Conjunção Sol Júpiter na 12ª Casa Signo Peixes

Completamos hoje a descrição dos efeitos da conjunção Sol  Júpiter nas casas e signos, descrevendo os efeitos da combinação Sol Júpiter na 12º casa e signo Peixes.

Para saber os efeitos da colocação do Sol na 12ª casa leia o artigo aqui.

Quando Júpiter está colocado na 12ª casa , da qual ele é o regente natural, expande todos os seus significados, tanto os positivos como os menos positivos.  Assim, o nativo pode ter uma prodigiosa imaginação, pode também ser incrivelmente intuitivo e ter aptidões psíquicas que lhe dão acesso a planos de realidade mais subtis. As preces e/ou os sonhos podem ser importantes fontes de orientação e de criação. As viagens para países distantes são outras fontes potenciais de despertar espiritual ou religioso. Estes nativos também podem desenvolver atividades de diplomacia internacional de tipo confidencial e serem bem- sucedidos. Estas pessoas são muitas vezes visionárias e podem criar mundos imaginários que estimulam a fantasia e a compreensão simbólica do público. Alguns são espiritualmente desenvolvidos e encontram grande conforto nas atividades espirituais como meditação, trabalho de apoio em prisões e hospitais, aconselhamento de pessoas com alguma limitação como toxicodependência, marginais da sociedade, etc., abrindo-lhes novos horizontes com uma  perspetiva de vida  com mais esperança.

Os nativos com Júpiter na 12ª casa são particularmente sonhadores , vivendo preferencialmente no mundo subtil  ou «astral», do imaginário e dos sonhos, tendo pouca aptidão para se adaptarem ao mundo concreto e material. Esta fraca aptidão  para a vida prática quotidiana pode ser um dos fatores que explicam a crónica situação de falta de dinheiro, despesas avultadas e ideias pouco firmes acerca da realidade.

Sendo um planeta karaka dos filhos, Júpiter na 12ª casa pode indicar filhos escondidos, nascidos fora do casamento ou que vivem numa terra diferente do nativo, sendo que esta pode ser um país estrangeiro. Do mesmo modo o nativo pode manter diversos relacionamentos de caráter sexual privados, por vezes implicando estadia em país estrangeiro.

Júpiter na 12ª casa também favorece  uma vida errante, favorecendo igualmente a prosperidade desse modo de vida ,com o nativo a viajar para diferentes países. Mas Júpiter nesta casa não aumenta substancialmente os bens materiais sendo antes favorável ao desenvolvimento espiritual e ao bem- estar em todos os ambientes confinados (incluindo o privado quarto de cama). Os significados das casas que Júpiter rege no horóscopo fazem-se sentir principalmente no plano espiritual ou na criatividade através da imaginação.

Alguns nativos podem ter dons espontâneos para curar, especialmente no plano psíquico. Em algumas culturas são considerados os conselheiros certos para ajudar na passagem desta vida para o «além morte» no processo de morte física, dizendo-se que Júpiter na 12ª casa consegue contactar os espíritos ancestrais e facilitar a mudança ou transição da vida corpórea para a espiritual. Muitos são psíquicos ou médiuns reputados.

Numa natividade cujo cônjuge é masculino, este é encontrado muitas vezes num ambiente religioso ou espiritual, em terras estrangeiras, num ambiente artístico ou de entretenimento em que a imaginação é um fator principal, num espaço de meditação etc.; especialmente no primeiro casamento pode haver residência em país estrangeiro.

Segundo os clássicos, Júpiter na 12ª casa  protege o nativo onde quer que este esteja, guiando-o no seu percurso terreno. Os nativos podem também envolver-se na procura de prazeres materiais para aprenderem a lição da sua futilidade e insuficiência para preencher o sentido da vida. Enquanto prosseguem estes objetivos materialistas, os nativos podem enveredar por um caminho de preguiça e indulgências de todos os tipos e procurar um tipo de vida cheio de luxo. Simultaneamente, porém, serão filantropos e amigos de ajudar os que precisam, gastando largas somas de dinheiro nessas atividades. Experienciarão diversas dificuldades na vida, destinadas a fazer-lhes perceber que o caminho de realização pessoal não é o da satisfação dos sentidos. Quando Júpiter é um funcional benéfico, estes nativos ganharão dinheiro através da prática de métodos de cura, estudos ocultos, da sabedoria ancestral e até dos inimigos, porque levam a melhor sobre estes.  Quando Júpiter é um maléfico funcional os outros não gostam do nativo, este pode usar linguagem menos apropriada, tem poucos filhos , poderá ser arrogante e ganancioso, acompanhando com pessoas de má índole.. Ganhará bastante mas terá também grandes despesas. Será instruído. Pode gastar bastante em atividades espirituais/religiosas. É egoísta . Gasta dinheiro mal gasto, é preguiçoso , hostil para os familiares, instável e malevolente, não recebe respeito dos outros, tem falta de modéstia, viaja muito. É extravagante, impaciente, pouco caridoso, pode ter problemas cardíacos na infância.

