Glossário Astrológico- Tajika Jyotish

brilho do Sol

Hoje falamos do conceito de Tajika Jyotish , um sistema de astrologia  que se associa aos outros dois usados na Astrologia Jyotish da Índia: o sistema Jaimini e o de Parashara.

A palavra Tajika refere-se ao  significado  persa ou árabe e tem a ver com a origem deste sistema, que se espalhou no território da Índia a partir do século 7, quando os persas invadiram uma parte do território indiano.

Deste modo, o sistema Tajika tem origem persa-árabe, tendo sido sistematizado no século 16 pelo estudioso Neelkantha, que, em conjunto com outros, fez a tradução do persa/árabe para sânscrito.

O sistema Tajika tem a especificidade de  limitar o horizonte de previsão ao período de um ano, podendo fazer previsões para dias específicos e até para metade de um dia.

Este também é designado por Varsaphala. Este termo significa o que é consequência ou efeito  do trânsito dos planetas, num determinado ano, no momento do retorno solar.

Um aspeto importante a considerar é que este sistema usa os aspetos que são usados pela Astrologia Ocidental, sendo o enquadramento teórico semelhante ao que o grande astrólogo do século 17 William Lilly, considera na sua obra Christian Astrology . Esta é uma obra que iremos explorar em breve  nos artigos de História da Astrologia a publicar no nosso site A tua Vida nos Astros.

Tais semelhanças não são de estranhar uma vez que, como mostrámos em outros artigos, os diversos ramos da astrologia tiveram origem nas mesmas fontes antigas e, no caso da índia,  tais conhecimentos foram primeiramente levados pelo conquistador Alexandre e por outros, posteriormente, como é o caso do sistema Tajika.

É óbvio também o paralelo com o conceito de progressão já analisado na astrologia Helenística em outros artigos e que diz respeito ao «retorno solar».

Assim, o ano inicia-se no sistema Tajika, pelo momento em que o Sol regressa ao mesmo grau do signo em que se encontrava no momento do nascimento. Este momento chama-se o retorno solar e pode coincidir ou não com o dia de nascimento, embora não se desvie muito da hora e data de nascimento.

Assim, o sistema Tajika levanta uma carta para o ano – a Varsa kundali- e esta vai desde o momento em que o Sol retorna à posição de nascimento até ao próximo retorno solar.

Deste modo, este sistema levanta uma carta em cada ano. Ora, isto estabelece a diferença  no que se refere à análise astrológica, entre este sistema e os outros dois usados na Jyotish: o sistema Tajika é útil para os que desejam conhecer as possibilidades no prazo imediato.

Para saber o que se passará num horizonte de mais do que um ano, devem usar-se as restantes técnicas de análise do sistema de Parashara ou de Jaimini. O sistema Tajika permite cobrir todas as áreas de vida de uma pessoa mas apenas no prazo limitado de um ano ou menos.

Outro fator que, por vezes, leva a reduzir a importância do sistema Tajika, é que este não é autónomo, é sempre complementar da carta natal e das «promessas natais». Assim, o que pode ser previsto para o prazo de um ano ou menos tem de ter em conta a análise da carta de nascimento.

Características do Sistema Tajika

Efetua previsões apenas para o prazo de um ano, tendo em conta as promessas natais.

Usa uma carta de trânsitos dos planetas ativos no momento do retorno solar como base para as previsões.

Usa os aspetos da astrologia ocidental (os mesmos usados na astrologia helenística, medieval e renascentista, bem como na era atual )

Os yogas usados pela Astrologia Tajika são diferentes dos que são usados pela astrologia de Parashara . Os nomes dos yogas têm origem persa ou árabe, revelando a sua origem  a partir dos astrólogos persas e árabes.

Um planeta determinado tem um papel preponderante neste sistema, influenciando de forma única os eventos do ano e designa-se por «regente do ano».

Certos pontos do horóscopo (semelhantes aos que, na astrologia antiga eram designados por «partes ou lotes» ) são usados para trazer mais luz a certas áreas de eventos. Note-se que, com base nas partes ou lotes da astrologia helenística, os astrólogos persas criaram um sem número destes pontos, que, na astrologia Tajika se chamam saham.

Um dos pontos mais importantes usados pela Tajika é o muntha. Este é o Ascendente progredido, avançando um signo por ano. Assim, para saber qual é o muntha de um determinado ano basta contar a partir do Ascendente natal, o nº correspondente de anos desejados, sabendo que a cada doze anos, regressa-se ao Ascendente natal, para saber qual o muntha de um determinado ano.

O sistema Tajika levanta um mapa designado por tri-pataki  que mostra como os vários planetas  natais estão colocados em relação ao  Ascendente da carta anual.

Em breve explicaremos passo a passo  os conceitos do sistema Tajika e os seus yogas para que cada um possa levantar e interpretar a sua carta anual.

Também Poderá Gostar de Ler

2 Thoughts to “Glossário Astrológico- Tajika Jyotish”

  1. Jeferson Aleksandro

    Eu procurei tanto conteúdos sobre tajika em Língua Portuguesa, até que enfim um artigo sobre essa “forma de astrologia’!

    1. astrologoaprendiz1

      então ficará satisfeito, muito em breve, quando começarmos a explicar todos os procedimentos deste sistema!

Deixe um Comentário a sua opinião conta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.