Glossário Astrológico- Retração de Um Planeta

(alt=" ")

O conceito de que falamos hoje – Retração- refere-se aos aspetos dos planetas, nomeadamente, à situação na qual dois planetas estão a aplicar-se num aspeto mas, antes de isso acontecer, um deles fica retrógrado  e afasta-se antes de o aspeto ter sido formado. Assim, o planeta que fica retrógrado diz-se que «se retrai», não chegando a materializar o aspeto.  Trata-se assim de uma espécie de «promessa não cumprida» por parte do planeta que, depois de estar a aproximar-se, se afasta antes de concretizar o aspeto.

William Lilly (séc. 17) refere-se à retração como um tipo de «proibição», algo que  se  esperava que acontecesse mas que acaba por não suceder.

Este aspeto é importante essencialmente para a Astrologia Horária. Nesta, o movimento da Lua e os aspetos que forma com os outros planetas (sendo muito rápida, forma rapidamente aspetos de conjunção, sextil, trino, quadratura ou oposição)  são os elementos para poder fazer previsões de ações e acontecimentos.

Neste contexto em que a Lua, rapidamente, se aproxima de um determinado planeta mais lento, num dado signo, por vezes acontece que o planeta em causa recua em movimento retrógrado e a Lua já não pode ficar em aspeto com o mesmo num certo prazo de tempo, em geral curto. É a isto que se chama retração: o planeta, antes de «receber a Lua» que se preparava para o encontro, acaba por se retirar antes de o encontro se verificar.

Segundo os astrólogos praticantes de Astrologia Horária, a retração de um planeta indica que as expetativas do indivíduo em relação a um determinado dia ou acontecimento acabam por não ter o desfecho esperado.  Assim, os assuntos que a pessoa se preparava para concretizar nesse dia, relacionados com os significados do planeta, acabam por não ter sucesso.

Como é compreensível, os planetas mais usuais nesta «retração» são os de movimento rápido mas menos rápido do que a Lua pois os mais lentos levam bastante mais tempo a mudar de um signo para outro, mesmo quando estão retrógrados. Assim, é mais comum  a retração entre a Lua e o Sol, Mercúrio, Vénus e Marte e, por vezes também Júpiter, mas menos frequentemente.

Por curiosidade, indicamos os significados da retração dos planetas, segundo a Astrologia Horária:

Sol- Quando este se retrai, alguma coisa importante a nível pessoal e que o indivíduo esperava realizar num certo dia, acaba por não se concretizar;

Mercúrio– Quando este se retrai, assuntos ligados com documentos escritos, divulgação ou edição de informação, instruções, discussão crítica de assuntos e projetos, tarefas burocráticas , de comunicação ou relações públicas, não darão quaisquer frutos ou, tratando-se de um evento num cero dia, este não se realizará.  Por esta razão, encontros de trabalho que envolvem os aspetos referidos devem ser evitados nestes dias.

Vénus– Na astrologia horária Vénus tem mais a ver com os aspetos financeiros do que com os relacionamentos. Mas também tem a ver com realização de contratos, acordos, negociações. Nos dias em que acontece uma retração de Vénus não é um bom dia para formar acordos de caráter  financeiro ou envolvendo aspetos financeiros importantes pois, ou estes ficam no papel e não serão concretizados, ou serão alterados. Se a preocupação da pessoa for um relacionamento, nestes dias a outra pessoa não mostrará interesse.

Marte– Nos dias em que Marte se «retrai» não é uma boa altura para começar projetos que terão continuidade nem iniciar coisas importantes pois falta a iniciativa interna para levar a cabo o projeto ou, depois de este se ter iniciado, o indivíduo perde o interesse nele.

Júpiter- Quando se dá a retração de Júpiter e  o indivíduo começa um novo projeto, acaba por descobrir que não estava suficientemente preparado para o levar a cabo e que este início foi prematuro, acabando por desistir do mesmo.

Também Poderá Gostar de Ler

Deixe um comentário a sua opinião conta