Glossário Astrológico- Yogas Tajika na consulta Prashna 2

(alt=" ")

Depois de termos introduzido o sistema Tajka  na análise da carta prashna  num artigo anterior, exploramos hoje mais alguns Tajika yogas. No sistema Tajik os yogas são determinantes no desencadear dos eventos.

Para entender corretamente o funcionamento dos yogas neste sistema, precisamos de conhecer com clareza o deeptamsa de cada planeta. O deeptamsa  é a orbe , isto é, o número de graus em que um planeta expressa a sua atividade.

O deeptamsa refere-se assim à orbe de atividade de um planeta e esta orbe é diferente da orbe pela qual um planeta é capaz de gerar influência sobre outro planeta , como acontece nos aspetos.

Esclarecido este ponto vejamos qual é a orbe de atividade para cada planeta ou deeptamsa:

Sol: 15º; Lua: 12º; Marte: 8º; Mercúrio: 7º; Júpiter  9º; Vénus: 7º; Saturno: 9º.

O outro fator fundamental para ajuizar sobre os Tajika yogas é a velocidade dos planetas. É a seguinte a ordem dos planetas do mais rápido para o mais lento: Lua, Mercúrio, Vénus, Sol, Marte, Júpiter e Saturno.

Também é necessário conhecer a diferença entre um aspeto de aplicação e um aspeto de separação.

Com base nestes dois fatores podemos então ajuizar sobre os Tajika  yogas:

  1. Yoga Itthasala de aplicação (Aka Muthasila) – quando um planeta de movimento mais rápido está colocado num signo num grau inferior ao de outro planeta mais lento colocado num grau superior do signo.

O planeta mais rápido irá, em princípio, atingir o grau em que se encontra o planeta mais lento e formar conjunção com este. Em alternativa, forma um aspeto com o planeta mais lento quando está a uma distância de 60º, 90º, 120º, 180º, 240º, 270º ou 300º graus, seguindo-se a conceção dos aspetos na astrologia ocidental.

Quando o planeta mais rápido está colocado a 1º antes ou depois do planeta mais lento, forma-se um Itthasala completo.

Efeitos: dependem da relação entre os dois planetas podendo ,deste modo, indicar tanto uma atividade amiga como inimiga.

  1. Isharapha yoga de separação (Aka Musharipha)- quando um planeta mais rápido está colocado num grau superior ao grau de um planeta mais lento . Neste caso, os planetas já passaram o ponto de conjunção e o planeta mais rápido afasta-se cada vez mais do planeta mais lento, não havendo relação entre ambos.

Deste modo, este yoga significa perda e separação .

Efeitos: Fracasso, perda, desapontamento, em relação aos significados representados pelos planetas que formam o yoga.  Na consulta prashna, este yoga também indica, com frequência, eventos que ocorreram no passado.

  1. Kambula yoga . Este é um yoga de grande sucesso e ocorre quando há dois planetas em Itthasala yoga e a Lua em Itthasala com um deles ou com ambos.

Efeitos: grande sucesso para o assunto da consulta.

  1. Nakta yoga – ocorre quando dois planetas não estão em aspeto mas há um terceiro planeta que lança aspeto para ambos dentro da orbe e situa-se entre um e outro em termos de graus. Considera-se que o terceiro planeta transporta a influência do primeiro dos  planetas pelo qual já passou para o segundo planeta pelo qual eventualmente passará.

Efeitos: evento no qual  são transportados os efeitos do planeta mais rápido.

  1. Yamaya yoga- ocorre quando dois planetas estão fora da orbe de aspeto e um terceiro planeta mais lento lança aspeto para ambos dentro da orbe.

Efeitos: evento trazido pelo terceiro planeta conforme o significado que este tem na carta.

Manaboo yoga- dois planetas estão em aspeto  um com o outro e Marte ou Saturno estão a separar-se (dentro da orbe) do planeta mais rápido dos dois referidos e em aspeto inimigo com este.

Efeitos: rompimento e perturbação.

Dutthotthadi yoga-  Dois planetas estão em Itthasala ou Isharapha yoga entre si mas estão ou combustos ou não dignificados mas um deles forma um itthasala yoga com outro planeta forte e dignificado (colocado no próprio signo, no signo de exaltação, próprio navamsa, drekkana).

