Muhurtha-Escolher um Momento Propício

pessoa com flores azuis

Iniciamos com este artigo uma nova série, explicando os fundamentos e procedimentos do ramo astrológico Muhurtha, seguindo a obra com  o mesmo nome, do prof. B. V. Raman.

A astrologia Muhurtha é o ramo que corresponde à Astrologia Eletiva da tradição ocidental. Embora tenha algumas semelhanças com a astrologia horária- Prashna- não coincide com esta porque não se trata simplesmente de levantar uma carta num momento determinado , trata-se  antes de escolher o momento mais propício para realizar uma determinada ação ou evento.

Muhurtha e Horóscopo

O horóscopo analisa as posições e configurações celestes no momento do nascimento, que são fruto do karma prévio do nativo. Indica  o conjunto de heranças que o nativo traz para esta vida no plano físico, mental e material.

Muhurtha, pelo contrário, é superior, segundo o Dr Raman porque dá indicações valiosas à pessoa , dirigindo-a de modo a poder neutralizar, remover ou até cancelar muitos aspetos negativos indicados pelo horóscopo.

Em suma, o horóscopo é um diagnóstico que dá informações ; muhurtha , por outro lado, é prescritivo e preventivo, mostrando que, se o nativo efetuar determinadas ações nos momentos mais auspiciosos, poderá contrariar muitos dos «males» indicados pelo horóscopo.

No exemplo dado pelo prof. Raman, veja-se o caso de configurações negativas na 4ª casa do horóscopo , devido á presença de planetas maléficos, ao mesmo tempo que Júpiter  e Mercúrio estão aflitos, indicando assim  que haverá problemas no percurso da educação do nativo.

No entanto, esta dificuldade indicada pelo horóscopo pode ser contrariada escolhendo o momento mais auspicioso para começar o processo educativo.

Outro exemplo é o de um horóscopo que indica aflições à 5ª casa, dificultando a possibilidade de ter filhos. Através de muhurtha, pode escolher-se um momento auspicioso para o casamento, no qual os planetas significadores dos filhos estão muito fortes e positivos, de modo a minimizar a possibilidade de perda de filhos e assegurar que, pelo menos um, seja possível.

A realização de uma ação como o casamento, do qual decorre, em geral, o nascimento de filhos, num momento realmente auspicioso, ajuda a cancelar ou reduzir as aflições presentes no horóscopo, o que leva o Dr Raman a considerar este ramo da astrologia, como sendo de máxima importância.

Segundo o Dr Raman, Muhurtha ajuda a minimizar , modificar os aspetos negativos do karma individual de um modo considerável. Isto não quer dizer que, usando este ramo da astrologia, a pessoa tenha a chave automática que lhe dará riqueza e felicidade.

Na verdade, o papel de Muhurtha é o de nos ajudar a evitar o fracasso, quando este está indicado no horóscopo, ou pelo menos a minimizá-lo.

A vida baseia-se em energias criativas, de proteção e de destruição, que se desenvolvem no tempo. O sol em primeiro lugar e os planetas como distribuidores das energias solares, representam estes movimentos.

A energia dos planetas não tem sempre a mesma qualidade. Ao longo de um dia, por ex., cada um apresenta um tipo de energia que é favorável para determinado tipo de ações mas não para outras.

A astrologia muhurtha baseia-se neste  princípio de escolher o momento mais propício para aproveitar a energia dos planetas de acordo com o tipo de ação que queremos realizar e que coincide com o momento no qual os planetas libertam a sua energia com as qualidades que ajudam e suportam a nossa ação.

Assim, se a nossa ação tem uma natureza essencialmente criativa, será desaconselhável realizá-la  quando a energia dos planetas que podem dar-lhe apoio estão a exprimir uma qualidade destrutiva.

No fundo, refere o Dr Raman, trata-se de aprender a seguir o ritmo da Natureza, adaptando as nossas ações a esse ritmo. Cada momento temporal tem a sua própria qualidade (criativa, protetora ou destrutiva) e aquilo que nasce nesse momento tem na sua natureza essas qualidades.

O ser humano é também influenciado por essa qualidade dominante do tempo em que nasceu. Mas a sua vida não para aí, desenvolve-se. E, devido à liberdade do ser humano, este tem o poder de criar, em boa parte, o destino que deseja para si. Fazer isso recorrendo ao conhecimento dos ritmos do tempo natural, revela a sabedoria que está à sua disposição em muhurtha.

Aspetos Gerais da Muhurtha

A Lua tem um papel fundamental na escolha de momentos propícios. A Lua deverá estar dignificada na carta eletiva.

Para além disso, uma vez que não se pode separar completamente o indivíduo da sua herança expressa no horóscopo, deve haver uma relação harmoniosa entre a carta eletiva e o horóscopo, sendo certo que, se houver aflições muito severas no horóscopo em relação à matéria da carta eletiva, esta pode ter sucesso bastante limitado.

Deste modo, há que fazer sempre a análise de ambas as cartas antes de fazer um prognóstico sobre os efeitos da carta muhurtha ou eletiva. Deve ter-se em conta que a carta eletiva pode modificar ou minimizar configurações desfavoráveis no horóscopo mas não pode fazer tábua rasa das mesmas. Elas podem ser minimizadas mas não totalmente canceladas.

Para as pessoas que não  conhecem a hora de nascimento e, por essa razão, não têm o seu horóscopo, o prof. Raman aconselha ver qual é o seu Nakshatra (da Lua) (pode ler a descrição dos efeitos de cada Nakshatra da Lua no nosso outro site A Tua Vida nos Astros) e estudar os trânsitos dos planetas por esse Nakshatra, como forma de comparação ou ponto de referência com a carta eletiva.

Assim, é preciso ter em conta sempre, ou a relação com o horóscopo ou com o Nakshatra da Lua no momento do nascimento, ao levantar uma carta muhurtha. A razão é porque a carta eletiva será afetada tanto pelas configurações positivas como negativas do horóscopo no momento do nascimento.

A partir do próximo artigo explicaremos os fundamentos e interpretação da carta eletiva ou muhurtha.

Também Poderá Gostar de Ler

Leave a Comment