Glossário Astrológico

Glossário Astrológico- Astrologia Mundana

astrologia mundana

astrologia mundana

A Astrologia Mundana é considerada um ramo da Astrologia Judiciária e é considera-da  um dos ramos mais antigos da Astrologia. Aborda as previsões de acontecimentos mundiais («mundana» aqui reporta-se ao conceito «mundus» usado pelos antigos romanos) e não as previsões que dizem respeito ao indivíduo. Tal é compreensível se tivermos em conta que, no mundo antigo, as pessoas estavam mais focadas no  plano coletivo e cósmico do que no plano individual.

Na época medieval, este ramo astrológico também era referido por «astrologia da revolução» porque previa  as mudanças que iriam acontecer num determinado país ou império.

Ptolomeu, na Astrologia Helenística sistematizou os princípios da Astrologia Mundana, na sua obra Tetrabiblos que continua a ser a referência principal para este ramo da Astrologia, hoje em desuso embora ainda seja praticado por alguns astrolólogos atuais. Mas perdeu os fundamentos principais que, nos tempos antigos, lhe deram tanto relevo e a razão é simples: a ciência e as suas previsões sobre os fenómenos da natureza (tremores de terra, por ex., ) ou as mudanças na sociedade, nos sistemas políticos e monetários, etc., permitem previsões mais aceitáveis aos olhos da maioria das pessoas, que dão, obviamente, mais credibilidade ao economista que faz previsões para o ano que se inicia, sobre o que as pessoas podem esperar, em termos de capacidade de ganhar e manter o seu estilo de vida na sociedade moderna, do que ao astrólogo que, nestas matérias, é visto como o que usa a «bola de cristal», isto é, que faz suposições sem fundamento, sobre essa realidade. Assim, este ramo da Astrologia é uma parte da História deste saber, essencialmente, mais do que uma prática viva mantida pela comunidade astrológica.

Porém, não foi  isto que sucedeu nos tempos passados. Como referimos, nos tempos das civilizações grega e romana e até à época medieval e moderna (sec. XVII)  altura em que começaram as perseguições religiosas, este ramo da Astrologia Mundana era fundamental para se poder prever o sucesso de uma campanha militar de longa duração por ex., e que implicava a utilização da maioria dos recursos materiais e humanos disponíveis; ou para prever se haveria abundância de colheitas ou, pelo contrário, se inundações, terremotos e outros fenómenos telúricos ou cósmicos afetariam as populações e trariam pobreza, fome, doença, etc.

Tendo sido desenvolvida nos tempos  mais antigos desde os babilónios e atravessando a Astrologia Helenística,  a Astrologia Mundana recebeu também um importante contributo dos astrólogos árabes, a partir do século IX. Estes introduziram técnicas importantes que, no passado, eram usadas para prever a ascensão e queda dos países – como o ciclo de Júpiter e de Saturno que hoje são ainda consideradas fundamentais nas previsões astrológicas e que são usadas pelas correntes da Astrologia na previsões individuais pois os indivíduos não vivem separados do todo cósmico, vivem na Terra e esta recebe as influências do mundo celeste. Muitos dos conceitos  inicialmente usados na Astrologia Mundana- como os ciclos dos planetas- acabaram assim por ser introduzidos na abordagem geral da Astrologia que se pratica hoje.

A Astrologia Mundana baseia-se  no levantamento de uma carta que representa um determinado país e que coincide com a data histórica do nascimento desse pais ou, em alguns casos, do nascimento de um líder inaugural e identificado com a nação em causa.

Na Astrologia mundana os planetas têm significados específicos: o Sol representa todas as figuras de autoridade, líderes, ministros, reis, heróis e campeões que sobressaem em relação a todos os outros pela autoridade máxima e são admirados pelos outros ; a Lua significa o indivíduo comum e pode significar também os assuntos nos quais o público alargado  ou as massas estão mais focados; Mercúrio significa os assuntos intelectuais, a escrita e o discurso e os autores ligados a estes assuntos. No pais significa os meios de comunicação e os transportes (Mercúrio é Hermes o «mensageiro» que transportava as mensagens dos deuses- tanto literalmente através das suas asas que lhe permitiam viajar como metaforicamente porque significa a capacidade de entender pelo raciocínio e pela linguagem);  Vénus, para além dos significados tradicionais de simbolizar as artes,  a música, a capacidade para fazer alianças , contratos e acordos, simboliza as mulheres, o nível social  de nascimento e as crianças; Marte representa todas as coisas relacionadas com a guerra e a oposição: forças militares (marinha e exército), soldados, fogo, disputas, conflitos, ataques armados; Júpiter representa a religião e o sistema judicial e o mundo financeiro. Deste modo, indica os membros do clero, lideres religiosos, juízes e também os banqueiros; Saturno representa os mais velhos, os pobres e membros menos favorecidos da sociedade e o índice de sobrevivência ou morte de uma nação. Simboliza igualmente epidemias mortais, funerais de estado e todos os assuntos que geram tristeza numa nação.

A Astrologia Mundana atual também inclui significados para os planetas «exteriores»: assim, Urano representa  descobertas cientificas e ideologias politicas de direita e também indica individualismo e fascismo; Neptuno representa ideias políticas de «esquerda» mas também pode indicar atividades ilícitas, conspirações escondidas e fraudes; Plutão representa a mudança radical da morte e do renascimento.

Deixe um comentário a sua opinião conta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

error: Content is protected !!
%d bloggers like this: