A Carta divisional D- 16- Kalamsha

veículo em viagem

Falamos hoje de uma carta divisional não muito usada, a D- 16 ou Kalamsha.

Note-se que, à medida que as divisões são maiores- a D-16 consiste na divisão de um signo em 16 porções (amsha),- maior rigor com o tempo exato de nascimento é  necessário. Deste modo, nas natividades em que a hora de nascimento não é precisa, estas divisionais não devem ser usadas.

Em termos gerais, a D-16 permite analisar o que podemos obter a partir da comunidade a que pertencemos, a partir do nosso lugar de abrigo( a casa), do lugar em que estabelecemos as raízes da nossa vida, do grupo étnico ou da família a que pertencemos e, claro, dos veículos que podemos esperar obter.

Cada porção desta divisional tem a extensão de 1º, 52 ‘  30 ‘’. Segundo Parashara, cada porção é contada a partir dos signos de Fogo: Carneiro para os signos cardinais; Leão para os signos fixos; Sagitário para os signos mutáveis.

As principais razões de consulta da D-16 têm a ver com a quantidade e variedade de veículos e casas  que o nativo pode esperar possuir.  Pode  também ser usada para prever a facilidade com a qual a pessoa se deslocará usando veículos- em termos positivos ou negativos, podendo  indicar o potencial de acidentes causados ao usar esses veículos e potenciais ferimentos em resultado desses acidentes.

Tradicionalmente, todos os tipos de transporte podem ser vistos através desta divisional, sejam estes terrestres, como os veículos mais comuns ou marítimos ou aéreos. Nos tempos em que não havia aviões, nem veículos mecânicos para o transporte de pessoas, esta varga tinha uma importância acrescida pois ajudava a prever se a pessoa podia esperar contar com um animal de carga/transporte como os camelos, cavalos, elefantes, etc. Assim, era possível prever a duração potencial de uma viagem, através das qualidades do (s) veículo (s) que a pessoa podia ter a expetativa de alcançar.  Mas, dado que esta divisional está relacionada com os veículos, não prevê, obviamente, «viagens» realizadas a pé.

Como referimos habitualmente, as cartas divisionais são complementares da análise da carta natal ou radix. Assim, para prever estas matérias, deve começar-se por analisar a 4ª casa e o seu regente na carta radix  e também a força e colocação de Vénus, que é o planeta karaka para os veículos e para os confortos/luxos (embora a posse de um meio de transporte se tenha massificado nos nossos dias, em tempos passados era, verdadeiramente ,um luxo  que apenas alguns podiam comportar).

Quando tanto Vénus como o regente da 4ª casa na radix são fracos, o nativo pode não possuir um carro nem um meio de transporte mais modesto.

A posição de Vénus na 9ª casa da radix pode indicar que a pessoa viajará bastante, devido ao envolvimento numa carreira no ensino ou na pregação, por ex., mas não garante que a pessoa tenha transporte próprio, pois esta casa refere-se a viagens para longe, para fora da região em que o nativo habita e, em geral, estão relacionadas com transportes públicos e não com o transporte próprio.

Na carta natal, a 4ª casa indica até que ponto o nativo está enraizado na comunidade , o seu grau de integração psicológico e físico na sociedade local ; até que ponto se sente bem no ambiente em que vive. Também indica o potencial de estabilidade na vida, se poderá esperar uma vida estável, no sentido em que, viva onde viver, poderá sentir que está bem integrado no lugar físico, social e no plano psicológico ,  se poderá sentir-se «em casa».

Para saber isto, é preciso ver onde está colocado o regente da 4ª casa, ver se está em conjunção com outros planetas e se a relação com estes é de amizade ou inimizade. Ver também se a distância em que está posicionado em relação à casa que rege, é favorável ( contando o nº de casas entre a posição de colocação e a da casa que rege. Se a relação corresponder a casas dusthana- 6, 8 e 12 casas de distância) haverá pressão sobre os significados da  4ª casa , sendo mais difícil que esta área se desenvolva de forma harmoniosa. A análise destes aspetos ajuda a decidir qual o tipo de veículo que é mais sensato comprar ou adquirir- um funcional mas modesto, ou outro mais luxuoso.

Adicionalmente usa-se a D- 16 para ver se há na carta natal algum planeta que tem «algum segredo». Isto significa que , para além de revelar o karma associado a veículos, esta carta permite avaliar , através da comparação com o estado dos planetas na radix e nesta divisional, se algum planeta que parece muito fraco na carta natal pode ter alguns benefícios escondidos, por estar beneficamente colocado nesta divisional. Também pode ajudar a ver se um planeta fraco na radix confirma expetativas mais baixas  quanto  ao desenvolvimento das áreas de vida que significa. Assim, se um planeta debilitado na radix está bem situado na D-16 e recebe bons aspetos, então «tem benefícios escondidos» que se manifestarão também na vida da pessoa.  Esta é a razão pela qual há astrólogos que usam esta varga, não para prever os aspetos relacionados com os veículos mas para obterem alguns dados adicionais que lhes permitam aprimorar a sua análise da carta natal. Parashara confirmou esta abordagem, quando referiu que um planeta benéfico na D-16 «florescerá».

Pode-se estabelecer um paralelo entre a D-4 Chaturthamsha e a D- 16 Kalamsha, mas apenas parcial. A comunidade astrológica costuma considerar que a análise da D-16 é basicamente para determinar os bons e maus efeitos dos veículos. Assim, por ex., tem utilidade consultar esta divisional antes de comprar um carro pois, se a pessoa tiver um elevado potencial para acidentes, talvez isso seja útil não só para a escolha do carro como para o tipo de seguro que se adquire em conjunto com este.(ou, em alternativa, ajuda a decidir se adquire ou não veículo próprio.

Poderá Gostar de Ler

Deixe um comentário a sua opinião conta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.