Quando atua de forma menos positiva no mapa, Júpiter na 12ª casa pode indicar dependência de álcool e outras substâncias que provocam alterações na perceção, gastos excessivos e insensatos, excesso de confiança de que terá proteção em qualquer circunstância, etc.

Para saber os efeitos da colocação do Sol no signo Peixes, leia o artigo aqui.

A colocação de Júpiter no signo Peixes que ele próprio rege torna o indivíduo extremamente intuitivo e inclinado para as práticas religiosas ou espirituais. Pode ser devoto; aprecia estar recluso e em meditação. Os nativos são ainda extraordinariamente dotados de imaginação e da capacidade para criar/visualizar mundos alternativos, criados pela sua fantasia ou vislumbrar realidades subtis, de natureza psíquica, sem dificuldade. Estas pessoas parecem ter acesso imediato à sabedoria do «inconsciente ou imaginário universal» através dos sonhos e da sua criatividade. Têm também uma natureza compassiva e generosa, gostando de ajudar os outros. Os antigos afirmavam que estas pessoas recebem orientação dos guias espirituais e dos espíritos ancestrais, através dos sonhos e da perceção subtil ou «inspiração».  Apreciam a pureza moral e as crianças como símbolos dessa  inocência e bondade inata. Acreditam na bondade inerente ao Universo expressa no amor divino incondicional.  Podem, deste modo, levar conforto espiritual aos que sofrem, recebendo inspiração de forças espirituais. Alguns podem possuir capacidades psíquicas telepáticas  e de clarividência.  Podem viajar com frequência para lugares distantes.

A colocação de Júpiter em Peixes pode indicar uma vida confortável em termos financeiros, conforme a colocação do signo Peixes. Os nativos podem ainda alcançar uma boa posição na vida como professores, guias espirituais e conselheiros, etc.. a sua natureza moral é em geral irrepreensível, estas pessoas regem-se por princípios e valores morais elevados. A generosidade de caráter torna-as populares. Possuem tendências religiosas fortes  e/ou místicas. Estas pessoas necessitam de sentir que estão ligadas ao divino.  Os nativos com Júpiter em Peixes procuram uma verdade mais essencial ainda do que a da Filosofia, a «verdade divina» e veem para lá dos limites da mera compreensão e verdades humanas,  Procuram atingir, através da meditação ou da imaginação, ou sonhos, essa verdade que só se deixa ver através de uma recetividade que implica  colocar fora de atuação a mente lógica e os seus raciocínios. A perceção intuitiva recebida é então convictamente sentida como verdadeira, obtida interiormente com os olhos espirituais e com o coração. E esses nativos não precisam de «provas» nem argumentações exteriores a isso, pois sabem que a verdade que sentem/procuram é transcendente e só se encontra quando a mente racional se aquieta e neutraliza, numa pura receção meditativa.

A natureza transcendente da «verdade» que  Júpiter na 12ª casa permite captar faz com que as divisões e hierarquias sociais não façam qualquer sentido para estas pessoas pois a divina sabedoria e  o amor divino incondicional destinam-se a todos sem exceção, desde que se abram para a intuição e se prepararem para sentir essa verdade em si mesmos

Nas natividades em que o cônjuge é masculino, este tem uma natureza espiritual profunda, nobreza moral e  generosa. Pode ser um artista, uma pessoa com poderosa imaginação e criatividade.

Mas nem tudo é necessariamente bom nesta posição, apesar de ela ter fama de indicar que o nativo será «salvo» de circunstâncias difíceis e terá vitória sobre os obstáculos.

Conjunção Sol Júpiter na 12ª Casa Signo Peixes

Quando o Sol e Júpiter estão conjuntos na 12ª casa /signo Peixes é necessário avaliar bem a natureza funcional dos planetas no horóscopo e a sua força.  O sol é amigo de Júpiter e está bem colocado junto de Júpiter, pois os canais de criatividade espiritual fluem naturalmente para o Sol que individualiza essa sabedoria criativa distribuindo-a para outros mas não está bem colocado na 12ª casa, uma casa de invisibilidade, de retiro, de obscuridade na qual o público não se apercebe da realidade manifestada a não ser através da imaginação e criatividade. A energia solar unida à de Júpiter na 12ª casa ou signo Peixes faz com que o nativo sinta que encarna uma missão espiritual, seja esta desenvolvida através da orientação espiritual de outros, seja através do ensino ou expressão artística. Se os planetas estiverem bem colocados e tiverem natureza positiva, o nativo pode tornar-se um mestre, guru, pregador ou professor, ou ainda conselheiro, orientador espiritual dos outros, de forma relativamente humilde e revelarando a sua sabedoria  no interior de uma comunidade fechada, seja esta um mosteiro, uma escola não pública, uma instituição esotérica, etc..Embora esta conjunção na 12ª casa não dê visibilidade pública ao nativo, que permanece desconhecido fora dos limites da comunidade onde exerce a sua ação e influência, pode tornar-se um verdadeiro líder carismático dentro da organização a que pertence e para o público a quem se dirige.

