Conjunção Mercúrio Saturno na 9ª Casa Signo Sagitário

homem a pregar em estilo autoritário

Descrevemos neste artigo os efeitos gerais da conjunção Mercúrio Saturno na 9ª casa e no signo Sagitário.

Pode ler a descrição dos efeitos da colocação de Mercúrio na 9ª casa aqui e no signo Sagitário aqui.

Pode ler a descrição dos efeitos de Saturno na 9ª casa aqui e no signo Sagitário aqui.

Quando a conjunção Saturno Mercúrio se dá na 9ª casa, uma casa de Júpiter, havendo inimizade de Júpiter em relação a Mercúrio e neutralidade entre Júpiter e Saturno, os efeitos não são favoráveis a uma mente aberta e crítica.

Se Saturno tem o grau inferior da conjunção, os efeitos são mais nítidos nesta matéria: o nativo agarra-se ao princípio da autoridade, ao dogmatismo que aceita certas verdades como absolutas e não aceita qualquer mudança em relação a estas.

Isto é muito claro nas ideias acerca da religião, acreditando que só uma religião é verdadeira e todas as outras são falsas, abrindo caminho para a intolerância religiosa que separa a pessoa dos outros que têm crenças diferentes.

É evidente também na própria religião em que acredita e em que resiste a desenvolver novas ideias ou comportamentos que permitam a adaptação aos tempos em que se vive, aceitando-se um modo de vida definido no passado como o único possível.

Isto é claro, por ex., no catolicismo, com a recusa de que os sacerdotes possam casar, gerando-se divisão no seio da própria comunidade religiosa. Seja qual for a proposta, qualquer mudança é linearmente rejeitada.

Estas pessoas defendem assim a ortodoxia, a ideia de que há verdades que não podem ser alteradas por serem revelação divina. Deste modo, estes nativos colocam-se na postura de fé absoluta, rejeitando o uso da razão e da crítica, matando deste modo toda a possibilidade de mudança dos seus sistemas de crenças.

Mas a religião não é  o único sistema de crenças que não é criticado por estas pessoas. Na verdade, todas as ideologias em que nasceram e em que foram educadas, sejam estas quais forem, tendem a permanecer como as verdades definitivas que lhes servem de guias para a vida.

E procuram perpetuar essas crenças, de forma rígida e dogmática: se estiverem no ensino,  com os alunos; e, na educação dos filhos, não lhes  permitem desvios em relação à doutrina que recebem.

 Mas não se pense que tudo isto é produto da «fé» cega. As teorias, ideológicas ou religiosas, são encaradas a partir da submissão ao princípio da autoridade.

Sob a influência de Saturno, a pessoa encara a religião como uma forma de organizar a sociedade de forma ordeira e respeitando a hierarquia dos poderes estabelecidos. Estes nativos são pouco dados a acreditar na transcendência.

E têm a firme convicção de que à autoridade, obedece-se, pura e simplesmente. A religião e as ideologias dominantes são a forma de controlar a sociedade de forma regulada e ordeira.

Quando Mercúrio tem o controlo da conjunção, o nativo pode ser um académico, especializado na tradução e estudo de textos religiosos antigos como a Bíblia e outros. Mercúrio também não inclina para o sentimento religioso, inclina mais para o conhecimento relacionado com textos religiosos.

Mas, quando está em conjunto com Saturno, a habitual liberdade de pensar de Mercúrio fica muito controlada e submetida à procura da «leitura correta», isto é, da leitura única que pode fazer-se de determinado texto ou palavras, procurando-se restituir «o verdadeiro significado», que não admite «interpretações» ou leituras diferentes.

Do alto da sua cátedra, este nativo afirma-se como a autoridade que, pelo seu conhecimento dos textos, é capaz de dizer qual o verdadeiro significado dos mesmos. Não há espaço para se contextualizar o texto com a cultura e a época em que foi produzido, por ex., há apenas a procura e a pretensão de ter «a única leitura verdadeira».

Deste modo, agradando à comunidade na qual determinadas crenças são desenvolvidas, estes nativos adquirem uma reputação de sábios e especialistas pois «respeitam» a tradição, isto é, aceitam que um certo texto contém uma verdade definitiva.

Quando desempenha a função de professor, o estilo deste nativo não é o de fomentar o pensamento crítico individual mas o de doutrinador, que profere as suas pérolas de sabedoria para os alunos repetirem e propagarem.

Pode ser um professor de filosofia mas, em vez de ensinar a filosofar, ensina a repetir as teorias velhas de outros  como sistemas acabados nos quais não deve mexer-se mas apenas dar-se a conhecer, como exemplos perfeitos do ser humano para chegar à sabedoria.

O nativo é um teórico que descreve e analisa, mas sem a chama que lhe permite sentir a verdadeira sabedoria. A associação com Saturno tem, no entanto, o potencial, distante embora, mas real, de, subitamente, irromper para lá da rígida estrutura dos conceitos e captar numa experiência simples, uma verdade que desmonta todo o edifício de crenças.

Mas surge apenas quando  este deseja ir para além desse muro de palavras que não contêm mais nada do que ideias que perderam, na passagem do tempo, o seu viço de verdade.

Quando a conjunção Mercúrio Saturno se dá no signo Sagitário, os efeitos não são muito diferentes dos descritos para a posição na 9ª casa.  O nativo está muitas vezes ligado à religião, seja como sacerdote seja como professor.

Adota a postura do doutrinador ou pregador, que solicita apenas o ouvir e o repetir, mas não o pensar vivo que transforma a forma de compreender e que procura apenas usar a memória para repetir fielmente o que ouviu.

Gosta de trabalhar numa estrutura que funciona com uma hierarquia ordenada.  Há também apreço pelos valores humanistas de Sagitário, que procuram justiça e educação para todos os membros da sociedade.

Mas, embora ensine de forma dogmática, Saturno dominante na conjunção em Sagitário traduz os ensinamentos num pragmatismo racionalizado, procurando mostrar que algumas ideias filosóficas merecem ser trazidas á concretização na vida de todos.

A associação com Mercúrio reduz o caráter taciturno do nativo, acrescentando alguma vivacidade oratória e otimismo ao falar.

Se Mercúrio tiver o grau inferior na conjunção, o nativo pode ser um bom professor, um defensor de causas humanitárias, um advogado com bons princípios de justiça.

Se Saturno for dominante, o nativo preferirá os «velhos modos de pensar» e de ser como os mais capazes de traduzir o correto propósito de vida.  Mas, após o retorno de Saturno, a partir dos 30 anos, a pessoa tem mais liberdade para ouvir a intuição e abandonar a letra morta do saber.

Quando Mercúrio tem o grau inferior na conjunção Mercúrio Saturno na 9ª casa signo Sagitário o nativo tem a capacidade para apreender semelhanças no modo de ser e de pensar de várias culturas e pode usar esse saber para ajudar os alunos, quando ensina, a aceitar que há unidade do humano na diversidade dos modos de ser culturais.

Também é capaz de transmitir um tom mais otimista e de esperança do que quando Saturno controla a conjunção.  Ainda assim, a influência de Saturno faz-se sentir na tendência para cair facilmente na doutrinação e na ideia da «verdade única» pois falta a Mercúrio a profundidade filosófica capaz de apreender por si a verdade de forma intuitiva.

Também Poderá Gostar de Ler

Deixe um comentário, ajude-nos a melhorar