Prashna Marga- Previsões sobre o Casamento

casal de noivos

Neste artigo começamos a descrever as matérias e respetiva interpretação referidas no segundo volume da obra Prashna Marga,  com yogas gerais sobre  o casamento.

O autor segue uma ordem considerada «clássica» na análise: primeiro determina-se a longevidade da pessoa, pois  considera-se que, antes de fazer quaisquer previsões sobre futuros eventos da vida, é preciso saber se o nativo viverá o suficiente.

E, como o casamento é a instituição básica da família e, no tempo do autor, da economia, esta é a ordem lógica seguida.

Assim, em primeiro lugar, é preciso determinar a longevidade do casal que pensa em casar, depois analisar a possibilidade de ter filhos – e quantos. Numa economia baseada em trabalho braçal, o número de filhos era fundamental. Além disso, o casamento tinha como finalidade fundamental produzir filhos – para trabalhar e combater, bem entendido.

Só depois de analisar estes dois aspetos no horóscopo dos futuros noivos era feita a previsão que definia se seria ou não um bom casamento e se este deveria realizar-se.

Assim, levanta-se uma carta prashna para responder à questão «devo casar com a pessoa x?»

Aqui convém fazer uma distinção: o Dr Raman nota que a 7ª casa deve estar vazia no momento de casamento mas, na carta prashna levantada para responder à questão referida é bom que haja planetas benéficos nessa casa na carta prashna.

O autor, no entanto, diz exatamente qual é o modo como deve ser feita a pergunta: «Deve a mulher com o nome ……e com o Nakshatra ……esperar ter uma vida próspera e feliz e com filhos se casar com o homem de nome…… e com o nakshatra ……?»

Note-se que o Nakshatra referido aqui é o da posição da Lua. O autor continua, afirmando que, de ambos os noivos ou possíveis noivos, a informação referente à noiva é mais importante do que a do noivo (é a mulher que tem filhos).

A seguir, levanta-se a carta e, pela leitura do Ascendente da carta prashna , é possível conhecer a história de vida, o temperamento e o mesmo pode ser lido para o noivo  a partir da 7ª casa da carta prashna.

Se, na carta prashna o Sol estiver debilitado ou em signo inimigo e não formar aspetos nem com o Ascendente nem com o Arudha lagna, a noiva não terá pai. Se for a Lua a estar na disposição referida, não terá mãe.

O Dr Raman acrescenta que, se o sol estiver forte mas não formar aspeto com o Ascendente nem com o Arudha Lagna, o pai não cuida da filha , não olhando por ela.

Se for Marte a estar na disposição referida, a noiva não tem ligação nem apoio dos irmãos. Se for Mercúrio, a noiva não recebe apoio dos tios.

Pode fazer-se a mesma análise da 7ª casa para saber sobre a vida do noivo: Se o Sol estiver debilitado ou em signo inimigo e não tiver aspeto nem com a 7ª casa nem com o Arudha lagna, o noivo não tem pai.

Do mesmo modo deve ler-se sobre a mãe, os irmãos e os tios: se a Lua, Marte e Mercúrio não formarem aspeto com a 7ª casa nem como o Arudha lagna o noivo não tem, respetivamente, mãe, apoio dos irmãos e apoio dos tios.

O casamento não se realizará se a Lua estiver aflita e estiver colocada num signo feminino a partir do Ascendente da carta prashna ou do Arudha lagna, e quando a questão é colocada no período de Lua minguante.

Se a Lua estiver colocada na 8ª casa isso também indica obstáculos ao casamento.

Se o regente do ascendente e o regente da 7ª casa estiverem em receção mútua,  ou estiverem colocados em signos amigos, ou exaltados, ou em aspeto um com o outro, o casamento ocorrerá.

Se, na carta prashna houver planetas maléficos que recebem o aspeto de outros maléficos estiverem debilitados ou colocados em signos inimigos na 8ª casa, o casamento não ocorrerá por alguma razão.

Se houver planetas maléficos colocados na 6ª casa, o casamento não se realizará devido a doença ou a brigas entre os familiares dos noivos.(este aspeto refere-se ao facto de o casamento na Índia ser «arranjado», tradicionalmente, entre os pais dos noivos e decidido por estes.