Quando o Sol e Júpiter se comportam de forma menos positiva no horóscopo, a pessoa pode formar uma imagem totalmente distorcida de si, atribuindo-se qualidades divinas ou de iluminação e acreditando-se como «enviado» por Deus, como sendo uma dádiva para a humanidade   e pode ter um grande carisma e ser seguido pelos outros, embora normalmente os resultados sejam uma ilusão e uma incapacidade para distinguir o que é real do imaginário.

Em outros indivíduos esta conjunção pode levar a todos os tipos de excessos que podem inclusivamente levar á prisão. Pode produzir um tal excesso de confiança na própria sorte que o nativo acredita que será sempre «salvo» das circunstâncias desagradáveis e das situações de perigo e pode arruinar-se; pode perder todos os bens (por ex., ao jogo, pode levar à perda do emprego e da família, etc.. Mas a tendência para Júpiter aprender com as suas experiências pode fazer com que o nativo queira servir de exemplo para outros  e, se enfrentou por ex., um vício de jogo, pode querer ajudar outros, ao recuperar-se ele mesmo desse vício, a escapar também às suas garras. No fundo, a pessoa acredita sempre que a situação presente há- de mudar e  que pode mudar para melhor.

O Sol é uma energia individualizada e, na 12ª casa, impele o indivíduo a separar-se dos valores e da autoridade representada pelo pai (que está de facto muitas vezes ausente da vida dos nativos)  e exprimir as crenças e convicções a partir da verdade encontrada no seio de si mesmo. Júpiter dá ao indivíduo a capacidade para intuir essa verdade e o otimismo que o conduz até ela e o resultado pode ser o surgimento de um ego bastante inflado que acredita ser capaz de «falar com Deus». Isso algumas vezes pode ser positivo quando a pessoa mantém de fora a arrogância mas, em outras conduz, infelizmente, a um tipo de orgulho que perde de vista a verdadeira sabedoria pois centra-se apenas no ego da personalidade não conseguindo ir mais além.

Glossário Astrológico- Chronocrators

Chronocrators capa

O termo Chronocrator é um  termo que não é específico da Astrologia Jyotish mas pertence à história fundamental do saber astrológico que vem do passado. O termo é de origem grega e foi usado na Astrologia Grega para designar a ativação de um planeta no horóscopo por um certo período de tempo.  O «chronocrator» era o «regente temporal» num certo período, o «marcador do tempo». Ora, nesses tempos antigos, os ciclos dos planetas mais lentos conhecidos, Júpiter- 12 anos para transitar à volta do Zodíaco- e Saturno- 30 anos para fazer a mesma órbita- eram os grandes marcadores dos «ciclos do tempo».

Estes ciclos temporais tinham início quando Júpiter entrava em conjunção com   Saturno e os menores ocorriam de 20 em 20 anos. A cada 198 anos e 265 dias, a conjunção entre estes dois planetas ocorria  num signo do mesmo elemento (Água, Terra, Ar ou Fogo), e, num período que variava entre 800 e 960 anos, a conjunção ocorria no signo Sagitário, dando início a um período extraordinário na História. Esta conjunção terá ocorrido no início da era cristã, no séc. VIII e novamente no séc. XVI, indicando processos de mudança que foram muito significativos na história da civilização.

Assim, Júpiter e Saturno são reconhecidos como os Chronocrators.

Cada grande ciclo subdivide-se em vários subciclos de relação entre os chronocrators. Segundo os autores astrológicos ,desde a antiguidade grega até a autores que ficaram na história da ciência como Tycho Brahe, são as seguintes as tendências desses subciclos:

Os ciclos de 20 anos são considerados «mínimos» ou especiais; os ciclos de aproximadamente  200 anos são designados de «médios» ou trígonos; os ciclos de  aproximadamente 800 anos são designados «máximos» ou climacteria . Em todos estes ciclos há um total de 10 conjunções em signos de Terra, 10 conjunções em signos de Ar ,10 conjunções em signos de Fogo e 10 conjunções em signos de Água de Júpiter e Saturno.

Os antigos, incluindo os hebreus, contavam o tempo tendo por referência os chronocrators e os seus ciclos.

Mas este ciclo dos grandes chronocrators que marcam a história da humanidade (diz-se por ex., que a muito referida «Estrela de Belém» que marcou o nascimento de Jesus terá sido uma conjunção entre Júpiter e Saturno) há outros chronocrators menores, mas que  eram considerados igualmente fundamentais para a vida individual e o seu destino. Neste contexto, admitido desde os antigos gregos, qualquer planeta tinha o estatuto de chronocrator dominando os eventos do destino individual por um certo período.  Este conceito também pode ser visto com toda a clareza na Astrologia Jyotish por ex., no sistema vimsottari dasa.