Tambeera yoga- ocorre quando dois planetas não formam itthasala mas o planeta mais rápido dos dois está colocado no último grau do signo e forma um itthasala com outro planeta no signo seguinte.

Efeitos: concretização de um desejo.

Suunya Marga (caminho vazio)-  situação requerida para a formação de alguns yogas. Um planeta está em suunya marga quando :

Não forma itthasala nem isharapha com outros planetas; não está dignificado; não tem uma dignificação má (não está combusto, nem debilitado nem em signo inimigo, nem num mau navamsa ou drekkana).

Efeitos: este planeta não causa quaisquer efeitos.

Khallasara yoga– ocorre quando a Lua está colocada em suunya marga.

Efeitos: desapontamento para o assunto em consulta.

Gairi Kabula yoga– O regente do Ascendente forma itthasala com outro planeta e a Lua está em suunya marga e colocada no último grau do signo. A Lua forma um itthasala yoga com um planeta dignificado colocado no signo seguinte.

Efeitos. Apesar de a Lua estar em suunya marga, ao estar colocada no último grau do signo de colocação, e prestes a entrar no signo seguinte, formando itthasala com um planeta dignificado, salva os efeitos da consulta, na qual o planeta dignificado no signo seguinte é o significador dos eventos positivos que ocorrerão.

Kutha yoga – um planeta colocado no Ascendente recebe o aspeto de um planeta dignificado no próprio signo ou no signo de exaltação  e numa casa kendra ou Panapara (2ª, 5ª, 8ª ou 11ª).

Efeitos: concretização dos desejos.

Ikkavala yoga (yoga da boa fortuna)–  Ocorre quando todos os planetas estão colocados em casas kendra e Panapara.

Efeitos: felicidade, privilégios dignos da  realeza.

Induvara yoga (yoga de restrição)– ocorre  quando todos os planetas estão colocados em casas Apoklima- 3ª, 6ª, 9ª, 12ª.

Efeitos: Nada auspicioso.

Durapha yoga– Ocorre quando qualquer planeta está  a formar um yoga mas, ao mesmo tempo, está colocado na 6ª, 8ª, ou 12ª casa ; ou está em itthasala com um planeta fraco; ou está retrógrado, debilitado ou em signo inimigo, ou recebe o aspeto de um planeta maléfico ou está conjunto com este.

Efeitos: desapontamento e efeitos desfavoráveis.

Avasthas – Efeitos dos Planetas

Apresentamos os efeitos dos avasthas  dos planetas na consulta Tajika Prashna quando envolvidos nos Tajika yogas:

Deepa «Radiante»- Planeta exaltado. Total sucesso na matéria.

Deepta «Deficiente»- Planeta debilitado. Tem como efeito tristeza.

Svastha «confiante»- Planeta no próprio signo. Efeito: fama.

Mudita ««Encantado»- Planeta em signo amigo. Efeitos: Riqueza e felicidade.

Supta «em submissão» – Planeta em signo inimigo. Efeitos: tristeza e medo de inimigos.

Suvirya «vigoroso»- Planeta prestes a entrar no signo de exaltação. Efeitos: veículos e ouro.

Pariheena «privado de»- planeta prestes a entrar no signo de debilitação. Efeitos: fracasso e perda de riqueza.

Mushita «saqueado». Planeta sob o sol (combusto). Efeitos: Fracasso e perda de riqueza.

Nipeedita «Oprimido». Um planeta que «perdeu a guerra»[1]. Efeitos: Perda de riqueza.

Adhivirya « o Primeiro em Vigor. Planeta em vargas benéficas (D-1 e D- 12) . Efeitos: Sucesso político e excelente rede de contactos

[1]  Este conceito de «derrotado na guerra» não se aplica aos nodos nem ao sol ou à Lua mas apenas aos 5 planetas restantes e baseia-se no facto de um planeta mais  brilhante ser mais forte do que outro. Apesar de haver diferentes graus de brilho entre estes planetas- Saturno é o mais distante do sol por isso é o mais escuro, seguindo-se Marte, Mercúrio, Júpiter, vénus (e a Lua e o Sol que nunca são derrotados). Mas, quando dois destes 5 planetas estão conjuntos, matematicamente considera-se que o planeta com o grau mais alto é mais brilhante e o que tem o grau inferior «perdeu a guerra » com este.

Também Poderá Gostar de Ler