Regente da 7ª Casa na 1ª 2ª e 3ª Casas

parceiros de negócio

Neste artigo descrevemos os efeitos do regente da 7ª casa na 1ª, 2ª e 3ª casas do horóscopo. Este artigo complementa um outro mais antigo já publicado.

Regente da 7ª Casa na 1ª Casa

O regente da 7ª casa na 1ª casa indica forte cooperação entre o nativo e o cônjuge, bem como outros parceiros por ex., na área dos negócios. Pode haver um negócio conjunto com o cônjuge que dará bons frutos, se não houver aflições.

Esta colocação indica igualmente que o nativo valoriza fazer tudo na vida em cooperação, em vez de atuar sozinho. Prefere tomar decisões por acordo, ou negociação, tendo em conta os parceiros significativos.

Um outro aspeto importante a considerar é que atrai parceiros dispostos a ouvi-lo (a) e a seguir os ditames que estabelece, preferindo que o nativo os guie, o que pode nem sempre ser bom, pois pode  significar que o nativo atrai pessoas que preferem que outros tomem decisões por si, não querendo responsabilizar-se elas próprias pelo rumo que devem seguir na vida.

Mas os efeitos desta colocação dependem bastante dos regentes da 1ª e da 7ª casa envolvidos, se são benéficos ou maléficos, se estão fortes e dignificados e qual deles é mais forte do que o outro.

Assim, se o regente da 7ª for um maléfico e Vénus, o karaka do casamento e das parcerias, estiver fraco, o parceiro /cônjuge pode dominar o nativo e ter uma natureza conflituosa. Isto não acontece quando os regentes e Vénus estão dignificados.

Outro efeito muito frequente é uma natureza fortemente focada no plano sexual, podendo mesmo indicar viciamento do nativo nesta área. O nativo é alguém de fortes paixões e desejos.

Por lançar aspeto para a 7ª casa, o regente da 7ª na 1ª protege os significados da 7ªcasa, se estiver forte. Assim, indica ligação afetiva forte com o parceiro /cônjuge. Protege igualmente a longevidade e todas as parcerias. O casamento, se não houver aflições, será feliz. O cônjuge também será atraente.

O nativo pode obter riqueza após o casamento. Também poderá viajar frequentemente para países estrangeiros, definindo a sua identidade através do contacto com pessoas de outras culturas e países.

Outro efeito bem provável é a escolha, pelo nativo, de parceiros que o fazem «parecer bem» perante a sociedade e melhoram a sua autoimagem e autoestima. Aquilo que os outros pensam de si, o modo como o veem, é uma preocupação para estas pessoas.

Assim, tende a desenvolver uma autoimagem que o ajuda a responder aos inimigos ou pessoas que considera serem «contra si» ou a defender-se dessas pessoas, podendo escolher parceiros que melhor o ajudam nesse intento.

O nativo tem tendência a separar «os outros» em dois grupos: os que estão «consigo» e os que estão «contra si» e projeta para os outros esta imagem, pelo que esta é uma característica que é de imediato notada pelos que interagem consigo.

Também deseja que os outros reconheçam a sua preocupação em ultrapassar as diferenças através de acordos e contratos, que respeita. E cria uma imagem de compromisso e vontade de colaborar o que, geralmente, favorece a sua credibilidade e ajuda os negócios.

Tende a considerar que, na vida tudo é negociável e que, em qualquer situação, desde que haja vontade de ambas as partes, é sempre possível chegar a acordo. E usa esta estratégia, tanto em família como no trabalho.

Regente da 7ª Casa na 2ª Casa

A colocação do regente da 7ª casa na 2ª casa favorece, desde que não haja aflição a estas casas nem aos seus regentes, o recebimento de riqueza a partir do cônjuge. Também pode receber riqueza e recursos dos parceiros de negócios.

A situação financeira do nativo melhora bastante após o casamento ou alguma boa parceria. Ou o parceiro/cônjuge traz essa riqueza para o casamento/parceria ou, com o seu trabalho, contribui notavelmente para um aumento de riqueza.

Pode igualmente haver mais do que um casamento.  O nativo pode também pender para a indulgência na procura de prazeres sensuais, podendo entrar em múltiplos relacionamentos de caráter sexual.

Tanto a 2ª como a 7ª casa são casas maraka, pelo que, se o regente da 7ª casa receber aspetos de planetas maléficos, torna-se um planeta maraka, causando problemas de saúde durante o seu período dasa e subperíodos.

Esta condição maraka pode estender-se ao parceiro se o regente da 7ª colocado na 2ª estiver debilitado, fraco ou aflito por aspetos de planetas maléficos, indicando problemas de saúde do parceiro/cônjuge. Nesta circunstância, também pode indicar separação ou divórcio.

