Glossário Astrológico- Aspeto Dedo de Deus

Imagem com reflexos triangulares de luz

Falamos neste artigo de um aspeto entre planetas, designado popularmente por «dedo de Deus» no qual dois planetas estão em sextil um com o outro (60º de distância)  e ambos lançam aspeto de quincôncio (150º) para um terceiro, que está colocado no ponto médio de oposição a estes.

Segundo alguns, este aspeto, usado na astrologia ocidental,  indica um forte propósito, um impulso interior e forte aspiração, orientados para alcançar um objetivo especial na vida.

Este aspeto forma um triângulo alongado. Não é um «grande trino» porque este é formado por um triângulo de lados iguais, o que não acontece com este aspeto.

Os astrólogos em geral consideram este aspeto, que é usado, como referimos, no contexto da astrologia ocidental , como indicando um destino singular, com características especiais, havendo quem considere que a pessoa com este aspeto tem uma missão especial na vida ou um destino especial.

Deste modo, este aspeto indica, segundo dizem, um conjunto de experiências únicas e com um propósito especial para a alma, sendo de caráter espiritual, e não material.

Por outro lado, havendo um aspeto de quincôncio a ligar um certo planeta a outros dois, há nestas experiências uma dimensão de desafio, no qual alguma coisa deve ser aprendida e trazida ao equilíbrio para que novas oportunidades possam surgir.

Assim, segundo defende, por ex., a astróloga Manda Selva, o aspeto «dedo de Deus» indica uma espécie de teste à alma, um conjunto de experiências destinadas ou kármicas, que não resultam portanto da escolha consciente no «aqui e agora» e cujo resultado não está definido à partida.

Trata-se, aparentemente, de trazer eventos, situações, relacionamentos e outras experiências para a vida da pessoa, que tanto podem ter um desfecho positivo como negativo, conforme as escolhas que a pessoa fizer quando confrontada com tais situações e eventos.

Deste modo, a pessoa pode, por ex., ser dotada de grande inteligência ou outros talentos que trabalhou muito no passado e terá de usar o discernimento e a sua liberdade para os aplicar numa dada situação ou relacionamento.

E o resultado disso não pode ser definido á partida, depende do que a pessoa fizer com as oportunidades que lhe são dadas.

Quando confrontada com tal situação, a pessoa não tem controlo sobre o que acontece, mas tais experiências têm o potencial de lhe fazer descobrir um dom especial com que nasceu e que pode usar para transformar o que acontece em algo que pode ter um significado extraordinário.

Ao ser colocada perante situações inesperadas e problemáticas, a pessoa confronta-se com o desafio e sente o impulso interno para encontrar uma solução e, ao fazê-lo, descobre o seu «dom» e a missão especial que pode ter na vida.

O aspeto «dedo de Deus» que forma um T ou um Y, é considerado por muitos como um símbolo místico para um problema que surge na vida.  Os dois planetas em sextil indicam o impulso para fazer alguma coisa mas o planeta que está em quincôncio interpõe-se entre ambos e traz um problema que dificulta a realização do que se deseja.

Se houver um quarto planeta entre os dois que estão em sextil, este 4º planeta indica o que pode ser feito para resolver o dilema colocado pelo planeta que está em quincôncio com os dois em sextil.

O trânsito de outros planetas ou progressão sobre os planetas que formam o aspeto ativa a energia do mesmo e os planetas envolvidos, as casas onde se dá o aspeto e os signos que as ocupam ajudam a perceber o resultado em relação ao dilema colocado pelo aspeto «dedo de Deus».

Também Poderá Gostar de Ler

Leave a Comment