Segundo os antigos, os trânsitos dos planetas só tinham efeitos manifestos quando o planeta em causa era o chronocrator desse período. De outro modo, o seu trânsito seria «mudo», sem efeitos assinaláveis.  Todos os planetas tinham o seu período em que «prestavam testemunho» na vida do nativo. Estes períodos eram contados em «anos egípcios» (360 dias divididos por 3 estações de 120 dias cada + um período extra de 5 dias que não fazia parte do ano propriamente dito) e derivavam dos círculos menores dos planetas como segue: o Sol tinha 19 anos, a Lua tinha um período de 25 anos; Hermes (Mercúrio) tinha um período de 20 anos, Afrodite (Vénus) tinha um período e 8 anos, Ares (Marte) tinha um período de 15 anos; Zeus (Júpiter) tinha um período de 12 anos, Chronos (Saturno) tinha um período de 30 anos. Estes ciclos repetem-se de acordo com o tempo necessário para que os planetas voltem a estar no mesmo grau em relação ao Sol.

Nestes cálculos, o ano era considerado como tendo 360 dias, a noite tinha 12 horas e o dia outras 12 horas;  tais cálculos eram essencialmente simbólicos, não se baseando no plano da realidade concreta mas no do ideal ou arquetípico.

Os períodos anuais dos planetas eram considerados os mais importantes , mas eram também subdivididos em 1/12 do período total, correspondendo a um subperíodo  em cada período total do planeta, com base no movimento diário do Sol e da Lua (o movimento desta é 12x o do Sol) . Com base na interação entre o Sol e a Lua eram encontradas a «parte da fortuna» e a «parte do espírito»). A parte da fortuna era o significador da saúde,  da felicidade física, da área financeira enquanto a parte do espírito era vista para a carreira, as ocupações do nativo, as previsões futuras.

Os subperíodos indicavam os eventos específicos enquanto o período geral indicava os aspetos e tendências gerais do período (em conjunto com a posição do planeta regente do período). A parte da fortuna marcava o regente do primeiro período. Se esta estivesse por ex., no signo Escorpião, o primeiro «marcador temporal» seria  Marte  durante os primeiros 15 anos. A seguir o período seria o de Júpiter durante os 12  anos seguintes. A ordem dos subperíodos de cada planeta segue a mesma regra: o primeiro subperíodo do período do Sol é o sol e a duração de cada subperíodo obtém-se usando o mesmo número (de anos atribuídos a cada planeta) mas transformados em meses. por ex., o sol tem um período de 19 anos por isso, os seus subperíodos em qualquer período de outros planetas dura 19 meses; mas o de Vénus, cujo período dura 8 anos, dura 8 meses quando se entra no subperíodo de Vénus em qualquer período, etc. o último período terá apenas o tempo restante do período geral podendo ter diferente duração.

Para interpretar os significados gerais do tempo, é analisado o signo em que se encontra o planeta que «marca o tempo» a partir da posição da roda da fortuna no horóscopo, para ver se esta está colocada numa casa angular, sucedente ou cadente. Seguidamente, analisa-se a posição do planeta chronocrator para ver se este está em aspeto com essa casa. A análise da força do planeta regente do «tempo» determina se o período terá algo de significativo a dizer ou não. Normalmente, segundo estes autores, se o planeta que marca o tempo estiver numa casa «cadente» nada de relevante acontecerá a menos que esteja algum planeta maléfico nessa casa. (os planetas maléficos eram vistos como mais poderosos do que os benéficos.) Entretanto, esclarecemos que os «aspetos» de que se trata aqui não são os mesmos seguidos pela Astrologia Jyotish pelo que, aqueles que quiserem aprofundar esta matéria, deverão pesquisar em «astrologia helenística» o referido método para calcular os aspetos.

Conjunção Sol Júpiter na 5ª Casa signo Leão

conjunção sol jupiter na 5ª casa signo Leão capa

Para saber os efeitos da colocação do Sol na 5ª casa, leia o artigo aqui.

Júpiter está muito bem colocado na 5ª casa. Aqui favorece a inteligência criativa, a fama, uma personalidade carismática, celebridade através do desempenho de funções importantes. Estas estão em geral ligadas à vida cultural, mais do que a aspetos materiais. O nativo pode ganhar grande riqueza através do uso da inteligência, criatividade, investimentos, etc.; pode ser um magnata do entretenimento, uma figura pública ou política, um grande investidor, um artista. Também têm em geral um ou dois  filhos. Mas, quando Júpiter está na 5ª casa no signo de debilitação (Capricórnio) ou quando recebe o aspeto de Marte, pode haver perda do primeiro filho se outros fatores do horóscopo suportarem isto. Esta posição de Júpiter favorece todas as obras e «criações» artísticas, intelectuais, etc.. mais do que apoia o nascimento de filhos biológicos. Quando têm filhos biológicos, estes nativos deixam que estes sejam criados por outros, dedicando todo o seu esforço à criação artística, literária, à ação política, etc.. A presença de outros planetas na 5ª casa altera estes efeitos de acordo com a natureza do planeta. A ação de Júpiter em relação aos filhos não é a mais positiva devido ao facto de um planeta karaka nunca dar muito bons resultados na casa que significa.  Porém,  se Júpiter recebe um aspeto benéfico por ex., da Lua , pode ajudar muito a fertilidade. Em outros casos, estes nativos adotam crianças ou casam com alguém que tem filhos de um outro casamento.