O nativo e o cônjuge possuem boa imaginação, capacidades oratórias e de discurso. O parceiro/cônjuge é inteligente e muito instruído e, se não houver aflições, a relação com este é feliz.

Esta posição também pode indicar ganhos a partir de atividade com ou no estrangeiro, para além de indicar que os ganhos e status do nativo lhe advirão através das parcerias.

Quando o regente da 7ª está fraco na 2ª casa, pode haver problemas de saúde afetando a boca, dentes e a visão.

O nativo procura nas parcerias e no casamento segurança material pelo que um dos aspetos mais valorizados nos parceiros é estes terem dinheiro e outros recursos considerados importantes.

Também considera importante que o parceiro ou cônjuge tenha a mesma abordagem da vida e dos prazeres que esta pode dar, no plano físico. Deste modo, a partilha de gostos como comida, bebida, sexo, prazeres sensuais como perfumes, arte, beleza, é importante para este nativo.

O parceiro é adaptável aos recursos disponíveis, ajustando os comportamentos e hábitos ao dinheiro disponível para gastar. Esta adaptação é essencial para a pessoa, pois dá-lhe segurança e estabilidade, tanto no plano material como emocional .

O parceiro ajuda na acumulação de recursos e contribui para elevar o status da família.

Regente da 7ª Casa na 3ª Casa

Tanto a 3ª casa como a 7ª casa são casas de desejo (Kama) e, nesse sentido, esta posição pode indicar que o parceiro/cônjuge pode ajudar a concretizar os desejos e ambições. O nativo tem uma forte natureza volitiva.

Porém, a 3ª também é uma casa dusthana, embora não das mais desfavoráveis pois é igualmente uma casa upachaya ou de crescimento, o que significa que os obstáculos que ela representa podem ser vencidos com tempo, trabalho e determinação.

Mas há quem lhe atribua a possibilidade de perda de filhos, não sendo considerada positiva para a vida conjugal. Esta dificuldade prende-se com a dificuldade de produzir esperma pelo homem, sendo que os antigos textos dizem que, com alguma dificuldade, pode nascer uma rapariga, mas que é possível que, se nascer um rapaz, este não sobreviva.

Mas trata-se de uma boa posição para os irmãos, que podem ser prósperos e viver em país estrangeiro.

O nativo atrai parceiros (de negócios e casamento) corajosos, cheios de entusiasmo e boas ideias, que incentivam o nativo e ajudam a desenvolver iniciativas de negócios. E também pode ganhar através do próprio esforço.

O nativo pode conhecer os parceiros e o cônjuge durante uma viagem e viajará bastante, tanto em pequenas deslocações como viagens de longa distância por motivos profissionais.

O nativo pode envolver-se em projetos ligados a comunicação, marketing e publicidade, relações públicas, escrita, vendas e comércio pela Internet.

No plano pessoal, o (a) parceiro (a) é comunicativo, entusiasta e motivado, ajudando a expressão do empreendedorismo e sentido de aventura. A comunicação torna-se a base da harmonia conjugal, e problemas de comunicação serão responsáveis por problemas de relacionamento.

O cônjuge pode vir de lugar distante, de outro país ou cultura e, dada a relação de 9 casas entre o regente da 7ª e a 3ª casa, o parceiro não apenas traz novas ideias mas também pode trazer novas oportunidades e sorte, em especial na concretização de algum negócio.

A tradição considera que o regente da 7ª casa colocado na 3ª pode atuar como planeta maraka para o pai.

No plano psicológico do relacionamento, o nativo escolhe um parceiro com o qual pode falar e que o escuta quando isso é necessário. Conversar e interessar-se pelo que o nativo faz no seu dia a dia é um elemento essencial do relacionamento.

A vida quotidiana é um interesse imediato do nativo, bem como a relação desta com parceiros de todos os tipos, incluindo o conjugal. E pode escrever sobre isso, tanto de modo informal como nas redes sociais, num blog, como em atividade mais formal como cronista num jornal, por ex.

O parceiro de casamento e outros parceiros são também temas sobre os quais o nativo gosta de escrever e de falar, incluindo alguma atividade literária que desenvolva formalmente. O dia a dia de um casamento ou parceria são temas de eleição.

Outra característica importante nestes nativos é o verem as ideias como parte fundamental de qualquer parceria ou casamento. As ideias, a sua expressão e partilha são um elemento que leva a pessoa a sentir-se próxima ou distante daqueles com quem interage no seu quotidiano.

Também Poderá Gostar de Ler

Leave a Comment