Parashara e Jaimini Semelhanças e Diferenças

Esferas ligadas em estrutura

A referência aos princípios da astrologia Jaimini pode encontrar-se na obra que fundou o sistema da astrologia Jyotish- Brihat Hora Sastra- de Parashara, além dos Jaimini Sutram.

Parashara faz referência aos elementos usados pela Astrologia dita de Jaimini, na obra fundadora da Astrologia Jyotish atrás mencionada.

Fará deste modo sentido salientar as diferenças entre os dois sistemas? Reparemos:

  • O sistema de Parasara usa essencialmente períodos dasa dos planetas enquanto o sistema de Jaimini usa os signos como base dos períodos dasa, havendo 44 diferentes dasas dos quais o Chara, Stihra e Shoola dasas são os mais conhecidos e usados (referem-se aos signos cardinais, fixos e mutáveis). Porém, estes dasas são igualmente mencionados por Parashara que os considera, portanto, integrados no sistema Jyotish.

 

  • O sistema Jaimini usa os padas como indicadores dos signos e auxiliares das previsões. Para entender o conceito de «Pada» ,veja-se o seguinte exemplo: numa análise sobre o casamento, observa-se  a 7ª casa, que está relacionada com esta matéria. Num mapa com  Ascendente Gémeos, a 7ª casa é ocupada pelo signo sagitário. O regente de Sagitário e da 7ª casa é Júpiter. Vamos supor que Júpiter está colocado em Caranguejo.  O passo seguinte é contar o número de signos entre Sagitário e Caranguejo o que dá 8 signos. Assim, contamos 8 signos a partir de Caranguejo, que é Aquário. Este é o pada, que é o indicador no mapa para os assuntos do casamento e de todas as parcerias. Assim, estes assuntos frutificarão nos períodos dasa ou antardasa  do signo Aquário. Note-se que o uso dos padas, como o Arudha pada, não são exclusivos da astrologia de Jaimini, pois Parashara faz-lhes igualmente referência (caps 31 e 32 ) na sua obra.

 

  • O uso constante dos karakas, em especial os chara karakas para avaliar todos os assuntos e áreas do horóscopo na Astrologia Jaimini. No sistema de Parashara, na obra Hora Sastra, encontramos a explicitação dos karakas, (cap 34). Parashara faz igualmente referência aos Chara karakas e chara dasas, bem como a outros aspetos usados pela astrologia de Jaimini, como argalas, etc. Os chara karakas podem ser 7 ou 8, de acordo com o que é referido por Parashara . Fazemos uma análise aprofundada disto em outro artigo. Embora seja mais comum o uso dos karakas naturais, na tradição ligada a Parashara, a verdade é que este sábio também fala dos princípios usados por Jaimini na sua obra.

Apesar destas referências comuns aos princípios definidos  pelos dois autores, apesar de os princípios astrológicos serem comuns, cada autor privilegiou um determinado conjunto de procedimentos na análise astrológica e isso estabeleceu as diferenças entre os dois sistemas, que escolhem elementos de análise privilegiados que são diferentes em ambos os sistemas.

Deste modo, o que torna cada um dos sistemas distintos não é o facto de estes sábios considerarem diferentes elementos mas do peso que dão a cada um deles:

Comparação entre o sistema de Parashara e de Jaimini

  • Parashara dá grande importância à análise das casas do horóscopo e ao modo como estas alteram os significados dos planetas e dos seus efeitos- Por sua vez, Jaimini concentra-se nos signos e nos karakas.

 

  • A importância dada aos karakas, em especial, o Atma karaka, faz com que Jaimini dê um uso diferente às cartas divisionais, começando por determinar , na navamsa, o karakamsa e dê especial importância à colocação dos karakas nas cartas divisionais. Por sua vez, ao longo dos tempos, os estudantes do sistema de Parashara têm-se deparado com a falta de elementos para interpretar o uso das cartas divisionais.

 

  • Jaimini considera os aspetos entre os signos, tendo em conta as suas características (cardinais, fixos e mutáveis) e identifica pontos fundamentais do horóscopo que são os Ascendentes especiais, usados para analisar diversas matérias no horóscopo.

Assim, o que Jaimini faz não é introduzir elementos novos na análise astrológica, é antes dar-lhes um tratamento diferente que abre perspetivas que não são as mesmas que  se tornam evidentes através da análise tradicional.  No entanto, Jaimini não escreveu um «compêndio» de astrologia, como Parashara, tendo-se limitado a escrever alguns versos – sutras- que seriam fruto da sua abordagem das regras praticadas por outros astrólogos da altura, o que parece apoiar a ideia de que não considerava o seu sistema como um conjunto de conhecimentos novos, mas apenas como uma abordagem nova desses conhecimentos. Talvez seja isso que leva tantos astrólogos formados a partir da astrologia de Parashara, a encontrar nas abordagens de Jaimini, caminhos férteis para compreender e prever melhor, considerando este sistema como complementar ao de Parashara, como este também parece ter aceite, na sua época.

Também Poderá Gostar de Ler