Glossário Astrológico- Graha Maitri

graha maitri

O conceito de «Graha Maitri» faz parte de um sistema tradicionalmente  usado na Índia – Ashta Koota Milan– sendo o 5º dos Koota-  na análise combinada de horóscopos para determinar as compatibilidades entre duas pessoas, em geral para decidir se são «compatíveis» para o casamento podendo, no entanto, também ser parcialmente usado para a avaliação prévia de qualquer parceria, em especial de negócios.

A «Graha Maitri» procura especialmente determinar o grau de compatibilidade mental entre duas pessoas, isto é, o potencial de concórdia e comunicação em relação ás ideias e tendências mentais um do outro. Em suma, serve para acautelar que as pessoas não estarão constantemente em choque no que se refere ao modo como pensam e  veem a realidade, evitando-se deste modo que as discussões entre ambos destruam o bom ambiente do relacionamento.

Como é avaliada esta «compatibilidade»? Essencialmente a partir do modo como os planetas regentes da Lua de ambos os parceiros se relacionam entre si. 5 pontos ou gunas podem ser atribuídos neste critério  e a obtenção de 0 pontos é considerada o «dosha (aflição) de Graha Maitri».

Os pontos são obtidos do seguinte modo: quando os regentes do signo da Lua de ambos são amigos (ou são o mesmo em ambos os horóscopos) , a pontuação é de 5 pontos; quando o regente do signo da Lua de um é amigo do regente do signo da Lua do outro mas este é neutro em relação ao primeiro, são atribuídos 4 pontos.  Se ambos os regentes são neutros em relação ao outro, a pontuação é de 3 pontos. Quando um é amigo do outro e o outro é inimigo do primeiro, a pontuação é de 1 ponto. Quando um é neutro em relação ao outro e o outro é inimigo, meio ponto é concedido. Se são ambos inimigos um do outros, a pontuação é zero e estamos perante o dosha ou aflição desta compatibilidade. Tradicionalmente, considera-se que este resultado é indicativo de incompatibilidade mental, desarmonia e discussões entre os parceiros, o que conduz ao divórcio e separação por falta de entendimento mútuo.

A partir dos planetas aceites pela Astrologia Jyotish e tendo em conta as possibilidades de relacionamento entre os planetas, são 49 as possibilidades de resultados a obter. 18 destas correspondem ao dosha da Graha Maitri. Assim, potencialmente, cerca de 35 % das combinações entre parceiros  são indicativas de incompatibilidade entre ambos e, segundo os defensores deste sistema, não deveriam casar nem manter parcerias importantes em conjunto porque não são mentalmente  adequados entre si.

Este Koota  insere-se porém num conjunto de 8 que, globalmente, mostra que 40 a 50 % das possibilidades de compatibilidade  que podem existir entre parceiros não são as adequadas para salvaguardar um bom relacionamento de casamento ou outra parceria próxima entre duas pessoas.

No entanto, astrólogos da Índia com larga experiência na realização de mapas combinados de relacionamento afirmam que, só por si,  o dosha de Graha Maitri não impede a felicidade de um potencial casal, se outros indicadores ou kootas forem positivos embora exija atenção das pessoas envolvidas para melhorarem esta área do seu relacionamento.  Mas, acrescentamos, há que ter em conta a origem cultural dos parceiros e a importância dada nessa cultura ao fator «comunicação». Na índia existe uma tradição cultural  na qual a mulher tem ainda um papel subserviente em relação ao marido e, portanto, a compatibilidade mental não é vista como critério de máxima importância porque os parceiros não são iguais isto é, a mulher, naturalmente, é vista como «obediente» em relação ao marido, não discutindo, por isso, no mesmo plano, as decisões que aquele toma. Numa matriz cultural ocidental, na qual homens e mulheres, apesar da discriminação inegável ainda existente em muitos aspetos, são aceites como iguais, a falta de compatibilidade mental, que implica ter uma visão da realidade não apenas diferente da do outro mas oposta à dele, pode gerar conflitos graves que  conduzem inevitavelmente à separação ou, em alternativa, a um «clima» de discussão permanente em que ambos se tornam antagonistas em vez de parceiros. Não parece ser a melhor receita para uma boa e saudável relação mútua para a vida.

Note-se que a análise dos Koota, dos quais o Graha Maitri faz parte foi considerada por grandes investigadores da astrologia Jyotish, como B. V. Raman como uma forma «científica» de determinar a compatibilidade para o casamento, tendo este autor defendido que é bem melhor do que a seguida pelos ocidentais, que se baseiam no «amor» pelo parceiro, sem olhar ao conjunto de compatibilidades consideradas necessárias para um casamento de sucesso, razão pela qual o divórcio grassa nos países ocidentais, na opinião deste.

Por muito mérito que esta posição possa ter no contexto do país que é a Índia  no final do séc. XX, altura em que morreu B. V. Raman, o conjunto dos 8 Kootas que determinam a compatibilidade entre duas pessoas não deixa de se referir a um quadro ou matriz de referência que parece determinar de antemão a «situação perfeita» ou «a felicidade»  como se estes fossem conceitos universais e não sofressem alteração de indivíduo para indivíduo e de cultura para cultura. Não nos parece de facto ser assim. No ocidente, tal como em qualquer outra parte do mundo, muitas razões levam duas pessoas e formar  parcerias, muitas delas para criarem uma família em conjunto mas nem todas cabem em fórmulas e regras previamente estabelecidas, como se houvesse «destinos prontos» à espera de cada um. A vida faz-se «fazendo-se» com todos os riscos que isso implica e a alegria e a felicidade fazem parte disso, do mesmo modo que a tristeza e a necessidade  de separação. É o drama da vida, que só pode ser completamente conhecido e decidido depois de ser vivido.

Deixe um comentário, a sua opinião conta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.