A colocação de Júpiter na 5ª casa é excelente para os estudos, sendo indicadora de gosto de aprender e sucesso no percurso académico superior. A relação com crianças é fácil e compreensiva. Muitas destas pessoas adotam desde muito cedo a postura do «professor» e são com frequência autodidatas.

Os nativos com cônjuge masculino conhecem o marido em algum evento político, espetáculo de teatro, festa. Sentem-se atraídos basicamente pelo amor que o parceiro mostra em relação ás crianças.

Segundo os clássicos, quando Júpiter está na 5ª casa mas no signo Aquário, o nativo é infeliz, conhecerá obstruções na educação, os amigos e irmãos serão seus opositores. Será também  convencido em relação á sua sabedoria e egoísta. A sua vida e ideias serão cheias de contradições.

Segundo os clássicos Júpiter na 5ª casa num bom signo torna o nativo amável, religioso, ansioso por ajudar os outros, respeitável. Embora Júpiter tenha uma afinidade com esta casa, a sua posição aqui não é favorável para as crianças. Mas torna o indivíduo espiritualmente orientado, seguidor dos preceitos devocionais, ajuda os outros com a sua sabedoria e  tem interesse pela vida após a morte. Terá boa instrução e será versado na leitura e conhecimento dos textos clássicos de sabedoria. Os seus filhos terão proteção e serão conhecidos. Ganhará riqueza e veículos a partir de muitas fontes. Será delicado e polido, instruído e será influente. Mas, na velhice ,terá pouco apoio por parte dos filhos rapazes. Poderá encontrar problemas na obtenção de ganhos e na liderança da sua comunidade. Será um excelente orador e escritor, inteligente, criativo, imaginativo. Gosta dos prazeres e de uma vida fácil. Ocupará uma posição influente na sociedade. Terá muito cuidado com a sua imagem, vestindo-se bem. Tem talento para usar a voz , podendo ser um excelente professor ou ator ou orador político.

Para saber os efeitos da colocação do Sol no signo Leão, leia o artigo aqui.

Júpiter no signo Leão dá uma personalidade radiante, inspirada, carismática, consciente do seu valor, faz do nativo uma autoridade que se impõe pela simples presença imponente. Estes nativos têm a perceção inata de serem canais de transmissão da criatividade e luz divina e atraem naturalmente a atenção dos outros. Obtêm algum modo de privilégio semelhante ao privilégio da  realeza. Possuem o sentido aristocrático de ocuparem uma posição central e o dever de serem um exemplo para os outros.  São seguros de si, autoconfiantes e podem cair por vezes no autoritarismo. Porém, têm generosidade de coração, são compassivos e muito humanos no contacto com os outros. Habitualmente são virtuosos e mostram nobreza de espírito. Mas o orgulho em relação a si mesmos pode criar um ego muito inflado e nublar estas tendências. Em geral, no entanto, estas pessoas têm uma aura de verdadeira sabedoria e uma natureza ética irrepreensível e são tolerantes em relação aos outros.

Quando o cônjuge é masculino, no primeiro casamento o marido é alguém com autoridade, possui  excelentes conexões sociais e políticas,, pode ser uma celebridade do meio artístico ou do entretenimento; é autoconfiante, inteligente e com uma personalidade realmente marcante.

No que se refere à saúde, a posição de Júpiter na 5ª casa pode indicar algum tipo de excesso na área alimentar, tendência para inchaço, etc..

A posição de Júpiter no signo Leão dá uma mente forte, inteligência e sabedoria que torna  os nativos respeitados aos olhos dos outros. No signo Leão Júpiter é o professor ou pregador que alcança um estatuto privilegiado devido ao seu saber. Aqui Júpiter expande a criatividade e a capacidade de galvanizar o interesse das massas. Mas a associação entre Júpiter e o Sol faz com que tudo o que Júpiter quer partilhar com as massas tenha por condição a obtenção de um estatuto semelhante ao da «realeza» com os privilégios associados. O ego e a sua vaidade têm aqui um papel a desempenhar. Estes nativos gostam de ter a atenção e a admiração dos outros e podem ressentir-se muito se isso não acontece. No signo de Leão Júpiter favorece todos os que procuram estabelecer-se como empresários individuais ou procuram um caminho individual para o sucesso. Aqui Júpiter individualiza-se e centra-se nos seus próprios interesses. Devido a esta tendência, estas pessoas dão-se melhor a trabalhar em projetos individuais do que em parceria.

Segundo os clássicos, a posição de Júpiter em Leão ajuda a saúde e os filhos. O nativo alcançará nome e fama. Será muito intuitivo e viajará muito. Se recebe o aspeto de Marte terá temperamento cruel e agressivo, será verdadeiro, sábio, respeitará os mais velhos, praticará ações nobres. Terá uma vida limpa e será muito eficiente.

