Glossário Astrológico- Antíscio e Contrantíscio

formas simétricas

Explicamos neste artigo os conceitos de antíscio e contrantíscio usados pela astrologia helenística e árabe.

O contrantíscio é o ponto oposto, por signo, grau e minuto ao antiscío de um planeta, num ponto equidistante e oposto ao eixo equinocial de um planeta (quando dois planetas estão colocados a igual distância mas um a norte e outro a Sul).

Na astrologia antiga era considerado um fator de debilidade do planeta, semelhante a uma oposição ou quadratura.

Já falámos diversas vezes no conceito de antiscío ou antiscion  conceito que foi usado pelo astrólogo helenístico Firmicus Maternus, no século 4. Este terá sido o único a usar o conceito de antiscío e contrantiscio por grau dos signos assim relacionados, sendo possível que Vettius Valens também o tenha feito.

No entanto, vários astrólogos helenísticos Como Manilus no século 1 e Ptolomeu, no século 2, usaram estes conceitos mas apenas relacionados com os signos envolvidos e não tendo em conta os graus em que se encontravam os planetas.

Foram, no entanto,  os árabes, em especial a partir do século 10, que deram ao antíscio  e contrantíscio bastante relevo, considerando que os graus em que um e outro se dão possuem igual poder.

Tal como acontece com os «aspetos» dos planetas, definidos pelos antigos astrólogos helenísticos  que consideravam padrões harmónicos e desarmónicos em termos espaciais (geométricos), os conceitos de antiscio e contrantiscio  também têm esta vertente da simetria entre os eixos dos equinócios e solstícios que estão na origem das estações do ano.

Em suma, também nestes conceitos vale a norma de que «no Cosmos tudo é geometria», proporção e relação matemática entre as forças.

Estes conceitos são definidos a partir dos signos cardinais, que dão origem a dois eixos: um que se inicia a 0º do signo Carneiro e o seu lado oposto, a 0º do signo Balança , dando origem aos equinócios da Primavera e do Outono;

E o outro eixo, correspondente aos solstícios, iniciando-se a 0º do signo Caranguejo e o oposto a 0º do signo Capricórnio que dão origem, respetivamente, ao Verão e ao Inverno.

Note-se, entretanto que, devido ao fenómenos da precessão dos equinócios, neste momento os pontos solsticiais e equinociais não coincidem já com os 15º dos signos cardinais, que marcavam o início das estações para um bom número de astrólogos helenísticos.

Não era a totalidade dos signos cardinais que era considerada importante, mas os pontos específicos em que se davam os equinócios e os solstícios, apontados por muitos como os 15º mas também por outros, por ex., na Babilónia como correspondendo a 8º ou 10º desses signos.

A importância destes pontos é que eles indicavam (como hoje) o momento em que o dia tinha a mesma duração nos solstícios ou em que os signos cardinais envolvidos se erguiam ao mesmo tempo.

Os signos Antiscio são os situados equidistantes nos pontos solsticiais: Sagitário /Capricórnio; Aquário/Escorpião; Peixes/Balança; Carneiro/ Virgem; Touro/Leão; Gémeos/Caranguejo.

Os signos mais influentes entre estes são os que se movem de Capricórnio para Gémeos pois aumentam progressivamente a sua luz e os que têm menos influência são os que se movem de Caranguejo para Sagitário porque estes estão a reduzir a sua luz.

Parece ter havido uso, na astrologia helenística, dos signos antiscio para analisar relacionamentos, uma vez que astrólogos como Rhetorius, consideravam que estes pares de signos indicam harmonia e amizade entre os indivíduos.

Os signos antiscio são os que têm igual ascensão. A importância deste conceito vê-se nas considerações que o astrólogo Paulus Alexandrinus  fez, ao afirmar que, quando dois signos estão em aversão por não terem qualquer relação um com o outro, o facto de terem  a mesma ascensão cria uma relação entre ambos, evitando desse modo a total desconexão dos seus significados.

Os signos Antiscio são o mesmo que os signos que «se contemplam» e «se ouvem» correspondentes  aos signos solsticiais e também descritos por Ptolomeu como tendo igual poder.

Os signos Contrantiscio correspondem aos signos equinociais que se erguem igualmente e correspondem aos signos que comandam e obedecem.

Interessantemente, Firmicus Maternus considerava que cada planeta enviava um antiscio  para o grau correspondente àquele em que se encontrava, no eixo solsticial. Assim, cada grau antiscio é uma «sombra» ou «duplo» do  planeta em que se origina.

Deste modo o planeta tem poder nesse grau que é o antiscio. Este ponto ou grau antiscio guarda assim um reflexo do poder do planeta que se relaciona com ele. Com base nestes graus antiscio, F. Maternus desenhava uma «carta invisível», paralela à carta natal, a partir da qual  podia analisar influências adicionais dos planetas.

Também Poderá Gostar de Ler

Leave a Comment