorizando outros fatores que podem impedi-lo ou dificultá-lo. Possuem uma visão hierarquizada da sociedade e uma rígida definição do «mérito», defendendo a competição entre os indivíduos na luta pelas melhores posições sociais e falta-lhes muitas vezes compaixão e compreensão para com os que são menos bem-sucedidos. Valorizam mais a conquista de posses materiais e de riqueza do que de conhecimentos teóricos ou espirituais sobre a realidade.

Os nativos  com o signo Capricórnio na 9ª casa valorizam  o princípio da autoridade e, deste modo, alicerçam as suas crenças ou na religião tradicional dos antepassados ou em ideias que interiorizaram durante a educação e que traduzem, na sua opinião, «verdades indubitáveis». Assim, a sua posição é a de se submeterem à autoridade do saber, educando os outros para a mesma submissão: «as ideias que nos transmitem são para serem compreendidas e interiorizadas, não para serem criticadas». Tendem deste modo para o dogmatismo, que é o oposto da atitude da filosofia. Por isso as suas crenças tendem a manter-se de pedra e cal, não importando o que outros argumentam contra elas. Dão-lhes segurança e uma noção de «ordem do mundo»  e isso é tudo o que necessitam, não perdendo tempo a pensar e a refletir sobre a sua bondade ou falta dela.

O signo Ascendente  Touro destes nativos  impele para  manterem um mundo estável e firme, baseado na fruição sensorial do corpo e dos seus prazeres e na ideia de que, se todos trabalharem incansavelmente, obterão os mesmos resultados positivos e serão felizes, não lhes faltando os confortos da existência física e todas a posses associadas. Há, deste modo, um fechamento total para a mudança nas crenças e atitudes em relação ao mundo e à realidade; estas pessoas não aspiram a mais do que viver com o máximo de conforto , prazer e felicidade. E acreditam que esse é o melhor destino a que se pode aspirar.

Com o signo Capricórnio na 9ª casa, estes nativos podem viajar por motivos de prazer e de trabalho. Conhecer outras culturas e seres só os motiva se puderem obter algum ganho material com isso. Embora possam ser sensíveis à ordem estética das teorias e expressões culturais, isso é pouco para levar estas pessoas a procurar viajar para lugares distantes. Essas viagens são antes vistas como potenciais oportunidades de negócio, investimento, etc. Esta motivação pode levá-los a querer aprofundar o conhecimento de línguas e da cultura de outros povos mas não como um fim em si mesmo. Até porque, depois de alcançar o desejado fruto do seu trabalho árduo, aspiram a poder «gozar» todos os prazeres com a máxima preguiça possível, enquanto «olham» a sua vida do alto das conquistas realizadas, como um grande sucesso. Estes nativos estão basicamente interessados em si mesmos e , em relação aos  outros , interessam-se na medida em que estes contribuem para a satisfação das suas necessidades.

O signo Capricórnio na 9ª casa indica  um pai   que pode ter sido bastante rígido na educação, trabalhador árduo e valorizando acima de tudo a disciplina, o dever e a responsabilidade, tendo , muito provavelmente ,incutido no nativo estes valores desde bem cedo pois o pai certamente valorizou mais o trabalho do que o lazer, transformando todas as atividades potencialmente recreativas em atividades de «trabalho»  da criança.

Os nativos com Capricórnio  na 9ª casa tendem a considerar a «verdade»  como algo de caráter prático  e inseparável da organização social e das doutrinas religiosas transmitidas pela educação desde cedo e , em geral, não sentem necessidade de colocar isso em questão.

A visão do mundo destes nativos  é estrita e pode ser duramente disciplinar, impondo uma ordem hierarquizada no plano social e do ser em que cada coisa, indivíduo ou ser tem um lugar estabelecido e em que a «subida da posição social de partida» é sempre lenta e conseguida à custa de muito esforço, trabalho e obediência à hierarquia que detém o poder e a influência.

Deixe um comentário, a sua opinião conta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.