Glossário Astrológico- Longa Ascensão dos Signos

 

Longa Ascensão dos signos

O conceito de que falamos hoje tem a ver com o facto astronómico de o eixo da Terra ser inclinado relativamente à Eclítica. Isto tem por consequência que os  12 signos não levam o mesmo período de tempo a atravessar o horizonte Este a que chamamos «Ascendente». Com efeito, alguns levam mais tempo- sendo então referidos como tendo «Ascensão longa» – do que outros, referidos como tendo «Ascensão curta».

Esta diferença na ascensão dos signos torna-se quase nula no Equador, havendo apenas uma ligeira diferença dos signos Peixes, Carneiro, Virgem e Balança. Mas, à medida que os signos se afastam do Equador, há uma distinção cada vez mais pronunciada, entre os planetas de Ascensão Longa e os planetas de Ascensão Curta. Estas diferenças são inversas nos dois hemisférios. Assim, no Hemisfério Norte, os signos Aquário, Peixes, Carneiro, Touro e Gémeos demoram menos tempo do que o regular tempo de 2 horas para atravessar o horizonte no Este enquanto os signos Caranguejo, Leão, Virgem, Balança, Escorpião e Sagitário levam consideravelmente mais tempo para o cruzar. A situação inverte-se para o Hemisfério Sul pois os signos de longa ascensão no hemisfério norte tornam-se os de ascensão curta no hemisfério sul e vice -versa.

Ora esta diferença na ascensão dos signos faz com que, em alguns sistemas de casas não iguais, algumas casas sejam muito pequenas, cobrindo apenas uma parte de um signo enquanto outras podem conter vários signos, muitas vezes um no meio e parte de um signo antes e parte de um signo depois.

Qual a importância de o Ascendente coincidir com um signo de Ascensão longa?

Várias interpretações foram sugeridas, desde a Astrologia Antiga e posteriormente, com relevo para a posição do astrólogo do séc. XVII William Lilly (na obra Christian Astrology). Estas interpretações partiram da observação de  que um signo de ascensão longa tem um movimento mais reto em direção ao horizonte enquanto um signo de ascensão curta se move de forma mais oblíqua, «torcendo-se» o movimento, de algum modo. Isto levou a considerar que o Ascendente num signo de Ascensão longa numa carta de astrologia horária  implica uma progressão lenta de eventos enquanto um signo de Ascensão curta indica uma rápida sucessão de eventos.

Num horóscopo de nascimento, um signo de Ascensão longa indica que o signo no Ascendente terá grande importância na natividade, pois a sua lenta ascensão mostra que a energia do signo se enraíza fortemente em todos os aspetos da  identidade e da personalidade.

O astrólogo William.Lilly afirmava também que, na avaliação dos aspetos, é preciso ter em conta a esta distinção entre signos de ascensão longa e signos de ascensão curta. Assim, segundo Lilly, quando há aspetos entre planetas colocados em signos de Ascensão longa, estes são modificados: se há um aspeto de sextil entre planetas colocados em signos de ascensão longa, na verdade, este aspeto transforma-se numa quadratura, pois os signos de Ascensão longa ocupam mais do que os 30º que teoricamente se diz ocuparem (do mesmo modo que os signos de ascensão curta ocupam menos do que os 30º que convencionalmente lhes são atribuídos).  Do mesmo modo, quando dois planetas estão colocados em signos de ascensão lenta e têm um aspeto convencional de quadratura, na verdade, este aspeto funciona como um trino pela razão referida atrás.  Isto acontece porque o verdadeiro Zodíaco, devido aos fatores de inclinação  do eixo da Terra em relação á Eclítica, não é verdadeiramente constituído por signos que têm cada um 30º como se convencionou considerar mas, em cada hemisfério, à medida que nos afastamos do Equador, o movimento dos signos pela cintura do Zodíaco tem durações diferentes, umas mais longas e outras mais curtas , quando os signos cruzam o horizonte no Este, tal como referimos atrás. Assim, em concordância com isto, Lilly tem toda a razão em considerar que, para os  signos de ascensão longa, que «se esticam» para além dos 30º convencionais,  enquanto os de ascensão curta «encolhem», devido ao movimento mais rápido do que a média, os aspetos têm de ser vistos a uma nova luz.

Todos estes fatores servem para nos mostrar o intrincado e complexo trabalho que é interpretar o horóscopo. E permitem perceber porque é que, em certas condições, uma pessoa parece não exprimir as qualidades de energia de certos aspetos ou signos presentes no seu horóscopo.

Digiprove sealCopyright secured by Digiprove © 2018

Deixe um comentário, a sua opinião conta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.