Cartas Divisionais

A carta Divisional D-9 Navamsha

D-9 divisional

 

D-9 divisional

Muito se tem escrito sobre a divisional navamsha e a sua importância, não apenas para avaliar o casamento mas para analisar também o destino pessoal. Mas nem sempre a comunidade está de acordo em relação à interpretação desta varga.

É, no entanto, geralmente aceite que, enquanto a carta radix  revela o contexto físico, material e social da existência do indivíduo, a navamsha mostra os aspetos psicológicos e emocionais  e as predisposições da personalidade. Assim, esta divisional revela a matriz emocional e psicológica que o nativo traz consigo para esta vida e as suas tendências mais básicas e automáticas de resposta às situações com que se depara.

Alguns, esotericamente, ligam a D-9 aos registos da memória akhasica ou astral de vidas anteriores, que condiciona, de forma subconsciente e «automática», a expressão da personalidade atual. Neste sentido, o que a divisional 9 mostra é uma matriz que predetermina as condições da manifestação, no plano físico, da vida individual, da mente como o modo de compreender e apreender, pela consciência, os eventos e situações da vida concreta. Dado que estas condições prévias são a matriz das possibilidades de desenvolvimento humano no plano material, é por isso que a navamsha é considerada como o fator mais determinante dos resultados indicados pela carta natal.  A D-9 está ligada ao ser de cada um na medida em que indica o propósito profundo da encarnação individual presente.

Deixando momentaneamente de lado a questão de saber qual a relação do que acabámos de dizer com o casamento, referimos os fatores a analisar, para este efeito, na navamsha:

Vénus é o principal indicador para o casamento nesta divisional, tendo em conta que Vénus simboliza as parcerias e contratos. Assim, nesta divisional, Vénus mostra, não apenas as qualidades do cônjuge feminino, mas também a qualidade do vínculo ao contrato matrimonial por parte de ambos os cônjuges.

Deve, deste modo, analisar-se a posição e dignidade de Vénus na D-9 . Segundo alguns astrólogos, a 9ª casa a partir de Vénus na D-9 dá informação sobre a atitude de  adesão ao contrato de casamento. A informação obtida deve ser vista complementarmente com as qualidades de Vénus na D-1 ou radix. Esta análise conjunta pode estender-se aos restantes planetas, para uma visão global da matriz psicológica  e das condicionantes gerais da vida: analisam-se as características do planeta na navamsha, tendo em conta a sua dignidade (signo amigo, inimigo, exaltação, etc.) e a colocação por casa e vê-se essa informação em conjunto com as qualidades do planeta na D-1. Analisar também a posição dos planetas por Nakshatra.(pada). E os aspetos, se houver, entre os planetas.

Os «frutos» ou recompensas  da realização do dharma representado pela 9ª casa são mostrados pela 11ª casa a partir da 9ª casa na carta radix ou D-1 que corresponde à 7ª casa na radix. Ora, sendo a 7ª casa a que representa o casamento, fica claro que este  é visto como um dos frutos fundamentais do propósito da vida humana segundo a tradição. A 3ª casa a partir da 9ª na radix- a 11ª na carta natal- revela por sua vez a determinação e a força motivacional para o nativo cumprir o seu propósito de vida. E fica mais clara a ligação entre a navamsha e o casamento pois a união ou parceria próxima com outro ser cria um ambiente novo ou contexto novo de vida, de caráter emocional , através do qual muitos padrões  de comportamento, medos, desejos, etc.,  se revelam , mas que tanto podem ter surgido nesta vida como podem ser trazidos de um passado mais remoto.  Complementarmente, pode analisar-se a força e colocação de Vénus na D-60 , bem como a 7ª casa dessa varga, para uma aproximação mais fina sobre o karma associado aos relacionamentos. (se a hora de nascimento for fiável).

O Ascendente da navamsha tem uma importância acrescida na medida em que é o indicador da alma e revela o caminho desta no percurso do desenvolvimento espiritual superior. A posição do Ascendente da D-9 num determinado pada de Nakshatra contém informações preciosas sobre esse caminho da alma. Esta informação ajuda a avaliar o potencial de desenvolvimento de consciência do nativo.

A análise da 10ª casa da navamsha e o seu regente são bons indicadores  do sucesso na carreira . Quando o regente da 10ª casa da navamsha está aflito na carta radix isso mostra que o sucesso nesta área será dificultado. A 7ª casa na navamsha revela características do cônjuge e da sua personalidade. O regente do Nakshstra do Ascendente da navamsha mostra, por sua vez, características do nativo e da sua atitude em relação ao casamento.

