Prashna Marga- Antes da Consulta Prashna

Formação de 4 pedras de Harmonia

Continuamos  neste artigo a explorar a obra Prashna Marga segundo o Dr B. V. Raman, falando hoje de alguns aspetos a considerar antes da consulta prashna.

Carta Natal (Jataka) e Carta Horária (Prashna)

O autor de Prashna Marga considera que a carta natal e a carta prashna devem ser vistas ambas tendo em conta os seus pontos fortes e fracos. Devido ao facto de o karma ser um princípio causal inerente ao destino humano, a hora de nascimento tem grande importância. Mas o mesmo deve ser considerado em relação ao tempo em que uma questão é feita na consulta prashna.

E, embora a carta prashna tenha as suas próprias regras, é possível, segundo o autor, ler na carta prashna os eventos revelados na carta natal ou horóscopo. Esta similaridade entre os dois tipos de carta  e de análise faz com que se considere que as regras referidas para a análise prashna podem ser aplicadas igualmente na análise do horóscopo.

Procedimentos a Seguir pela Pessoa que Faz a Pergunta

Já explicámos em outro artigo o comportamento geral  do astrólogo. A sua importância, nos tempos passados, para prever o «passado, presente e futuro»  exigia um estilo de vida em que os hábitos espirituais e uma boa conduta  eram vistos como essenciais para que pudesse desempenhar a sua função de orientar e guiar outros.

Mas também há regras para quem pede a consulta: a pessoa deve escolher um dia lunar favorável, a colocação numa constelação (Nakshatra) favorável e também um dia favorável da semana.

Assim, considera-se que não deve ser escolhido o dia de terça feira nem sábado e que as constelações favoráveis são a 2ª, 4ª, 6ª e 8ª a partir do Nakshatra de nascimento (Nakshatra da Lua).

Seguidamente, deve observar-se o seguinte: o astrólogo só deve responder a uma questão e não mais do que uma e deve discernir quando a pessoa faz uma questão apenas para testar o astrólogo, tal como referido por todos os astrólogos do passado a propósito da astrologia horária. Assim, nesse caso o astrólogo não deve responder.

Mas, quando uma pessoa indica o desejo de conhecer o futuro, mesmo que não peça ao astrólogo que responda, este deve, mesmo assim, com base na análise do Ascendente, casas kendra e trikona, dar a resposta. Esta deve ser dada a partir do Arudha do momento da pergunta.

Obter o Arudha do Tempo da Questão

A obtenção do Arudha pode ser feita segundo dois métodos.  O primeiro tem em conta que os signos Carneiro e Touro representam o Este; Caranguejo e Leão representam  o Sul; Virgem representa o Sudoeste; Balança e Escorpião simbolizam o oeste; Sagitário simboliza o noroeste; Capricórnio e Aquário simbolizam o norte; Peixes simboliza o nordeste. O Arudha será o signo que corresponde à direção em que o querente se encontrava quando fez a questão.

Quando não é possível saber ao certo a direção onde a pessoa se encontrava no momento da questão, usa-se um método alternativo: desenha-se um círculo marcando as direções e os signos do Zodíaco e pede-se à pessoa , após um momento de meditação (no passado o astrólogo fazia uma invocação) pede-se que coloque uma peça de ouro num ponto do circulo definindo-se assim o Arudha.

O Dr Raman comenta que este método também é usado quando a pessoa que faz a questão está agitada e anda de um lado para o outro. A «peça de ouro» pode ser substituída pela colocação simples de um dedo em qualquer parte do círculo desenhado pelo astrólogo. O signo em que o dedo calha é o Arudha.

Este círculo está dividido em 8 partes e não 12. Neste gráfico, os signos cardinais têm 45º cada e o mesmo acontece com os signos mutáveis (Gémeos, Virgem, Sagitário e Peixes) e os restantes signos têm 22º  30’.

Procedimentos do Astrólogo

Segundo o autor de Prashna Marga, o astrólogo deve revelar ao querente tanto os aspetos favoráveis como desfavoráveis, deve ter em conta os «sinais» presentes no momento da perqunta e ter em conta todos os elementos da análise astrológica.

Basicamente, como nota o Dr Raman, deve basear a sua análise em 3 aspetos: a carta prashna, a carta natal e algo menos claro que é nimita. Este conceito refere-se à observação de quaisquer sinais que surjam e possam ser vistos como «prenúncios» favoráveis ou desfavoráveis.

Esta ideia tem implícita a convicção de que a Natureza que nos rodeia tem uma linguagem  cósmica simbólica que não deve ser descurada. No entanto, se isto fazia muito sentido no mundo  do século 17, hoje é mais difícil  de utilizar como critério objetivo pois depende bastante da intuição do astrólogo e esta pode variar significativamente.

Escolher o Momento Apropriado para a Análise

Depois de feita a pergunta pelo querente, deve escolher-se o momento mais propício para analisar a carta prashna.(muhurtha).

Tradicionalmente, apontam-se 22 momentos não favoráveis de acordo com certos tipos de atividades. Alguns destes momentos são difíceis para a apreensão imediata do estudante ocidental e serão posteriormente referidos quando estudarmos os princípios de muhurtha.

Assim, referimos apenas alguns, dos mais significativos:

Gandanta:  1º pada de Ashwini, Magha e Moola e último pada de Ashlesha, Jyestha, Revati.

Constelação atual (Nakshatra)  é a 3ª, 5ª, 7ª ca partir do Nakshatra de nascimento, recebendo o nome de Vipat, Pratyak, Naidhana, respetivamente, sendo não auspiciosas.

O Ascendente no momento da pergunta não deve estar colocado na 8ª casa a partir do Ascendente de nascimento.

A Lua no momento da pergunta não deve estar colocada na 8ª casa a partir da Lua da carta natal.

O princípio que subjaz a esta escolha criteriosa do melhor momento para fazer a questão da consulta prashna é o de que o papel da astrologia é o de ajudar a «iluminar o caminho» para encontrar as melhores opções de resposta favorável ao karma individual.

O autor de Prashna Marga relaciona a consulta muhurtha e prashna, considerando que, se o nativo fizer a pergunta num momento auspicioso e contando com boas influências celestes e também de contexto no espaço em que se encontra, a resposta será mais favorável.

Mas nem sempre é possível fazer essa conciliação na consulta prashna. Daí que Prashna e Muhurtha, apesar de terem algumas características comuns, são autónomas.

No próximo artigo referiremos alguns doshas a evitar na escolha do momento da consulta prashna.

Também Poderá Gostar de Ler

Leave a Comment