Glossário astrológico- Gemas Pedras e Astrologia

O nosso título de hoje poderá parecer, aos mais distraídos, estranho ou bizarro mas a verdade é que, desde a mais remota antiguidade, tem sido referida  a correlação entre a energia dos planetas e as gemas ou pedras preciosas ou semipreciosas. Na verdade, cada planeta tem uma  pedra ou gema associada primariamente e também algumas outras que podem ser associadas secundariamente. Embora a cor das gemas e pedras seja um fator importante, a associação entre os planetas e as pedras obedece a uma lei de correspondência que implica uma frequência vibratória semelhante entre ambos e é considerada da maior importância nas práticas da Astrologia Jyotish.

Segundo a tradição, são as seguintes as gemas associadas primariamente para cada planeta: O Rub para o Sol, a Pérola para a Lua; o Diamante  para Vénus; a Esmeralda para Mercúrio; o Coral Vermelho para Marte, a Safira Amarela para Júpiter; a Safira Azul para Saturno; a  Essonite para  Rahu, o Olho de Gato (Crisoberilo)  para Ketu.

É uma crença generalizada na Índia que o uso de gemas  pode ajudar a fortalecer as energias mais fracas do horóscopo de nascimento, entrando-se aqui num plano em que a Religião e as práticas tradicionais da medicina Ayurvédica entram em ação.  Cada mapa de nascimento revela um conjunto integrado de energias em que algumas se exprimem de forma harmoniosa e outras de forma conflituosa.  Assim, é possível ajudar a harmonizar ou fortalecer tanto as energias mais fracas como as mais fortes no horóscopo, usando uma ou mais pedras ou gemas. Existem pessoas peritas em determinar qual ou quais as melhores pedras para um determinado indivíduo usar, de acordo com o seu mapa natal e, segundo os entendidos, o uso indiscriminado de pedras pode ser mais nefasto do que positivo, quando não se tem o conhecimento necessário para escolher essas pedras.

Entre os fatores a ter em conta para determinar qual ou quais as gemas e pedras  que cada um deve usar, tem-se em conta, em primeiro lugar, o signo da Lua e o planeta regente desse signo, bem como  qual o período dasa que estava a ocorrer no momento do nascimento e a posição no mapa do regente desse período dasa. Todos os restantes planetas  são também avaliados tendo em conta a sua força e fraqueza e posição no mapa de nascimento.  A divisional Navamsa é também analisada, vendo-se a posição nesta divisional de todos os planetas. Com base na avaliação global de todos estes fatores, prescrevem-se então a ou as gemas ou pedras consideradas mais adequadas para uma dada pessoa fortalecer o seu mapa natal, usando as energias das pedras. Trata-se de uma verdadeira especialização  e «arte» na área da Jyotish e muitos astrólogos não são qualificados para fazer esta prescrição pois trata-se de uma área em que não basta saber Astrologia, é também necessário conhecer as pedras e gemas. Também há que ter em conta que o uso simultâneo de várias gemas pode gerar situações de conflito energético, pelo que o uso de várias pedras ao mesmo tempo só deve efetuar-se a partir de um conhecimento claro  das energias das pedras e das suas interações, seguindo a prescrição dos peritos nesta área que relaciona Gemologia e Astrologia. Se tem um conhecimento limitado desta área, opte por usar uma da pedras ou gemas relacionadas com o signo da Lua ou Ascendente ou uma pedra com a qual sinta especial afinidade.

Embora as gemas preciosas sejam as pedras primariamente associadas aos planetas, existem pedras semipreciosas que podem substituí-las satisfatoriamente, atendendo ao elevado preço das gemas. Assim, para o Sol, em vez de Rubi pode usar  a Espinela Vermelha ou, como 3ª escolha, a Rodolite ou ainda a Rubelite como última escolha ; para a Lua, ao invés da  Pérola natural, pode usar a Pérola de cultura chinesa, a Pérola dos mares do sul  ou, em última escolha, a Pedra da Lua; para Marte, em vez do Coral Vermelho, pode usar a Cornalina; em vez da Essonite para Rahu pode usar a Espessartite (que pertence ao género da Granada);  para Mercúrio, em vez da Esmeralda pode usar a Turmalina verde ou, em última escolha, o Peridoto; para Júpiter, em vez da Safira Amarela pode usar o Topázio Amarelo ou o Citrino; para Saturno, em vez da Safira azul pode usar a Espinela Azul ou a Ametista; para Vénus, em vez do Diamante  pode usar  a Safira Branca e,  como 3ª escolha , a Fenaquita e por último o Zircão branco; para Ketu  não há pedra secundária.

Alguns autores advertem para o facto de as gemas e pedras mal prescritas poderem causar efeitos mais negativos do que benéficos, sendo  disso exemplo o     uso  das pedras atribuídas a Rahu e Ketu  fora do período dasa  e cujas energias podem causar efeitos secundários adversos.

Para os que experimentaram já o uso de pedras e cristais, é óbvio que estes possuem energias cujos efeitos podem ser efetivamente  sentidos por aqueles que as usam. Mas, como todos os tipos de energia,  devem ser usadas de forma correta para poderem produzir os seus bons efeitos.  Assim, antes de usar uma pedra ou gema,  informe-se para saber se a sua energia lhe será favorável.  Só o critério estético ou o valor monetário não é suficiente para justificar o  seu uso.

Deixe um comentário, a sua opinião conta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.