Na análise de horóscopos de parceiros, observa-se frequentemente que  as características de um planeta na D-1 de um parceiro estão ligadas com as características desse planeta na D-9 do outro e vice-versa pois as pessoas tendem subconscientemente a procurar «ver-se» no parceiro que escolhem.

Para avaliar o primeiro parceiro de casamento, em geral considera-se que a 7ª casa na navamsha representa o cônjuge. A 7ª casa é considerada como o «Ascendente» do cônjuge . e é possível analisar a forma como o cônjuge compreende (as suas atitudes portanto) cada área de vida, lendo a navamsha a partir da 7ª casa considerada como Ascendente : por exe., para avaliar a capacidade para empreender e a energia que o cônjuge é capaz de mobilizar para correr riscos, etc. (assunto da 3ª casa) contamos 3 casas a partir da 7ª da navamsha e analisamos a 9ª casa dessa varga. E do mesmo modo para as outras áreas de vida. Em alguns casos, a 1ª casa da D-9 pode dar as mesmas indicações, se a leitura anterior não se mostra eficaz. Se a pessoa foi casada várias vezes ou teve parcerias de vida em comum múltiplas, a análise da 1ª casa da navamsha deve ser analisada em vez da 7ª casa.

Em resumo, na análise seguida pela maioria, seguem-se os passos seguintes: primeiro vê-se a posição do regente da 7ª casa na radix por casa/signo;  vê-se seguidamente  onde está este regente colocado na D-9 e qual o planeta que rege esse signo(dispostor). Seguidamente localiza-se este último planeta na carta radix e analisa-se a dignidade, natureza do planeta, aspetos que recebe, localização por casa e signo. Esta análise revela a qualidade da energia libertada no casamento, para o bem e para  o mal. Revela o tipo de energia que o nativo atrai para as suas parcerias e o casamento em particular. Se a natureza , aspetos e qualidades do signo/planetas são positivos, o casamento terá um ambiente cuja energia é de felicidade e bem-estar; mas se o inverso acontece, são de esperar tumultos e dificuldades que terão de ser vencidas com trabalho mútuo e vontade de ambos para as superar.

O Ascendente da D-9 revela as atitudes do nativo em relação ao casamento, como referimos. Se este estiver colocado numa casa dusthana, são de esperar dificuldades: na 6ª casa- agressividade e conflitos constantes, ciúme, diferenças difíceis de ultrapassar e que tendem a ser permanentes, na 8ª casa- tendência para esconder coisas do outro, segredos, dinheiro escondido, falta de confiança mútua e acontecimentos traumáticos inesperados são possíveis; na 12ª casa – separação física ou psicológica do parceiro, tendência para se isolar, para passar longos períodos distante do parceiro.

Se o regente do Ascendente na D-9 está colocado na 1ª casa da radix do nativo, este tende a dominar o casamento. Se o regente da D-9 está dignificado (próprio signo ou exaltado) sucede o inverso e o cônjuge domina a relação podendo colocar em perigo o crescimento do nativo.

Refletindo as características psicoemocionais do nativo, a navamsha pode igualmente ser usada para ver o primeiro filho.

A análise da carta navamsha é muito útil quando usada em conjunto com o período dasha e os trânsitos, para prever os eventos maiores da vida.  Por ex., para determinar  tempo do casamento, o trânsito de Rahu é fundamental: quase sempre o casamento ocorre quando Rahu /Ketu transitam pelo eixo que ocupam na navamsha, pelo Ascendente da navamsha, pelo eixo 1ª /7ª casa da radix ou D-1 ou pelo eixo  formado pela posição da Lua na radix.

A navamsha ajuda igualmente a determinar a compatibilidade entre parceiros: esta existe quando a posição da Lua natal (D-1) do parceiro ocupa o Ascendente navamsha do outro ou quando a Lua de um está colocada no eixo dos nodos do outro.

Segundo algumas interpretações, a D-9 mostra quem o parceiro ou cônjuge é agora e quem o nativo será na próxima vida. O cônjuge é visto como um auxiliar espiritual que ajuda a trazer à consciência os aspetos do ser do nativo que têm estado escondidos ou são inconscientes para este e serão trabalhados através da parceria para se manifestarem no futuro na personalidade individual.

Deixe um comentário, a sua opinião conta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

error: Content is protected !!