Quando o Sol e Júpiter estão em conjunção na 5ª casa ou no signo Leão o resultado pode ser uma vontade de viver incontrolável, um entusiasmo por tudo o que se faz  e um enorme desejo de encontrar uma forma inovadora, artística, de expressão pessoal. Quando tanto o Sol como Júpiter têm um estatuto benéfico, estes nativos são muito intuitivos, compassivos, iluminados com sabedoria e espiritualidade. Tornam-se uma verdadeira luz que brilha no meio da ignorância e da vulgaridade como um precioso diamante que partilha o seu brilho com os outros. Sendo a 5ª casa uma casa de sorte trazida do passado, o nativo com esta posição pode ser abençoado com um destino único e reconhecimento por parte de todos. Pode ser uma celebridade que todos admiram e querem ver de perto. Pode alcançar grande riqueza e ser uma figura pública conhecida em todo o mundo. Pode ser o professor ou guru que capta pela intuição uma preciosa sabedoria que transmite aos outros de forma altruísta e sem esperar nada em troca. O seu self tem o brilho e a força para se afirmar como uma autoridade  sem perder a disposição amável e generosa; estas pessoas são honestas e puras de coração; são criativas, inteligentes e, ao mesmo tempo, capazes de sentir empatia pelos outros, gostando de os ajudar. Falam em geral «de cátedra», encontrando em cada situação exemplos da sabedoria divina. Estas pessoas são geralmente instruídas e detêm um conhecimento profundo de muitas matérias. Estas características associadas a uma presença aristocrática  e à forma sensata como tomam decisões e resolvem os problemas dá-lhes excelentes capacidades de liderança e uma autoridade natural que todos reconhecem e aceitam.

Estas pessoas podem ser os líderes da sua comunidade, tanto no plano político como religioso ou figuras altamente influentes e ouvidas da sociedade.  Podem também ter uma carreira artística de grande sucesso, seja no plano literário seja no plano das artes performativas. Em alguns casos são também atletas de exceção, campeões admirados por todos.

Mas nem sempre esta conjunção na 5ª casa dá tão excelentes resultados. Quando a conjunção se dá na 5ª casa mas num signo difícil (como Capricórnio ou Aquário que são restritivos da ação do Sol e de Júpiter ou quando se dá no signo em que estão debilitados ou quando há aspetos de planetas maléficos como Saturno ou Rahu ou ainda quando Júpiter está demasiado perto do Sol e fica combusto por este), os nativos com esta conjunção podem tornar-se preguiçosos, egoístas e cedem facilmente a vícios como o álcool e as drogas ou assumem um estilo de vida em que apenas conta a diversão do momento passando a vida de festa em festa e sem verdadeiramente levar nada a sério. Estes são aqueles que, mesmo ganhando uma fortuna de forma fácil, perdem tudo num ápice, porque se perderam numa imagem de fantasia e não conseguem encontrar-se para além dos cartazes e dos sorrisos de ocasião com que se vestem diariamente. São vaidosos, pomposos, representando sempre uma personagem qualquer e cuidando da imagem como se esta fosse tudo o que há para encontrar em si mesmos. Pode ser difícil sair desta roda viciosa por falta de disciplina e de determinação para fazer o que se deve e não o que apetece.

 

Glossário Astrológico- Bhava Karaka

Glossário Astrológico - Bhava karaka capa

A palavra «bhava» como referimos no último artigo, significa casa astrológica. «Karaka» por sua vez, designa o planeta significador dessa casa. O planeta karaka de uma casa interfere, em conjunto com outros fatores, na produção dos eventos significados por essa casa, positiva ou negativamente, de acordo com a sua força e disposição na carta natal. Para além de significarem as casas do horóscopo, os planetas podem ser «karakas» de muitos outros significados.

Cada casa significa diversas coisas, seres, tipos de eventos e pode haver mais do que um planeta karaka para as casas de acordo com os significados. Cada um destes significados é mais ou menos favorecido, entre outros fatores, pela força e disposição do karaka correspondente.

São os seguintes os planetas karaka para cada uma das casas do horóscopo:

1ª casa– esta significa a vida geral do indivíduo a sua saúde, capacidade para alcançar fama e sucesso e visibilidade no mundo. Assim, o Sol é o karaka desta casa.

2ª casa. Esta casa significa a educação na infância, o discurso, a vida familiar, a aprendizagem e o pensamento lógico e, para estes significados, Mercúrio é o karaka desta casa.  Mas ela também significa a acumulação de riqueza e de status ou posição social e, para esses significados, Júpiter é o planeta karaka.

3ª casaEsta é a casa dos desejos e motivações que impelem para a ação; da coragem e valentia que são necessárias para levar a bom termo os projetos e iniciativas. É também a casa dos irmãos mais novos. Marte é o planeta karaka desta casa.

4ª casaEsta é a casa das raízes de onde vimos, da mãe, dos cuidados afetivos, da felicidade subjetiva, dos bens e propriedades que possuímos na família ou através desta. A Lua é o planeta karaka desta casa.

5ª casaEsta é a casa da criatividade, da inteligência desenvolvida, dos filhos. Júpiter é o planeta karaka desta casa.

