Glossário Astrológico- Planeta e Casa Sandhi

(alt=" ")

O conceito de que falamos hoje, «sandhi» refere-se a qualquer planeta que se encontre colocado dentro do primeiro ou último grau de um signo (de 0º a 1º ou de 29º a 30º).

Tal planeta é considerado fraco por estar colocado na junção entre dois signos. Como explicámos em outro artigo quando este ponto de junção ocorre entre um signo de Água e outro de fogo, isso tem sido considerado particularmente desafiador e recebe o nome de «gandanta».

Encontramos duas situações em relação a este estado do planeta sandhi: quando o planeta está colocado no próprio começo de um signo; e quando está a terminar a passagem por esse signo, estando prestes a abandoná-lo.

Alguns afirmam que o planeta na primeira situação dará resultados do signo em que está colocado, enquanto, no segundo caso, o planeta não dará resultados do signo de colocação mas dará resultados do signo seguinte.

Assim, vários astrólogos consideram que, neste segundo caso, os resultados da análise astrológica podem ser bastante confusos, devendo  esta ser complementada com o uso da bhava chalit.

Em tal caso, os yogas envolvendo as casas do horóscopo poderão ser melhor aferidos através da bhava chalit do que da D-1, na qual as casas do horóscopo que estão realmente ativas podem ser diferentes das usuais.

A teoria geral é de que os planetas colocados nestes graus sandhi não têm força suficiente para apoiar os significados das casas que regem. A área designada por «sandhi» é de transição entre signos e, por isso, os planetas aí colocados são considerados frágeis e podem causar situações problemáticas na vida concreta do nativo.

Vários autores consideram que um planeta colocado no ponto sandhi do Ascendente perde todo o poder para fazer algum bem nessa casa e destrói a casa. Mas esta temática está longe  de  alcançar unanimidade entre os astrólogos, havendo quem defenda que é preciso definir não apenas o conceito de signo sandhi mas também o de casa sandhi.

Neste conceito, cada casa/signo é dividida em 9  navamsas e, destes, os primeiros 3º 20 ‘ e os últimos 3º 20 ‘ são considerados os pontos que constituem a casa sandhi (bhava sandhi).

Assim, considera-se que um planeta colocado na «casa sandhi» embora não no último ou no  primeiro grau do signo , falha igualmente em dar apoio aos seus significados naturais e funcionais no horóscopo.

Outros argumentam ainda que o intervalo de influência das energias de um signo é maior do que os 3º 20 ‘ de um navamsa e que os primeiros 5º e os últimos 5º de cada signo são zonas sandhi nos quais os efeitos da energia de um signo se fazem sentir no signo seguinte e vice-versa.

Esta a razão pela qual a tradição defendeu que os planetas dão os seus resultados mais efetivos quando se encontram na longitude entre 10 e 20 graus de um signo.

Parece-nos, entretanto, que esta é uma matéria que carece de mais investigação na astrologia Jyotish pois temos a experiência de casos concretos em que o nativo nasceu com o regente do Ascendente colocado não apenas no ponto sandhi do signo Ascendente como também, tratando-se da junção entre um signo de Fogo e de Água, num ponto gandanta.

E, ao contrário de ter a 1ª casa e as suas promessas «destruídas», tais pessoas alcançaram sucesso acima da média. Parece-nos portanto que este é mais um caso em que a superstição substituiu , ao longo do tempo, a visão objetiva dos fatores em análise.

E talvez isso se deva, em parte, ao facto de que a divisão do zodíaco em signos tendo cada um 30º graus, ser, também ela, em muitos aspetos, convencional.(veja por ex. o artigo sobre a Ascensão  longa dos signos).

Também Poderá Gostar de Ler