Quando o ponto yama sukra[1] ou o regente da 10ª casa a partir deste modo ocupa a 6ª, 8ª ou 12ª casa a partir do Arudha lagna, ou se Vénus está colocada na 6ª, 8ª ou 12ª casa a partir do Yama sukra, o casamento não ocorrerá no momento fixado.

Quando Rahu, Ketu ou o Gulika estiverem colocados ou em aspeto com o ponto da carta designado por Yoga sputa[2], ao qual se chega somando a longitude de vénus, do regente do Ascendente da carta prashna e do ponto yama sukra, o casal não terá qualquer felicidade depois do casamento.

Quando Vénus e o regente da 7ª casa estão colocados em casa upachaya o casal será feliz e terá filhos. O Dr Raman acrescenta que o mesmo princípio pode aplicar-se a outros planetas, por ex., se Júpiter e o regente da 5ª casa estiverem colocados em casa upachaya, haverá muita prosperidade depois do nascimento de um filho.

Do mesmo modo, se Marte e o regente da 3ª casa estiverem colocados na 3ª, 6ª ou 11ª casas (casas upachaya), haverá felicidade depois do nascimento de um irmão. Deste modo, usando os karakas  e os regentes das casas que eles representam, colocados em casas uapachaya, é possível fazer previsões, que , segundo o Dr. Raman, são apenas válidas para a análise prashna.

Quando a Lua e Vénus estão  fortes e colocados em signos e navamsas pares  e além disso estão em aspeto com o Ascendente, a pessoa casará cedo com a mulher que tem em vista. Segundo o Dr Raman, esta combinação aplica-se tanto á carta de nascimento como à prashna.

Quando, num horóscopo em que o parceiro é feminino, o Ascendente está colocado num drekkana feminino e navamsa par, recebendo o aspeto da Lua e de Vénus,  o casamento ocorrerá cedo.

Planetas benéficos colocados em casa kendra e trikona e na 7ª casa e esta recebe o aspeto de planetas benéficos e tem regência de um planeta benéfico, indica que o cônjuge é muito atraente.

Quando a 7ª casa tem a regência de um planeta maléfico a noiva não será atraente.

O casamento ocorrerá cedo se: a Lua , recebendo o aspeto de planetas benéficos, está colocada na 3ª, 6ª, 7ª,10ª ou 11ª casas a partir do Ascendente ou do Arudha.

Ocorrerá cedo também se a Lua e Vénus estão colocados no Ascendente ou na 7ª casa e o Ascendente é Gémeos, Virgem, Balança ou Aquário.

Também ocorrerá cedo se Mercúrio, Vénus e Júpiter estão colocados em casas kendra ou na 7ª casa.

Quando, na carta horária, o Ascendente, a 5ª, 8ª e a 9ª casas recebem o aspeto do respetivo regente ou este está nelas situado e essas casas e planetas não recebem o aspeto de planetas maléficos, o casal terá muita felicidade  depois do casamento.

Se nenhum destes regentes estiver situado como referido, infelicidade será o resultado do casamento, pelo que este não é aconselhável.

Se a Lua e o Ascendente ocuparem navamsas benéficos, felicidade e bem ocorrerá. Mas se estiverem colocados em navamsas maléficos, eventos negativos e até a morte podem ocorrer.

No próximo artigo continuaremos a descrever os efeitos de várias combinações na carta prashna,  para o casamento.

 

[1] O yama sukra encontra-se do seguinte modo: este ponto ergue-se no horizonte nos ghatis 22, 18, 14, 10 , 6, 2 e 26 após o nascer do sol, de domingo a sábado

[2] Como o autor refere, trata-se de um ponto sensível no horóscopo, negativo para a felicidade do casamento, ao qual se chega somando o nº de graus e minutos dos 3 elementos referidos: yama sukra, regente do ascendente e Vénus. O resultado indica, no Zodíaco, o ponto que tem o nome deste yoga.

Também Poderá Gostar de Ler

Leave a Comment