6ª Casa– Esta é a casa onde conhecemos a oposição e o conflito com os outros, onde encontramos os nossos inimigos ou todos os que vêm até nós com a intenção de nos provocar obstáculos e prejuízos ou perdas (incluindo o crime e o roubo;. é a casa onde exploramos ou somos explorados e onde pagamos algumas dívidas kármicas. É também a casa onde nos apercebemos da nossa fragilidade física, através da doença ou  ferimentos e aprendemos a dar valor á saúde; é também a casa  em que nos relacionamos com terras estrangeiras, e a ligação com países estrangeiros. Marte é o planeta significador ou karaka para a inimizade, os ladrões, os ferimentos. Saturno é o planeta karaka para a doença e os obstáculos. Rahu é o planeta karaka para a relação com países estrangeiros.

7ª casa– Esta é a casa do casamento, dos acordos e contratos. Vénus é o planeta karaka, representando todos estes significados. Alguns também consideram Júpiter como karaka do cônjuge masculino, considerando Vénus como karaka do cônjuge feminino. Há quem considere Vénus para ambos os sexos, na medida em que Vénus simboliza o amor e os relacionamentos amorosos em geral.

8ª casaEsta é a casa da morte e da longevidade e Saturno é o karaka destes significados.

9ª casa–  Esta casa significa o pai, o mestre ou mentor, o guia espiritual que orienta na aprendizagem dos valores elevados que permitem concretizar o propósito de vida ou dharma. O Sol e Júpiter são os karakas desta casa.

10ª casaEsta é a casa da fama e do estatuto, da posição na carreira e da máxima visibilidade que o indivíduo pode alcançar no plano social e terreno. O Sol  é o karaka para o estatuto e a fama do nativo; Mercúrio e Júpiter sãos os karakas para o sucesso na profissão.

11ª casaEsta é a casa da realização dos desejos e ambições, do aumento de rendimentos e da relação com a comunidade. Júpiter é o planeta karaka desta casa. Alguns incluem Mercúrio como karaka, uma vez que representa a criação social alargada de redes de interação e comunicação.

12ª casaé a casa das perdas, da mudança de foco que deixa de de se concentrar na vida mundana e material e caminha para a transição entre o  plano material e o espiritual. Saturno é o karaka desta casa para o significado das perdas. Ketu é o planeta karaka para o corte ou separação com o mundo material e também para a salvação.

Feliz Páscoa

Páscoa 2017Estamos na Páscoa. E o (a) leitor (a) já se perguntou o que fazem os ovos e  o coelho misturados nesta simbologia? E o ritual de sacrifício da vítima expiatória, na tradição cristã,  a morte na cruz de Jesus que ressuscitou no Domingo de Páscoa, que tem a ver com tudo isto?

Para entendermos isto precisamos de lembrar que, tal como acontece com a celebração do Natal , a Páscoa é também o resultado de um aglomerado de tradições diferentes , umas cristãs e outras pagãs, que se associaram desde a antiguidade. Mas, apesar de parecer que nada têm em comum, na verdade estão todas relacionadas partilhando muitos significados:

O coelho é um animal conhecido por ter uma grande fertilidade, de tal modo que é comum a expressão popular «reproduzir-se como coelhos». Pois, e o ovo é o símbolo mais antigo da vida, uma vida cujo germe cresce no  interior do ovo para irromper no exterior após algum tempo. Assim, tanto o coelho como os ovos são símboolos de renovação da vida e símbolos da fertilidade sexual. Tal como  o equinócio da Primavera, ocorrido há pouco tempo no  mês de março, que marca o início de um novo ciclo de vida. Este equinócio era celebrado na maioria das culturas antigas . E como se articula a crucificação de Jesus Cristo com isto? Bom, os rituais para promover a fertilidade incluiam, desde a mais remota antiguidade, o sacrifício (para além das orgias sexuais). Os aztecas e os maias por ex., praticavam o sacrifício humano como um ritual banal para promover a continuidade da vida. Verter o sangue, símbolo da vida, para que ela pudesse renascer e continuar em mais um novo ciclo. Por bárbaras que nos possam parecer, estas práticas eram parte da visão religiosa dos seres humanos do passado, destinadas a apaziguar divindades em fúria que poderiam vingar-se ao mais pequeno pretexto.

Mas o ritual cristão ultrapassa a mera noção de vida física ou material pois o sacrifício de Jesus Cristo tem, na nossa interpretação, um significado espiritual: trata-se de salvar o homem arrancando-o da sua condição animal e permitir-lhe ascender a uma natureza espiritual, associada pelo cristianismo ao poder do amor. Nesta simbologia então, o amor eleva-nos a uma condição nova, espiritual e generosa. E este é o significado mais forte para nós desta quadra da Páscoa. Embora o amor envolva o sacrifício e seja inseparável deste, do mesmo modo que precisamos da dor para sentir o verdadeiro prazer.

Boa Páscoa para todos.

Vamsacheda, Angaheena e Pisacha Grastha yogas

Vamsacheda, Angaheena e Pisacha Grastha yogas

Vamos neste artigo analisar mais 3 yogas maléficos referidos pela tradição da Jyotish.

Vamsacheda YogaVam

O Vamsacheda Yoga forma-se quando a 10ª, 7ª e 4ª casas estão ocupadas, respetivamente pela Lua, Vénus e  planetas maléficos. Trata-se de um yoga maléfico, que tem como resultado que o nativo será aquele que extinguirá a sua família. De acordo com o Dr. B. V. Raman (300 Important Combinations) a sua experiência mostra que, quando a Lua e Vénus estão na 7ª casa e há planetas maléficos na 4ª casa e também na 7ª em conjunção com a Lua e Vénus, haverá extinção familiar. Não é agradável ser o último de uma linhagem familiar.

Angaheena yoga

O Angaheena yoga é outro yoga maléfico que se forma quando a Lua está colocada na 10ª casa, Marte está colocado na 7ª e Saturno está colocado na 2ª casa a partir do Sol.

Quanto aos resultados, segundo a tradição, a  pessoa sofrerá perda de membros. Isto não significa necessariamente que estes serão amputados mas que o seu uso será perdido como acontece no caso de doenças incapacitantes como reumatismo, artrite, paralisia, em  resultado de ferimentos, etc.

Pisacha Grastha Yoga

Este é outro yoga maléfico mas com algumas particularidades diferentes. Forma-se quando Rahu está colocado no Ascendente em conjunção com a Lua e há planetas maléficos colocados nas casas trikona (5ª e 9ª).

Quanto aos resultados, a tradição diz que o nativo sofrerá o ataque de «espíritos». Comentando este yoga, o Dr. B. V. Raman refere com pertinência que a conjunção entre a Lua e Rahu é, por si, indicador de uma mente instável. E, como este investigador da Jyotish concede, tem sido notado que certos casos que eram interpretados como ataques por entidades maléficas se devem a distúrbios no funcionamento da mente. Porém, nem todos. O Dr Raman aconselha a leitura de uma obra sobre este tema do Dr. Ghose, Adventures with Evil Spirits  . Não conhecemos a obra mas não duvidamos de que será um estudo sério sobre o tema, ou não seria referido por este investigador prestigiado  por isso  deixamos a referência para os que tiverem curiosidade em explorar este tema.  Segundo o Dr. Raman, sempre que a Lua está conjunta  com Rahu e Saturno ou Saturno lança  aspeto para a conjunção entre a Lua e Rahu isso indica que a pessoa sofre por causa de espíritos negativos. Ou talvez devido a energias negativas que, infelizmente, abundam nos ambientes superpovoados em que vivemos.

Feliz Ano Novo!

Feliz ano novo Aprendiz de Astrologia

Caros Leitores

Mais um ano chega ao fim e guardamos a perceção grata de que o nosso trabalho tem sido positivo para divulgar a Astrologia Jyotish a todos quantos desejam sinceramente aprender este saber complexo mas fascinante que nos ajuda a entrar mais profundamente nos mistérios do destino humano. Do destino de cada um em termos individuais, para que cada um possa viver conscientemente a sua missão de vida. Na procura e na concretização de mais luz.

Prometemos continuar a divulgar as técnicas e os conhecimentos que sabemos podem ser úteis aos que buscam um desenvolvimento integral e exigente de si mesmos. Agradecemos a todos pelo contributo que têm dado para a construção deste sítio, com os vossos comentários e sugestões. Contamos com todos em 2017. Feliz  Ano Novo!

«Aprender com o passado, viver para o presente, ter esperança no futuro. E, o mais importante, nunca parar de se questionarAlbert Einstein

 

Feliz Natal

 

Presép

Chegou mais um Natal e, por entre o corre-corre dos últimos preparativos, temos tempo para ler um poema  de David Mourão Ferreira,  que partilhamos com os nossos leitores:

Voto de Natal

Acenda-se de novo o Presépio no Mundo!
Acenda-se Jesus nos olhos dos meninos!
Como quem na corrida entrega o testemunho,
passo agora o Natal para as mãos dos meus filhos.

E a corrida que siga, o facho não se apague!
Eu aperto no peito uma rosa de cinza.
Dai-me o brando calor da vossa ingenuidade,
para sentir no peito a rosa reflorida!

Filhos, as vossas mãos! E a solidão estremece,
como a casca do ovo ao latejar-lhe vida…
Mas a noite infinita enfrenta a vida breve:
dentro de mim não sei qual é que se eterniza.

Extinga-se o rumor, dissipem-se os fantasmas!
O calor destas mãos nos meus dedos tão frios?
Acende-se de novo o Presépio nas almas.
Acende-se Jesus nos olhos dos meus filhos.

David Mourão-Ferreira, in ‘Cancioneiro de Natal’

Feliz Natal para todos!

 

 

 

 

Aviso

caa

Devido a problemas técnicos, vários artigos  anteriormente publicados deixaram de estar visíveis para o público.  Resolveremos o problema o mais depressa possível. Agradecemos a vossa compreensão.

Aviso aos Leitores

fix2

Caro (a) Leitor (a)

Este site está em manutenção para corrigir alguns problemas técnicos que têm afetado o seu funcionamento nos últimos dias . Por causa disso, poderá ficar indisponível por algumas horas. Pedimos desculpa pelo incómodo e agradecemos a sua compreensão e paciência. Até já.